Publicidade
Entretenimento
Vida

Louco, personagem de Maurício de Sousa, ganha releitura lírica

"Louco - Fuga", escrito e ilustrado por Rogério Coelho e lançado pelo selo Graphic MSP, reimagina o insano e criativo persoanagem dos quadrinhos 29/12/2015 às 09:11
Show 1
O livro é o décimo do selo, especializado em reinvenções dos personagens de Maurício
Lucas Jardim Manaus (AM)

Algozes de armadura, um pássaro mágico e um protagonista tido como insano. Esses são alguns dos elementos fantásticos que permeiam graphic novel “Louco - Fuga”, lançado recentemente no Brasil.

O volume, escrito e desenhado por Rogério Coelho, faz uma releitura lírica do Louco, personagem criado por Maurício de Sousa, e foi lançado pelo selo Graphic MSP, que desde 2012 vem investindo em radicais reinvenções das criações de Maurício.

Gênese

Em uma conversa com o A CRÍTICA, o ilustrador comentou que o projeto começou na época em que colaborou com a coletânea “MSP Novos 50 – Mauricio de Sousa por 50 Novos Artistas”, um dos livros predecessores do Graphic MSP.

“Na época, optei por desenvolver uma HQ do Horácio, mas havia levantado material para usar com outros personagens e o Louco era um deles. Guardei as ideias e, quando surgiu o projeto Graphic MSP, mostrei-as ao [editor] Sidney Gusman”, contou Rogério.

Após várias mutações, a trama final passou a girar nas aventuras de Louco enquanto atravessa histórias para libertar um pássaro, ao mesmo tempo que foge de seus perseguidores, os guardiões do silêncio.

Possibilidade visual

Segundo Rogério, a possibilidade visual que Louco que lhe abria que ajudou a germinar as sementes do livro. “[Além disso, ele] é um personagem com uma histórico muito aberto, o que ajudaria a colocar minhas ideias em prática”, disse.

Essa liberdade de criação é algo que ele também enxerga no Louco e que ele tinha muito interesse em trabalhar em “Fuga”, bem como o agito que uma história dele proporciona.

“Sempre vi as histórias do Louco muito vivas, com um ritmo frenético e uma ação atrás da outra. De alguma forma, sempre tive em mente também abordar a relação dele com o Cebolinha e com os demais personagens da turminha”, explicou Rogério.

Na hora de conceber o mundo que sua releitura habitaria, não faltaram influências e inspirações para o ilustrador. “De forma geral, não só nessa HQ, mas em todo meu trabalho, existem alguns pilares em termos de influência. Posso citar o Neil Gaiman, Alan Moore, Grant Morrison, e a poesia do Fernando Pessoa e do Manoel de Barros. No visual, o [trabalho de] Dave McKean, Bill Sienkiewicz, Lorenzo Mattotti e Moebius e, como construí minha carreira praticamente ilustrando livros, posso citar o Rui de Oliveira, Odilon Moraes, Rebecca Dautremer, Brian Wildsmith e Shaun Tan. É muita coisa”, enumerou Rogério.

Futuro

Rogério diz que gostaria de continuar a história do Louco junto com o time da Graphic MSP, mas enquanto não surge nenhum convite formal para isso, ele toca outros projetos, entre eles duas histórias em quadrinhos.

Destas, uma será em preto e branco e voltada para o público adulto. “[Essa] deve sair no ano que vem dentro da coleção ‘ZUG’ que é uma coleção já estabelecida na editora e que conta com títulos muito bons”, adiantou o autor paulistano.

Ele também comentou que segue ilustrando textos de outros autores, já tendo dois finalizados. “Um deles, chamado ‘O dia de ver meu pai’, de autoria da Vivina de Assis Viana, é uma parceria entre eu e meu filho Pedro, de 11 anos, nas ilustrações. Além disso, tenho mais três em produção, um deles pra uma editora americana”, concluiu Rogério.

Meio HQ, meio livro ilustrado

Além de divulgar “Louco - Fuga”, o autor segue divulgando seu projeto “O Barco dos Sonhos”, livro em que mescla linguagens literárias. “Alguns o consideram uma HQ e outros , um livro ilustrado. Eu ainda estou tentando chegar num acordo comigo mesmo para dizer o que é”, comentou.

A narrativa, feita sem palavras, trata sobre a interação inusitada entre um menino e um velho. “[Eles] se comunicam de alguma forma, moram em lugares diferentes e buscam algo. O livro mostra a forma como eles se encontram e também como encontram o que buscavam”, explicou.

Desenvolvido ao longo de sete anos, o trabalho é um projeto muito pessoal para Rogério, que o comparou com “Louco - Fuga” da seguinte forma: “Considero os dois muito especiais, mas são vozes diferentes , de períodos diferentes da minha vida”.

Responsa

Antes de reinterpretar Louco, Rogério ficou responsável por conceber uma pequena HQ com o personagem Horácio para o Graphic MSP. Detalhe: o dinossaurinho é xodó de Maurício de Sousa, que o enxerga como seu alter ego.

O autor disse assumir a responsa foi um prazer. "Estava tranquilo pois tinha nas mãos um personagem e um cenário que iriam me render um apelo visual interessante. Me dediquei a cada uma das cinco páginas da história e procurei entregar o melhor do que meu trabalho poderia fazer naquele momento. Foi a primeira vez que lidei com um personagem do Mauricio e ainda tive a felicidade de ter a HQ escolhida para abrir o livro. Guardo esse trabalho e essa experiência com muito carinho e gratidão", comentou.

Desde sua criação em 2012, o selo Graphic MSP já lançou dez releituras de personagens clássicos de Maurício de Sousa, entre eles Chico Bento, Bidu e Astronauta. O sucesso é tanto que um desses lançamentos, “Turma da Mônica - Laços”, dos irmãos Vitor e Lu Cafaggi, deve virar um filme “live action” em 2017.

Publicidade
Publicidade