Publicidade
Entretenimento
Vida

Mafalda Minnozzi e Paul Ricci se unem em show com repertório de soul, jazz e bossa, em Manaus

Depois de passar por outras cidades do Brasil e Europa, turnê de "eMPathia" chega ao Teatro Manauara em apresentação única neste sábado, dia 28, às 22h 25/11/2015 às 14:37
Show 1
Mafalda Minnozzi e Paul Ricci formam jazz duo em novo projeto
ROSIEL MENDONÇA Manaus (AM)

A cantora italiana Mafalda Minnozzi se sente em casa sempre que vem a Manaus, e não foram poucas vezes em quase 20 anos. A primeira foi em 1998, quando o show dela dividiu as atenções com o último capítulo de “Por Amor”, novela de Manoel Carlos que teve Veneza como um dos cenários. Agora, a artista volta à cidade trazendo na bagagem seu novo projeto paralelo, o show “eMPathia”, em parceria com o músico nova-iorquino Paul Ricci. A apresentação acontece neste sábado (28), às 22h, no Teatro Manauara.

Com um clima intimista, o show segue o formato de jazz duo, em que a guitarra de Ricci faz companhia à voz de Mafalda. O repertório destaca o soul, o jazz e a bossa nova em composições de Cole Porter, Tom Jobim, Baden Powell, Edith Piaf, entre outros. Estão lá algumas pérolas como “Inútil Paisagem”, “Sacumdi Sacumda”, “Every Time We Say Goodbye” e “Hymne à l’amour”.

“Eu tenho um certo convívio com boa parte dessas músicas”, explica a cantora, conhecida como embaixadora da música da Itália em várias partes do mundo. “Faço isso desde o começo da minha carreira, em cada cantinho tem gente apreciando nossa cultura italiana, seja pela elegância ou pelas reminiscências do belcanto. Mas comecei cantando um repertório internacional na juventude. Mergulhava em grandes intérpretes como Cole Porter, Billie Holiday, Frank Sinatra e Edith Piaf, graças à minha mãe”.

Registrado em CD disponível no mercado, “eMPathia” deu origem a uma turnê que já dura 10 meses. Com o projeto, Mafalda e Ricci se apresentaram em inúmeros festivais no Brasil e na Europa. A cantora é só elogios ao companheiro de palco, com quem conseguiu aliar “as mais profundas afinidades”.

“Nós nos conhecemos em 1996, quando ele estava lançando um trabalho que misturava músicos brasileiros e nova-iorquinos. O Paul é experiente no mundo do jaz, acompanhou grandes músicos instrumentais. Com o ‘eMPathia’, quisemos juntar a minha voz à liberdade que o jazz permite de ir além do idioma”, afirma ela, que no show interpreta canções em quatro línguas.

Novidade para 2016

Mafalda Minnozzi vem se dedicando ao projeto paralelo desde que terminou de circular com “Spritz”, álbum e show em que fez releituras de músicas italianas dos anos 1950. Na época, ela decidiu dar um tempo no repertório de expressão pop para se envolver com o clima mais jazzístico e suingado do duo com Ricci.

Com 60 shows realizados desde então, a cantora revela que tem o próximo disco pronto – também em parceria com o guitarrista. “Finalizamos as gravações em setembro, em Nova York, com a produção do Jeff Jones. São músicas que eu canto nos shows, mas que ainda não haviam sido gravadas. Mas isso vamos conversar no próximo ano...”, desconversa.

Brasil e Manaus

Dos compositores brasileiros, Tom Jobim, Baden Powell, Ivan Lins e Carlos Coqueijo marcam presença na seleção de músicas do show “eMPathia”. Só agora, depois de anos radicada no Brasil, Mafalda sente ter domínio da musicalidade do País. “Quando comecei, sempre tive muito receio de cantar num idioma em que eu não era fluente ainda. Para mim, cantar é uma forma de oração. Eu tinha que conhecer todas as nuances e angulações da música, e a bossa nova é muito difícil para uma italiana”, admite.

“Aqui se toca muito com coralidade. Cada um faz sua parte para um resultado conjunto. Acho que é o país mais musical do mundo porque são muitos países em um só. O Brasil me fez uma artista e pessoa melhor, além de ter me proporcionado uma carreira maravilhosa, feita de encontros belíssimos”.

Outro desses encontros está marcado para o dia 6 de dezembro, quando Mafalda participa de um show de Milton Nascimento em Petrópolis (RJ). Os dois cantarão “Travessia” numa versão em português e italiano.

Da mesma forma, a cantora diz se sentir “outra pessoa” quando chega na capital amazonense. “É uma energia muito boa. Tive a honra de ter vários artistas daí abrindo meus shows, cada um mostra o que tem”. Desta vez, a viagem renderá uma experiência a mais: no dia anterior ao show, Mafalda será agraciada com o título de madrinha da Sociedade dos Amigos da Amazônia.

Serviço

o quê: Show “eMPathia”, com Mafalda Minnozzi e Paul Ricci

quando: Sábado, dia 28 de novembro, às 22h

onde: Teatro Manauara, Piso Burit, Manauara Shopping (Av. Mario Ypiranga Monteiro, 1.300, Adrianópolis)

quanto: Setor A - R$ 50 (meia) e Setor B – R$ 40 (meia) 

infos.: (92) 3342-8030

Publicidade
Publicidade