Publicidade
Entretenimento
Vida

Homenagens e espetáculos inéditos abrem 5º Festival Amazonas de Dança

A bailarina e professora Rozima Monteverde foi a homenageada no FAD. O evento é promovido pelo Governo do Amazonas e acontece no município de Novo Airão 05/09/2013 às 18:12
Show 1
Os espetáculos “Triuno” e “Emendas e remendos” foram apresentados na noite da abertura
ACRITICA.COM* Novo Airão (AM)

O palco do 5º Festival Amazonas de Dança (FAD), em Novo Airão (a 180 quilômetros de Manaus), recebeu na noite de abertura, nessa quarta-feira (4), a Presidente de Honra do evento, a professora e bailarina Rozima Monteverde. Dois espetáculos inéditos também foram apresentados: “Triuno”, do Grupo de Dança Arte pela Arte, e “Emendas e Remendos”, do Gedam.

Rozima recebeu a homenagem lembrando-se dos novos talentos que podem surgir a partir de iniciativas como o FAD. “Seria um prazer dar aula aqui de Novo Airão para ver os talentos que iriam surgir. Esse evento é a oportunidade de despertar os talentos que existem nos jovens. Por isso, aproveitem muito bem a programação do Festival de Dança”, recomendou.

Um vídeo com depoimentos e a história dos trabalhos realizados por Rozima também foi exibido. “Estou muito feliz em receber essa homenagem. Geralmente as pessoas só são lembradas depois que morrem. Por isso valorizo muito toda essa celebração ao meu trabalho e fico muito contente com as homenagens prestadas”, revela Monteverde.


Espetáculos inéditos

O 5º Festival Amazonas de Dança é promovido pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (SEC) e a Associação de Profissionais de Dança do Amazonas (Aprodam). Ao todo são dez espetáculos inéditos selecionados para apresentação no FAD.

“Triuno”, do Grupo de Dança Arte pela Arte, trouxe ao palco a relação do homem com a fé e envolvimento dele com Deus; o pecado, o perdão e a oração; tudo representado nos movimentos de dança clássica executados pelas bailarinas. O espetáculo é o desdobramento de outra obra, o “Agnus Dei”, de autoria do coreógrafo amazonense Eliezer Rabelo.

Já no espetáculo “Emendas e remendos”, do Gedam, há uma releitura de todos os trabalhos realizados pelo grupo ao longo dos 27 anos de existência. No palco, os remendos em tecidos montados em uma estrutura de alumínio retratam a trajetória do Gedam e ainda apresentam “o verde com o urbano”, uma leitura poética da diversidade de valores da Zona Franca de Manaus.

Novo Airão

A abertura do FAD aconteceu na Quadra Municipal de Novo Airão e recebeu também as apresentações dos espetáculos “Mistura de Ritmos” – do Grupo de Dança da Melhor Idade do Liceu de Artes e Oficio Cláudio Santoro, e “Missa Arraial Amazônia”, do Balé Folclórico do Amazonas. As duas obras já foram apresentadas em Manaus, no Teatro Amazonas.

Natália Mêne, diretora geral de eventos da Secretaria de Cultura, destaca o momento especial nas ações de cultura do Governo. “É o primeiro festival a trazer uma programação completa ao interior do Amazonas. Novo Airão está recebendo muito bem o evento, o que estimula o surgimento de outras ações a partir dessa, sejam elas da própria cidade ou em parceria com a SEC”, destaca.

Para o presidente da Aprodam, Augustos Domingos, a abertura do FAD em no interior do Estado anuncia a grandeza do festival. “Assistimos a grandes espetáculos, o público se mostrou interessado e curioso, o que anuncia uma repercussão boa ao longo da semana. Uma abertura positiva e que nos faz crer que teremos um ótimo Festival de Dança em Novo Airão”, conclui.

O Festival

O FAD continua durante essa quinta-feira (5) com a oficina “Dança de Salão”, ministrada por Carla Patrícia e Ricardo Figueiredo. À noite, haverá os espetáculos “Movimentos Patrol”, do MC Canal, “As novas Amazônidas”, do Pajê Cia. de Dança, “Equilíbrio”, da Cia. Expressão & Vida, e “Sapatilha, tênis e pés descalços”, da Reflexu’s De Dança. O evento segue durante a semana até sábado (7).

*Com informações da assessoria de imprensa

Publicidade
Publicidade