Publicidade
Entretenimento
MEDIDA

Justiça libera realização do Fecani após organização garantir itens de segurança

A revogação da decisão liminar só foi possível após a organização do festival apresentar a documentação correspondente às exigências de segurança, nos casos de shows e concurso de música, para o Corpo de Bombeiros 06/09/2018 às 19:33 - Atualizado em 07/09/2018 às 08:53
Show fecani d86b477f 0adb 4a34 8f75 d6827660470c
Foto: Divulgação
Rafael Seixas Manaus (AM)

O 33º Festival da Canção de Itacoatiara (Fecani) pode voltar com suas atividades normais após o juiz Rafael Rocha revogar a decisão liminar que suspendeu o evento na noite da última quarta-feira (5), enquanto o Fecani já havia começado, por falta de documentos e itens de segurança no local de realização, o Centro Cultural Iracema Holanda, localizado no município distante 176 quilômetros de Manaus. Leia decisão na íntegra. 

A revogação só foi possível após a organização do festival apresentar a documentação correspondente às exigências de segurança, nos casos de shows e concurso de música, para o Corpo de Bombeiros que emitiu hoje documento informando a Justiça do Amazonas, onde atesta a presença de condições mínimas de segurança para a realização do Fecani.

Entenda o caso

A decisão tomada em liminar pelo juiz Rafael Rocha, da 3ª Vara do Tribunal de Itacoatiara, atendeu a um pedido do Ministério Público do Estado (MP-AM). Ontem (5), o juiz só liberou o Fecani de acontecer para evitar uma revolta da população, que aguardava o show da dupla sertaneja Maiara & Maraisa – e também porque Centro Cultural Iracema Holanda, que estava com a capacidade esgotada, com a presença de 50 mil pessoas, não possui saídas de emergência.

Horas antes, o Fecani continuava suspenso até que a Associação dos Itacoatiarenses Residentes em Manaus (Airma) e a prefeitura do município revissem 26 itens de segurança no Centro Cultural Iracema Holanda. Caso ocorresse descumprimento da decisão, havia sido estipulada uma multa de R$ 200 mil.

Publicidade
Publicidade