Quarta-feira, 19 de Junho de 2019
120 anos

Relembre as lendas da música que passaram pelos palcos do Teatro Amazonas

Palco de grandes espetáculos, o teatro abriga – há 120 anos -, as maiores representações artísticas da cidade. Por isso, escolhemos alguns dos nomes mais populares internacionalmente que estiveram no Teatro Amazonas, seja em apresentação ou visitação, mas que fizeram história



BV0714-10F.jpg Considerada a primeira dama do teatro nacional, a cantora esteve algumas vezes em solo manauara e entrou no palco do Teatro Amazonas para surpreender o público em duas ocasiões / Foto: Arquivo/AC
14/08/2016 às 00:32

Testemunha da riqueza e prosperidade da cidade de Manaus, desde sua inauguração - 31 de dezembro de 1896 com a ópera italiana “La Gioconda”, de Amilcare Ponchielli -, O Teatro Amazonas é palco de uma série de apresentações artísticas, companhias de dança, orquestras, óperas e musicais. De Bibi Ferreira a White Stripes, passando pelo fenômeno pop Spice Girls, o teatro atravessou dois séculos e continua sendo uma das maiores joias do Amazonas, trazendo o melhor da cultura para os manauaras, como sugere sua concepção inaugural.

“O Teatro Amazonas teve um conjunto gigantesco de grandes artistas que se apresentaram ao longo de sua história, clássicos e modernos. Mesmo fora da época do seu apogeu, em todos os momentos sempre tivemos grandes artistas se apresentando, brasileiros e estrangeiros”, ressaltou o secretário estadual de Cultura, Robério Braga.

Um dos inúmeros nomes amazonenses que merecem destaque é Arnaldo Rebello, pianista amazonense de grande prestígio nacional e internacional, que bem cedo, mudou-se para o Rio de Janeiro para fazer o curso Superior de Piano do Instituto Nacional de Música. Mais adiante, ele foi estudar Paris. Em 1953 tornou-se Docente Livre e, em 1958, Professor Catedrático da Escola Nacional de Música da Universidade do Brasil. Durante suas vindas a Manaus na década de 1960 sempre recebeu homenagens e apresentava-se no Teatro Amazonas. Em suas vindas a cidade de Manaus sempre tocava ou era homenageado no Teatro Amazonas.

Neste fim de semana, o Teatro Amazonas recebe as apresentações do bailarino amazonense Marcelo Mourão. Principal bailarino do American Ballet Theatre, de Nova York, Marcelo retorna a Manaus após cinco anos para as apresentações com a execução das músicas pela Orquestra Amazonas Filarmônica, sob a regência do maestro Marcelo de Jesus.

Por isso, escolhemos alguns dos nomes mais populares internacionalmente que estiveram no Teatro Amazonas, seja em apresentação ou visitação, mas que fizeram história.

JOSÉ CARRERAS:

José Carreras, um dos tenores do famoso trio formado com Luciano Pavarotti e Plácido Domingo, esteve em Manaus em 27 de fevereiro de 1996 para uma apresentação no Teatro Amazonas, para abrir as festividades dos 100 anos do teatro. Com ingressos em torno de 600 reais por pessoa, o espetáculo provocou protestos de manauaras, que quase culminou no cancelamento da apresentação de Carreras.

LUCIANO PAVAROTTI

Em 1994, o tenor italiano Luciano Pavarotti visitou o Amazonas, e esteve clandestinamente no teatro. Após sua morte, seu amigo Leone Magiera revelou no livro "Pavarotti Visto da Vicino", que, mesmo fechado, ambos entraram no local e o tenor cantou duas árias de "Tosca", "E lucevan le stelle" e "Recondita armonia" para um público de cerca de cinco pessoas". Ou seja, não foi uma apresentação em si aberta a população, vale destacar

BIBI FERREIRA:

Considerada a primeira dama do teatro nacional, a cantora esteve algumas vezes em solo manauara e entrou no palco do Teatro Amazonas para surpreender o público em duas ocasiões: a primeira em seu "Bibi in Concert" em 1991 e "Bibi canta e conta Piaf" acompanhada pela Orquestra Amazonas Filarmônica, em 2010. Na ocasião, a cantora se emocionou ao receber uma placa da Secretaria de Cultura. A homenagem fica ao lado da placa de seu pai, Procópio Ferreira no, Teatro Amazonas.

Bibi esteve pela primeira vez em Manaus no ano de 1943, com o pai, onde trabalhou em uma peça apresentada em uma sacristia de uma igreja. Em 1948 ela retornou para a capital para gravar o filme "The End of the River", onde interpretava uma amazonense. O filme começava em Belém e terminava na capital do Amazonas.

SPICE GIRLS

Em 1997, o fenômeno pop Spice Girls fez uma visita promocional a Manaus. Na viagem, 55 fãs de diversas partes do mundo e seus acompanhantes foram premiados pela Virgin Record com uma viagem à Amazônia para encontrar o grupo de meninas. Na época, alegando falta de privacidade, as meninas dormiram no iate Amazonas, pertencente ao, então governador do Estado, Amazonino Mendes.

As cantoras fizeram uma entrevista coletiva no Teatro Amazonas. Em seguida, elas cantaram para o público, não no palco, e sim na varanda do teatro, levando os fãs à loucura.

ROGER WATERS

O ex-baixista do Pink Floyd Roger Waters esteve na 12ª edição do Festival Amazonas de Ópera (FAO), para apresentar sua versão da ópera "Ça Ira". Inspirado na Revolução Francesa, o espetáculo foi lançado em 2004 e só havia tido uma apresentação completa até a montagem brasileira. A ópera "Ça ira" abriu o festival e foi visto por mais de 700 espectadores. Na abertura, Waters arranhou um português. "Boa noite. Sejam bem-vindos. Gostaria de dizer que estou muito feliz por estar aqui. É uma grande honra para mim, e também para Ça ira, poder realizar o sonho de estar na Amazônia. Obrigado por terem vindo, obrigado", discursou.

O espetáculo começou a tomar forma em 1988, três anos após o cantor sair do Pink Floyd. Na época, o cancionista e roteirista francês Etienne Roda-Gil e sua mulher, Nadine, pediram ajuda a Waters para dar prosseguimento a ópera.

WHITE STRIPERS

No dia 1º de junho de 2005, a banda White Stripes protagonizou o primeiro show de rock no Teatro Amazonas para cerca de 500 pessoas. Não satisfeitos com o público, a dupla interrompeu o show, saíram do teatro e cantaram para a multidão enlouquecida que se aglomerava na parte de fora do teatro. De acordo com a Polícia Militar, cerca de 4 mil pessoas estavam no local no momento em que Jack e Meg chegaram na varanda do teatro para seu show improvisado. A confusão estava feita. Foi preciso a segurança intervir e retirar os dois, levando-os de volta para o palco. A viagem ao Amazonas foi especial para a banda. Isso porque, no dia anterior, Jack White se casou com a top model Karen Elson no encontro dos rios Negro e Solimões. A cerimônia foi celebrada por um padre e um pajé!  O show foi exibido no programa MTV World Stage. Em 2015, a gravadora Third Man Records, de Jack White, lançou o ‘‘Under Amazonian Lights” um vinil duplo e um DVD com registro do espetáculo em Manaus.

Receba Novidades


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.