Publicidade
Entretenimento
Vida

Iniciativa quer fomentar e difundir produção de textos teatrais no AM

A proposta surgiu da necessidade de os artistas aprofundarem estudos e pesquisas em dramaturgia teatral, assim como acontece em outros núcleos espalhados pelo Brasil 11/09/2013 às 10:25
Show 1
A expectativa é que isso ajude a fomentar e difundir a produção dos novos autores teatrais da cidade
rosiel mendonça ---

A partir desta quinta-feira (12), o Sesc Centro vai abrigar as reuniões e atividades do grupo “Outras dramaturgias”, criado por atores e escritores da capital amazonense com o objetivo de aprofundar estudos em dramaturgia para o teatro. De caráter independente, o núcleo tem em sua formação inicial talentos jovens e veteranos, como Danilo Reis, Francis Madson, Nathane Dovale, Jéssica Amorim, Jorge Bandeira, Denni Sales e Jean Palladino.

Segundo Reis, a proposta surgiu da necessidade de os artistas aprofundarem estudos e pesquisas em dramaturgia teatral, assim como acontece em outros núcleos espalhados pelo Brasil. “Em Manaus temos muitas pessoas escrevendo para teatro e precisávamos nos reunir de uma forma mais concreta”, explica ele, que é integrante da Artrupe. Os encontros vão acontecer quinzenalmente e a ideia é realizar leituras abertas e lançamentos para a Internet.

Danilo não nega que a iniciativa também seja reflexo da montagem produzida pela Artrupe com base no texto “A Casa de Inverno”, de Martina Sohn Fischer, membro do Núcleo de Dramaturgia do Sesi Curitiba. A autora esteve em Manaus para a estréia do espetáculo, quando também participou de um encontro sobre dramaturgia contemporânea, e acabou tendo sua parcela de influência para que os autores de Manaus organizassem um grupo local.

“Queremos estudar desde as correntes tradicionais até as contemporâneas. Esse primeiro momento será para cada um conhecer a produção do outro”, complementa Reis, que começou a escrever assim que entrou para o teatro. No encontro de amanhã, ele vai apresentar seus textos mais recentes, que traçam caminho oposto ao das esquetes de humor produzidas por ele dois anos atrás.

INCENTIVO

Para um dos idealizadores do núcleo, o também ator e diretor Francis Madson, a expectativa é que ele ajude a fomentar e difundir a produção dos novos autores teatrais da cidade. “É interessante que esse grupo possa estabelecer intercâmbios com o que está sendo feito em outras partes do País, como Minas Gerais, São Paulo e Paraná”, destaca.

Na opinião dele, é sempre saudável que os novos autores se coloquem em risco para produzir um teatro cada vez mais autoral. “Uma das nossas principais discussões será sobre como se dá a produção dramatúrgica contemporânea e sobre as formas como podemos apreender o nosso mundo sem exotizar ou reafirmar a visão eurocêntrica/sulista sobre a Amazônia”.

Natural de Rondônia, mas radicado no Amazonas, Madson escreveu 26 peças na última década, sendo que quatro foram montadas em Porto Velho e uma em Manaus. Segundo ele, a sua escrita passa por um momento de radicalização na forma – além do afeto nutrido pelos pais, Beckett, Ionesco, Tchekhov e Hilda Hilst são alguns dos autores que o “atravessam” nessa fase atual.

Publicidade
Publicidade