Quarta-feira, 21 de Agosto de 2019
Vida

Jornalista de A CRÍTICA lança sua primeira obra para crianças na Feira do Livro de Manaus

Segundo a jornalista Ana Celia Ossame, a base para o livro 'O Planeta Azul' surgiu em sessões de 'contação de histórias' para crianças de quem é próxima



1.gif Ana Celia lança livro na Feira do Livro de Manaus, no domingo (12), Dia das Crianças
09/10/2014 às 10:28

Imagine um planeta todo azul – até nas cores do semáforo, que em vez do vermelho, amarelo e verde, vão do azul escuro ao azul claro. Para chegar nesse lugar, basta pegar a estrada da imaginação, e é justamente isso que fazem as jovens amigas Lelê e Carol, personagens do livro “O Planeta Azul”. A obra, primeira da jornalista Ana Celia Ossame voltada para os leitores mirins, será lançada neste domingo, Dia das Crianças, às 16h, no Studio 5 Centro de Convenções (Distrito Industrial), na programação da 2ª Feira do Livro de Manaus.

No livro, que traz ilustrações divertidas e coloridas de Adriano Furtado, Ana Celia narra a curiosa aventura de Lelê e Carol, da chegada ao Planeta Azul à reação das pessoas de lá. Entre elas o Príncipe Azulrei, que fica fascinado pela variedade de tonalidades das garotas e de suas roupas. Segundo a jornalista de A CRÍTICA, a base para o livro surgiu em sessões de “contação de histórias” para crianças de quem é próxima.

“Tenho sobrinha e amiguinha criança. Gosto muito de crianças, e elas sempre me pedem histórias, que eu conto ou invento. E essa que eu inventei elas sempre me pediam para contar de novo e de novo. Pensei, ‘Essa história deve ser boa’, e resolvi escrever”, conta ela, que tem o título de Jornalista Amiga da Criança da Agência de Notícias dos Direitos da Infância (Andi).

Apesar da intimidade com a escrita no jornalismo diário, Ana Celia conta que buscou escrever com olhar diferenciado para os pequenos leitores. “Parece fácil escrever para crianças, mas não é tão fácil. Há várias receitas sobre como fazer, mas o que precisa na verdade é ter imaginação, é se colocar no lugar da criança. (...) para isso é preciso ter formação, argumentos e conceitos”, avalia a escritora.

Novo caminho

Com o material pronto, Ana Celia submeteu o livro à avaliação de Tenório Telles, coordenador editorial da Valer. “Ele gostou e me devolveu dizendo que ia fazer da história um livro”, recorda ela. E a escritora apreciou tanto o resultado final no livro pronto que já pensa em seguir trilhando no caminho da literatura infanto juvenil.

“Gosto muito de ler e sei que as pessoas aprendem a gostar de ler quando crianças. É preciso escrever não só para dar lição, mas também para compartilhar coisas boas, como experiências, sonhos, curiosidades”, opina.

Ana Celia destaca, nesse sentido, o trabalho da Valer em investir na literatura infantil de escritores locais. “Na era da tecnologia, é importante colocar livros nas mãos das crianças. É uma frase clichê, mas o livro nos faz viajar. Isso é verdade. E com o livro há uma proximidade, você pode pegar, carregar para onde quiser, dormir em cima, amassar e desamassar as folhas, criando uma relação íntima com ele”.

Valor da literatura

A fala de Ana Celia reflete sua própria relação com os livros, iniciada há muitos anos. “Aprendi a ler aos 5 anos de idade, e desde lá leio vorazmente. Na minha casa eu tinha a coleção ‘Tesouros da Juventude’, e li os contos daqueles livros centenas de vezes!”, recorda ela, saudosa. Hoje, ela enumera nomes como Clarice Lispector, Ana Maria Machado e Monteiro Lobato na lista dos autores infanto juvenis que ela admira.

Da leitura, Ana Celia passou à escrita. Primeiro como jornalista, e depois como escritora de fato: em 1986, ela lançou o livro de poesia “Imaginei assim”. Por enquanto, todavia, ela não tem planos para novos títulos do gênero: “Escrevo poemas até hoje, apenas não publico mais. Sou muito autocrítica”.

A partir de sua experiência com a literatura, Ana Celia defende com ardor que as crianças tenham acesso aos livros desde cedo: “Pais, tios, avós, amigos, nunca devem deixar de dar livros de presente para as crianças. Pode dar iPod, iPad, mas tem de dar também um livro. E a criança sempre saberá o que fazer com ele”.

Mais títulos na agenda

“O Planeta Azul” não será o único lançamento voltado ao público infanto juvenil na Feira do Livro de Manaus: dois outros títulos no segmento serão apresentados aos visitantes do evento literário, ambos novidades da série “Florescer da Leitura”, da Editora Valer. Um deles é “Viagens na casa do meu avô”, que o escritor amazonense Zemaria Pinto lança hoje, às 18h, dentro da programação da feira.

Nele, o autor conta as aventuras de Luna pelos cômodos da casa do avô: a gaveta embutida que se transforma num barquinho, o sofá que vira escorregador e a escalada à montanha de livros na biblioteca. A obra tem ilustrações de Marcos de Paula.

No sábado, às 17h30, é a vez de Cleber Sanches, que lança “Amazônia Mitos e lendas – Seres encantados da floresta”. O livro, que tem ilustrações concebidas pelo autor, mostra como os seres mitológicos que habitam a selva amazônica defendem seu bem mais precioso, a vida selvagem. É uma bandeira de preservação da natureza, denotando a luta pelo equilíbrio natural do meio ambiente, contida no imaginário popular.

Ficha

O PLANETA AZUL

Autora: Ana Celia Ossame

Ilustrações: Adriano Furtado

Gênero: Infanto juvenil

Editora: Valer

Páginas: 32

Preço: R$ 32

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.