Publicidade
Entretenimento
Vida

Jovens cientistas amazonenses concorrem em feira de Ciências e Engenharia de SP

O projeto ONI-BUS visa solucionar o problema de monitoramento de ônibus, apresentando um ambiente onde o usuário seja capaz de conhecer a localização do ônibus e suas rotas e diminuir o tempo de espera dos usuários, segundo Marcos Lima, 18, um dos criadores do projeto. Ele e os amigos Eduardo Carvalho e Camila Gomes foram selecionados para participar da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (FEBRACE), na qual concorrem com projetos de todo o país 13/03/2013 às 16:41
Show 1
O sistema obtém as informações dos veículos por meio de um dispositivo que estará embutido no ônibus
Laynna Feitoza Manaus, AM

Imagine ter acesso, por meio de um software específico, à localização dos ônibus e suas rotas, a integridade das informações sobre os veículos, de forma a ampliar o leque de opções de embarque e, de alguma forma, ‘prever’ o momento em que o ônibus irá passar, economizando tempo e ganhando comodidade?

Esse é o intuito do projeto ONI-BUS (sistema de monitoramento de veículos através de GPS via dispositivo móvel para usuários do transporte coletivo), criado por Camila Gomes, Eduardo Carvalho e Marcos Lima, ex-alunos da Fundação Nokia de Ensino que estão apresentando o projeto na Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (FEBRACE), evento que ocorre anualmente em São Paulo e que reúne projetos de várias áreas do conhecimento. Representando o Amazonas, os jovens de 18 anos estão na busca pelo prêmio, juntamente com mais de 200 projetos de estudantes de todo o país.

De acordo com o estudante Marcos Lima - um dos criadores do projeto - os três jovens cientistas terminaram o ensino médio e técnico pela Fundação Nokia, no curso de Informática. Ele explicou ao acritica.com que a praticidade obtida com o ONI-BUS é possível graças a um sistema informatizado móbile, que contém o monitoramento de transporte coletivo apresentado em um mapa.

“Dinâmico e de fácil interatividade ele mostrará a rota de um ônibus específico (escolhido pelo usuário), estimando o tempo de chegada do mesmo, mostrando-se de grande utilidade e fornecendo comodidade para seu usuário”, afirmou o estudante.

De trabalho final do Ensino Médio a projeto de repercussão nacional

Lima ressaltou que o projeto ONI-BUS é fruto de uma espécie de ‘trabalho final’ do Ensino Médio na escola. “No nosso terceiro ano, temos que desenvolver um projeto técnico, então procuramos uma problemática para a sociedade em várias áreas e vimos que os ônibus aqui na cidade hoje em dia é um problema aqui na cidade, devido à grande demora e outras coisas, surgiu no ano de 2012 e foi neste ano que foi desenvolvido também”, contou o jovem cientista.

Para poder participar da FEBRACE, os alunos Marcos, Camila e Eduardo participaram primeiro de uma seletiva dentro da própria escola, onde a instituição enviou os relatórios escolhidos para a organização da feira, e o projeto ONI-BUS foi selecionado. “Ganhamos na escola, dentre os projetos participantes, em 1° lugar dos projetos de informática e o melhor relatório (dentre todos os projetos de todas as áreas)”, apontou Lima. A FEBRACE é realizada na sede da Universidade de São Paulo (USP), na capital paulista.

Os alunos foram à São Paulo com toda a delegação técnica da Fundação Nokia de Ensino, composta por dois professores – entre eles o orientador do projeto, Manoel Pantoja Júnior - e chegaram à terra da garoa no último domingo (10). Segundo Marcos, o grande obstáculo vivenciado por eles foi relacionado à etapa do desenvolvimento do projeto.

“Tínhamos que deixá-lo funcionando para a amostra técnica da escola que aconteceu no Studio 5. Ficamos na correria até que conseguíssemos fazer funcionar, mas também quando finalmente terminamos o alívio tomou conta, quando saiu o resultado dos finalistas da FEBRACE tentamos melhorar o software”, apontou.

Os estudantes não tiveram nenhum apoio externo ao da própria escola, tanto para realizar o projeto, quanto para irem à FEBRACE. Marcos também explicou como funciona o software. “O sistema obtém as informações dos veículos por meio de um dispositivo chamado arduíno+GPS+XBee que estarão embutidos no ônibus. Os dados quando captados fazem interação com o aplicativo e por fim são exibidos no mapa”, elucidou o jovem.

Projeto foi submetido à votação popular via internet

O ponto alto da FEBRACE é que, nela, os projetos são submetidos à votação popular via internet. A partir daí, é escolhido apenas um projeto vencedor dentre as áreas de exatas e da terra, biológicas, agrárias, saúde, sociais, humanas e engenharia – área que abrange o ONI-BUS -.

“Todos os projetos estão participando dessa categoria de PRÊMIO VOTAÇÃO POPULAR via internet Se conseguirmos o maior número de curtidas, ganharemos nessa categoria. O prêmio não sabemos qual é, mas seja qual for o prêmio já vai ser uma honra de termos conseguido este com o apoio de Manaus até porque é uma honra ser um dos projetos a estar levando o nome da nossa cidade”, assegurou Lima.

Para votar, a pessoa precisa apenas estar logada no Facebook e clicar em CURTIR na página do projeto no site da FEBRACE. A votação é encerrada nesta quinta (14). “Até agora estamos em primeiro lugar, com 1,1 mil votos. Também seremos julgados por outras categorias lá dentro, podendo receber outros prêmios para participarmos de outras feiras do ramo em outras cidades”, finalizou o estudante.

Para votar no projeto ONI-BUS no site da FEBRACE, clique aqui.

Publicidade
Publicidade