Quinta-feira, 18 de Julho de 2019
Vida

Mãe não é tudo igual: conheça jeitos diferentes de amar os filhos

Histórias de mulheres que encararam de forma diferente a maternidade, mostrando que não existe fórmula pronta para vivê-la



1.jpg A advogada Marlúcia Almeida cuida da boa forma como ninguém
11/05/2013 às 18:05

Mãe com fôlego de sobra e boa forma

840 km percorridos em 15 dias sobre uma bike, olhando as belas paisagens de Santiago da Compostela, Espanha. Este foi um dos grandes desafios encarados pela advogada Marlúcia Almeida. Ela é a típica mãe saradona, que cuida da dieta e faz atividades físicas diariamente. “Já fiz corrida, hipismo, ciclismo de rua, mountain bike e ultimamente aderi às cicloviagens”, enumera.

As filhas Jéssica, 21, e Thays, 19, não gostam muito do esporte que ela pratica. “Elas já praticaram hipismo, mas hoje só fazem academia comigo. Não gostam do meu esporte porque dizem que ele não é chique pois chego em casa suja de lama e, às vezes, machucada. Elas têm orgulho é da minha profissão”, diz. Os próximos desafios marcados para percorrer de bike são os 250 km do Caminho do Sol, percurso que sai de São Paulo e termina em Minas Gerais; uma competição na Venezuela e um desafio na Ilha de Marajó.

Mãe no rigor da Lei

Pelo menos duas vezes por semana, Nardele Neves fica frente a frente com bandidos perigosos. É que em seus plantões de 24 horas na Polícia Civil ela participa de operações que envolvem mandados de busca, apreensão e até prisões. Mas ela não tem dúvidas de que sua principal missão, essa bem menos perigosa e mais prazerosa, é proteger o filho Leonidas, de dois anos.

“Minha vida é um pouco diferente porque trabalho numa profissão arriscada. Fui policial militar por sete anos, depois passei no concurso público da civil, onde enfim pude cumprir meu objetivo de ficar mais tempo com o meu filho”, conta. Trabalho 24 horas e folgo 72 horas. Se trabalhasse num expediente normal, não teria tanto tempo para estar com ele”, completa.

Mãe super disposta


A dentista Morgana Rabelo tem uma rotina para poucas. Pela manhã, se dedica integralmente ao filho Vinícius Mateus, de 2 anos; à tarde atende seus pacientes no consultório odontológico; e à noite assume seu lado empresária comandando junto com sua sócia-irmã, a Moda Urbana, loja de roupas e acessórios na Internet. Quando pergunto de onde vem tanta disposição, ela responde: “Quando a gente faz o que gosta, tudo fica mais fácil. É uma loucura que é uma delícia”, diz essa verdadeira multimãe.

Morgana decidiu junto com o marido parar de trabalhar num período do dia para acompanhar de perto o crescimento do filho e ensinar-lhe os seus valores. A advogada se diverte com ele brincando de carrinho, pintando, sorrindo e amando, como toda boa mãe.

Mãe moderna que abre o jogo em casa



Na casa da arquiteta Cristiane Sotto Mayor não existe assunto proibido. Esta mãe moderninha sempre abriu o jogo com os filhos Lena, Gabriel e Jorge Neto. “Fui mãe muito nova e tenho um relacionamento muito bom com eles. Chego e falo numa boa”, diz a arquiteta. Cris também participa de atividades junto com o trio. Vai a shows de rock, pedala e se diverte na hora de dar uma volta com os filhos.

“Procuro me manter próxima e como toda mãe fico atenta. Sou direta no que falo com eles e crítica em relação a certos assuntos. Há regras em casa que nem se cogita quebrá-las como por exemplo chegar das festas sempre antes das 3h da manhã e nada de dormir fora de casa com os amigos. Não sou uma mãe perfeita, mas cuido e passo os valores nos quais acredito. E se fosse preciso, faria tudo de novo”, conclui.

Matriarca feliz cheia de amor e sonhos


“Sonhem e realizem. A melhor coisa da vida é ver os sonhos se realizarem”. A frase é de uma simpática senhora chamada Graça. Matriarca da família Figliolo ela fala com propriedade, pois viu seu grande desejo se tornar realidade. “Desde quando casei meu sonho era ser mãe. Pensava nos cachinhos de menina para pentear. Tive duas filhas. Fui avó aos 38 e bisavó aos 60”, fala com orgulho e uma felicidade que inspira. Graça mantém até hoje tradições de cuidado de mãe. Canta para netos e bisnetos as mesmas cantigas que fazia as filhas dormirem.

“Somos muito ligados um ao outro. Até o ano retrasado nós tínhamos uma van em que botávamos a família dentro e saíamos para passear. Nas férias fica quase todo mundo no mesmo andar do hotel. Sou uma mãe muito feliz e cheia de amor”, encerra.

Mariluci Diniz: mestra em Soc. e Cult. do Amazonas

“Sou filha de pais semianalfabetos, mas me criei ouvindo os intelectuais da Academia Amazonense de Letras enquanto minha mãe era zeladora no Instituto Geográfico e Histórico do Amazonas. Fui tomando gosto pelos livros, estudei até chegar na minha atual formação de mestra. Para os meus filhos ensinei os valores da ética, as boas relações, o respeito aos limites, o respeito às crianças e aos idosos e os incentivei desde sempre à leitura dos livros. Hoje tenho uma filha advogada e pedagoga; um filho contabilista e outro de 12 anos, estudante”.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.