Segunda-feira, 30 de Novembro de 2020
MÚSICA

‘Luneta Mágica’ lança primeiro material audiovisual ao vivo

“Ao Vivo muito Vivo” chegou esta semana às principais plataformas de streaming



Capturar_1998CCE0-6ADA-4DCF-BB92-FCB34D8D3C45.JPG Foto: Divulgação
08/10/2020 às 16:53

Após dois anos engavetado, o EP “Ao Vivo muito Vivo” da banda de rock alternativo amazonense “Luneta Mágica” chegou esta semana às principais plataformas de streaming (Spotify, Deezer, Apple Music, Google Play, Youtube Music), por meio do selo Fluve Digital. Gravado em fevereiro de 2018 em um show realizado no Les Artistes Café Teatro, localizado no Centro Histórico da capital, o trabalho marca o primeiro material audiovisual ao vivo do grupo.

Canções de “Amanhã Vai Ser o Melhor Dia da Sua Vida” e “No Meu Peito” – primeiro e segundo álbuns de estúdio da banda, respectivamente –, “Mônica”, “Parte”, “Lulu”, “Mantra”, “Não Acredito”, “Sábado” e “Largo São Sebastião” foram as faixas musicais escolhidas para compor “Ao Vivo Muito Vivo”. Mais aclamadas pelo público, as quatro primeiras canções também tiveram lançamentos em vídeos, que podem ser conferidos no Youtube da “Luneta Mágica”.



Vocalista do grupo – que existe desde 2008, mas ‘caiu’ na estrada somente a partir de 2011 –, Pablo Henrique Araújo fala que a equipe envolvida foi um diferencial para o resultado do projeto. Além do envolvimento dos cinco membros e de todos os responsáveis pela parte técnica, o EP contou com participações especiais de artistas amazônidas, como Ygor Saunier na percussão, Tainara Guedes no violino e Mônica Cardoso, Alex Jansen, Ramon Oliveira e Laelia Nogueira no Backing Vocal.

Revisitar a história

Pablo afirma que o ao vivo foi idealizado como uma celebração dos álbuns do grupo e do bom momento que estavam vivendo à época. O disco de estreia da “Luneta Mágica” foi eleito em 2012 o melhor do ano pela enquete realizada pelo blog da web rádio Manifesto Norte. Naquele período, o grupo – aclamado pela mídia especializada em todo Brasil – participou de shows importantes pela cidade, como o Festival Amazonas de Rock, o Festival Até o Tucupi e o Festival Amazonas de Música. Em 2017, a banda amazonense foi confirmada como uma das atrações oficiais do festival de música Lollapalooza Brasil 2018, um dos principais eventos musicais do país, e do festival internacional South By Southwest (SXSW), nos EUA.

A história da “Luneta Mágica” – com quase dez anos oficiais – é recheada de grandes conquistas. “Nesse meio tempo, tivemos a oportunidade de lançar quatro discos, circulamos por todas as regiões do país pelos principais festivais independentes do Brasil e ainda tivemos a honra de interagir com grandes nomes da música brasileira, como Carlos Eduardo Miranda – que produziu o single ‘Parte’, lançado pela Sony Music –, Banda Boogarins, que participou do nosso disco de Remixes – e Pedro Sá, músico e produtor de renome do estado do Rio de Janeiro. Tudo isso contribuiu muito para o amadurecimento individual e coletivo da banda”, assevera o vocalista.

Nesses dois anos de ‘engavetamento’ do EP, os membros da banda, segundo Pablo, ficaram trabalhando na finalização do material, até encontrar a oportunidade certa para lança-lo. “Depois da pandemia, achamos que seria o momento ideal para o lançamento. Tínhamos planos de circulação para este ano, mas infelizmente a pandemia acabou adiando tudo. O EP acabou vindo a calhar nesse sentido. Está todo mundo revisitando sua história e a proposta do material que lançamos é justamente essa”, pontua.

Repórter

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.