Sexta-feira, 06 de Dezembro de 2019
Buzz

Madonna afirma que foi ameaçada de morte por defender grupo Pussy Riot

Madonna também admitiu que ela foi ameaçada de prisão em sua apresentação na Rússia em 2012, por estar promovendo ''comportamento gay''



1.jpg Madonna
07/02/2014 às 09:26

A cantora Madonna revelou em discurso apaixonado no Amnesty International Concert, em Nova York, na noite da última quarta-feira (5), que recebeu ameaças de morte por defender o grupo russo Pussy Riote.

Madonna descreveu a si mesma como uma ''lutadora pela liberdade'' quando apresentou o grupo russo - que foi para a cadeia por alegações de vandalismo motivado por ódio religioso depois de cantar uma canção de protesto em uma catedral em Moscou - para subir ao palco do Barclays Center.



Ela disse: ''o direito de ser livre, de dizer o que pensamos, de ter uma opinião, de amar quem nós queremos amar, ser quem nós queremos ser - nós temos que lutar por ele?''.

''Eu sempre me considerei uma defensora da liberdade desde o começo da década de 1980 quando eu percebi que eu tinha uma voz e eu poderia cantar mais do que músicas sobre ser uma 'material girl' ou se sentir como uma virgem. E eu definitivamente paguei por isso e fui punida por falar o que eu penso ou por colocar o meu pescoço para fora contra esse tipo de discriminação. Mas isso é ok'', continuou.

Madonna também admitiu que ela foi ameaçada de prisão em sua apresentação na Rússia em 2012, por estar promovendo ''comportamento gay''.



Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.