Sábado, 20 de Julho de 2019
MODA

Leandra Rios, a Madame Sher fala sobre a linha de corsets que afinam a cintura

Semanas após o lançamento da nova loja da marca em São Paulo, a estilista tirou uns dias da agenda para aproveitar as férias no Amazonas



eere.JPG Foto: Márcio Silva
28/12/2017 às 16:49

Ela é a criadora de um dos modelos de corsets que realiza um dos desejos mais cobiçados entre as mulheres: afinar a cintura. Leandra Rios, mais conhecida pelo nome de sua marca “Madame Sher” é a pioneira do segmento no Brasil. Semanas após o lançamento da nova loja da marca em São Paulo, a estilista tirou uns dias da agenda para aproveitar as férias no Estado. Com vista para o Teatro Amazonas, Sher conversou com o BEM VIVER no restaurante Caxiri e falou sobre as criações dela. 

Foto: Márcio Silva

A história da rainha dos corsets começou na infância. A mãe dela era modelista então sempre a via fazendo roupas para festas e desfiles. “Na minha adolescência não tinha pensado em trabalhar com isso. Eu fazia teatro e eventos, e dentro dessa área tinha uma peça específica do vestuário feminino que eu adorava e sonhava em ter: o corset”, contou.

Foto: Márcio Silva

No Brasil, Sher só encontrava espartilhos de lingerie e importar uma peça de fora era muito caro. Foi então que ela começou a produzir peças para si própria. “Depois a paixão foi crescendo e virou um hobby. Como eu trabalhava com eventos e geralmente fazia umas produções de moda, pois gostava de recepcionar os convidados dos meus próprios eventos, eles sempre viam as peças e queriam saber mais sobre. E foi com base nessa procura que deixei minhas outras atividades para me dedicar à corseteria”, contou. 

Foto: Reprodução

Leandra lançou em 2004 um site de vendas e fez maior sucesso entre a mídia, pois até então ela era a pioneira do segmento no País. Para ela, o que  chamou  atenção foi pelo fato do corset ser uma peça icônica e polêmica. Com a massificação da produção, Sher já produziu peças para clientes famosas como: Xuxa, Ivete Sangalo, Gisele Bundchen, Pitty e entre outras. 

Sher priorizou desde o início produções original. Ela gosta de pesquisar modelagens antigas por décadas e fazer algumas mesclagens. “A minha inspiração sempre esteve na moda londrina e algumas francesas, mas a londrina prevalece”, compartilha.  

Entre alguns dos cuidados da estilista estava o de não propor semelhança entre o corsert com lingerie. “A referência das pessoas para o corset era de lingerie então para quebrar isso investi em tecidos e técnicas de alfaiataria, além de resgatar algumas antigas. Nunca usei tecidos de lingeries modernas. Outra coisa que procurei ter cuidado no começo da marca – e hoje já não ligo mais pra isso -, foi de não fazer produções de moda para revistas eróticas”, acrescenta.

Foto: Divulgação

Até 2011 Sher fazia somente corsets para uso à mostra. Foi então que investiu na linha Elastique - um modelo de corset elástico. “Eu peguei todo meu conhecimento de corseteria e juntei com a estrutura de cinta. Hoje em dia as mulheres estão usando bastante cinta, mas são aquelas que deformam, as barbatanas machucam... acaba que a cinta não tem estrutura para suportar o ajuste e uso da peça. Na linha Elastique eu trouxe a estrutura do corset para uma peça de usar em baixo da roupa no estilo cinta”, fala Sher. Todas as modelagens são feitas sob medida, exceto a Elastique.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.