Publicidade
Entretenimento
CINEMA

Filme do AM ‘Antes o tempo não acabava’ é selecionado para Festival de Brasília

Dirigido pelos cineastas Sérgio Andrade e Fábio Baldo, o filme conta a história de Anderson, um indígne em conflito com os líderes de sua comunidade, localizada na periferia de Manaus 02/08/2016 às 05:00
Show bv0502 57f
Ao todo, foram 132 longas-metragens inscritos, que foram analisados pela comissão composta por cinco especialistas / Foto: Divulgação
Alexandre Pequeno Manaus (AM)

O 49ª Festival de Brasília divulgou ontem os nove filmes selecionados para disputar a Mostra Competitiva de Longa-Metragem e o Estado do Amazonas entra na competição através do filme “Antes o Tempo Não Acabava”, de Sérgio Andrade e Fábio Baldo. Previsto para acontecer entre os dias 20 e 27 de setembro deste ano, o festival será palco da primeira exibição nacional do longa, exibido dentro da Mostra Panorama do Festival de Berlim, em fevereiro.

O cineasta Sérgio Andrade acredita que o teor político do filme tenha sido um dos fatores determinantes para sua entrada na competição. “Estávamos torcendo muito para o filme entrar no Festival de Brasília, porque é um filme que tem o seu teor político, embora seja de ficção e voltado para a fantasia, e o festival tem esse viés. Ficamos muito felizes com essa seleção. A comissão selecionadora era ótima, de peso”, afirma.

A comissão de seleção dos longas é composta por Andréa Cals (jornalista, curadora, produtora e apresentadora do Canal Curta!), Eduardo Valente (cineasta, crítico e curador de cinema, formado pela UFF, com mestrado na USP), José Geraldo Couto (historiador, jornalista, crítico de cinema e tradutor), Marcus Mello (crítico, Mestre em Literatura Brasileira pela UFRGS e especialista em gestão cultural pela Universidade de Girona, Espanha) e Pablo Gonçalo (professor de cinema e audiovisual da UNILA – Universidade Federal da Integração Latino-Americana).

"O Festival de Brasília é um dos principais festivais brasileiros de cinema, um espaço amplo de discussão de filmes, um espaço político importante, e ter um filme selecionado para esse festival com uma curadoria tão forte é um privilégio”, afirma o cineasta Fábio Baldo, co-diretor do longa, que já havia exibido o curta Geru (2014) em Brasília.

Além de "Antes o Tempo Não Acabava", disputam na mostra os filmes: “A Cidade Onde Envelheço”, de Marilia Rocha (MG), “Deserto”, de Guilherme Weber (RJ), “Elon Não Acredita na Morte”, de Ricardo Alves Jr. (MG), “Malícia”, de Jimi Figueiredo (DF), “Martírio”, de Vincent Carelli (PE), “O Último Trago”, de Luiz Pretti, Pedro Diogenes e Ricardo Pretti (CE), “Rifle”, de Davi Pretto (RS) e “Vinte Anos”, de Alice de Andrade (RJ). Ao todo, 132 longas-metragens foram inscritos e analisados pela comissão julgadora. A premiação totaliza o valor de R$250 mil.

Em busca da identidade

Anderson é um jovem indígena em conflito com os líderes de sua comunidade, localizada na periferia de Manaus. As tradições mantidas por seu povo parecem anacrônicas em relação à vida contemporânea que ele leva. Em busca de autoafirmação, Anderson abandona a comunidade para viver sozinho no centro da cidade, onde experimenta novos sentimentos e enfrenta outros desafios. No entanto, o Velho Pajé planeja trazê-lo de volta para mais um ritual.

O indígena Anderson é interpretado pelo ator Anderson Tikuna. O personagem vive diversos conflitos. Foto: Divulgação

“É inspirado em histórias reais que eu ouvi, relatos de indígenas que moram na cidade. Observei muito a vida dessas pessoas, que são indígenas e ao mesmo tempo na cidade grande. É uma história que conta sobre essa crise de identidade e esse rompimento que vive o personagem indígena”, conta Sérgio. O filme foi filmado em novembro de 2014 e finalizado durante 2015.

"É um momento propício para levar esse filme para Brasília para discutir essa questão indígena e os ataques que eles vem sofrendo”, complementa Fábio Baldo.

O elenco do filme é formado por Anderson Tikuna (Anderson), Severiano Kedassere (Velho Pajé), Fidelis Baniwa (Tunarê), Kay Sara (a irmã), Ana Sabrina (sobrinha), Rita Carelli (Pia), Begê Muniz (Beto Cainã), Emanuel Aragão (Mapinguari Jr.) e Arnaldo Barreto (Frankney)

Publicidade
Publicidade