Publicidade
Entretenimento
INICIAÇÃO

Liceu Claudio Santoro recebe novos alunos em aula de acolhimento no Sambódromo

Aulas apresentaram coordenadores do curso e estrutura do Liceu para pais e alunos inscritos. Atividades iniciam nesta terça-feira (6) 05/03/2018 às 20:44
Show aula de acolhimento liceu claudio santoro  5
Foto: Divulgação
acritica.com Manaus (AM)

Pais e alunos participaram nesta segunda-feira (5) da aula de acolhimento do Liceu de Artes e Ofícios Claudio Santoro, na unidade do Sambódromo. A aula é uma forma de apresentar os professores dos cursos de iniciação artística e orientar os alunos sobre o funcionamento do Liceu, que inicia as aulas nesta terça (6). Um dos destaques nas aulas são depoimentos de antigos alunos que se tornaram profissionais e até educadores no próprio Liceu.

“Com as aulas de acolhimento, conseguimos reunir os alunos e os pais dos alunos menores para passar todas as informações a respeito do funcionamento do Liceu. É o momento em que eles conhecem quem vai ser o professor do curso no qual eles se inscreveram, o bloco que ele vai estudar no Sambódromo, os psicólogos da unidade, então é muito importante que eles participem”, disse Cristiana Brandão, diretora do Liceu.

As aulas de acolhimento ocorreram pela manhã e tarde para alunos de diferentes turnos. Nesta tarde, participaram da conversa os coordenadores artísticos Oromides Rezende, Jorge Kennedy, Romahs Mascarenhas, Elena Koynova e alguns estudantes que tiveram no Liceu a oportunidade de se desenvolver artisticamente e conquistar novos patamares.

Oportunidade

Um dos relatos foi de Kessy Cavalcante, 19, que começou no curso de dança Baby Class no Liceu aos 4 anos de idade. Além de ter participado de espetáculos da SEC com os Corpos Artísticos, como o de Natal “Ceci e a Estrela”, Kessy foi aprovada entre as primeiras colocadas no curso de Dança da Universidade do Estado do Amazonas (UEA).

“Comecei a cursar Baby Class aqui com 4 anos, com a professora Ester Padilha e acabei estudando aqui por mais de 10 anos. Sempre fui muito incentivada por todos os professores, que nunca me deixaram desistir e tudo que eu sei hoje eu devo a eles. Fui a única da turma e me formar com 14 anos, 2014, e em 2016, fiz vestibular para o curso e passei e entre as primeiras. Então, quero passar isso para os alunos, que o Liceu é uma ótima oportunidade”, contou Kessy.

O estudante Yuri Dantas, 18, que pratica trompete há cinco anos, conseguiu uma vaga no curso do Liceu e espera aprimorar as habilidades no instrumento. “Nessa primeira apresentação, consegui ver que há uma estrutura que pode fazer o aluno crescer. Gostei muito dos professores e espero poder ficar tempo suficiente para melhorar no trompete”, disse.

Publicidade
Publicidade