Publicidade
Entretenimento
Vida

Luiz Geraldo Demasi lança obra que narra a chegada de imigrantes italianos em Manaus

Aposentado lançou no final de outubro o livro 'Italianos em Manaus', no qual relatos históricos e pessoais dele mesmo com imigrantes são contados de forma nostálgica 03/11/2014 às 11:01
Show 1
Luiz Geraldo Demasi, cercado por familiares, no lançamento de “Italianos em Manaus”. Evento aconteceu no dia 22 de outubro, no Paço da Liberdade, Centro
Gabriel Machado Manaus-AM

Manaus é uma das cidades mais miscigenadas do Brasil. Desde o ápice da economia cafeeira no País até os dias atuais, a capital amazonense foi bombardeada - no melhor sentido da palavra - pela chegada de imigrantes dos mais distintos cantos do globo. Neste grupo, os italianos foram um dos que desempenharam importante função na construção, tanto física quanto cultural, da nossa “terrinha”. No entanto, poucos eram os registros da história desses estrangeiros por aqui. Até agora. Visando preencher essa brecha, o aposentado Luiz Geraldo Demasi lançou, no final de outubro, o livro “Italianos em Manaus”, editado pelo Conselho Municipal de Política Cultural de Manaus.

A obra consiste num punhado de relatos históricos e pessoais do autor sobre a chegada dos italianos à cidade. “Fui motivado a escrever esse livro principalmente pela minha mulher, Doralice, meus filhos e netos, que sempre me perguntavam sobre nossas origens. Eles queriam saber o porquê dos seus antepassados terem deixado a Itália”, revela Luiz, em entrevista ao BV GENTE. “Meus pais e tios vieram para Manaus e, conversando com minha mulher, comecei a articular uma forma de resgatar a memória desses ilustres italianos”, completa.

Segundo o autor, “Italianos em Manaus” mostra a chegada desses primeiros imigrantes à capital. “Inicialmente, muitas famílias foram para São Paulo trabalhar nas fazendas de café. Com a abolição da escravatura, o Brasil estava carente de mão de obra”, explica ele. “Porém minha família optou por morar em outro canto do País, e escolheu Manaus. Aqui, ela se juntou a um outro grupo de italianos, que passaram a trabalhar como alfaiates, pedreiros e sapateiros. Na obra, tem até os anúncios das empresas deles”, acrescenta.

PESQUISA

Para concluir o livro, Luiz Geraldo Demasi levou mais de dez anos, divididos entre visitas a Biblioteca Pública do Amazonas e São Paulo, como também análises de registros de nascimento e óbito na cidade. Além disso, voou até a Itália, mais precisamente à comuna de Castelluccio Inferiore, localizada na região da Basilicata, província de Potenza - o município, inclusive, estampa a capa de “Italianos em Manaus”. “É a cidade do meu pai e está conservada há mais de 100 anos. Está do mesmo jeito”, confessa o autor. “Dá para se ter uma ideia de como esses italianos se encontravam ali. Encontramos coisas que ainda funcionavam, como pequenas mercearias e sapatarias”.

HOMENAGEM

De acordo com Doralice dos Santos Demasi, a obra pode ser divida em duas partes. “A primeira delas é a chegada dos italianos, que vieram a Manaus em busca de melhores condições de vida. Nós não temos noção de quanto trabalho foi feito por eles. Já na segunda, ele (Luiz) faz uma homenagem ao pai”, pontua. Domingos Demasi, forma aportuguesada para Domenico Dimasi, veio com a família para a capital amazonense ainda jovem, sendo convocado, aos 17 anos, para lutar pelo seu país na Primeira Guerra Mundial. “Como filho único, ele tinha a opção de não ir, mas fez questão de lutar pela sua pátria”, reforça Luiz.

Felizmente, o italiano retornou a Manaus sem nenhum arranhão para, 50 anos depois, ser condecorado como herói pelo cônsul italiano, que fez questão de vir à cidade para homenageá-lo com uma medalha. “Depois de ter lutado e salvo várias vidas, meu pai passou a fazer fardamento para o exército, aeronáutica e marinha, além de uniformes para escolas como o Dom Bosco. Ele era um alfaiate muito bem treinado e bastante requisitado. Até para o governador já prestou seus serviços”.

Obra didática

Cópias de “Italianos em Manaus” serão enviadas às escolas da capital amazonense. O livro poderá, ainda, ganhar tradução em italiano.

Destaque

O prefácio, a orelha e parte da introdução de “Italianos em Manaus” foram feitas pelo escritor Márcio Souza, presidente do Conselho Municipal de Política Cultural de Manaus.

Imagens

Grande parte do livro “Italianos em Manaus” é ilustrada, tanto pelo acervo pessoal de Luiz Geraldo Demasi quanto por fotografias antigas e de domínio público.

Publicidade
Publicidade