Publicidade
Entretenimento
Vida

Maior festival-escola de música erudita da América Latina terá presença de amazonenses

No total, cinco músicos amazonenses foram selecionados para participar da décima edição do Festival de Música de Santa Catarina (Femusc), em Jaraguá do Sul 19/12/2014 às 11:49
Show 1
Alison já esteve no festival, onde participou de aulas com Bart Claessens
Natália Caplan Manaus (AM)

Cinco músicos de Manaus foram selecionados para participar da décima edição do Festival de Música de Santa Catarina (Femusc), de 18 a 31 de janeiro, em Jaraguá do Sul. No total, o maior curso da América Latina reunirá 800 participantes, entre professores e estudantes, provenientes de 30 países. “O fato de o nível ser tão alto, atrai mais de 5 mil interessados para 600 vagas. A seleção criteriosa”, disse Alison Moura da Gama, 28.

O amazonense, que toca trombone baixo desde 2002, faz parte da Orquestra Experimental da Amazonas Filarmônica e da “Vozes”, da Universidade Federal do Amazonas (Ufam). Esta será a terceira vez dele na programação catarinense e as expectativas são de um estreante. “É um festival internacional, onde os professores são altamente gabaritados. É fantástico. É ótimo para trocar experiências sobre a realidade musical de outras culturas”, afirmou.

Prestes a se formar bacharel na área pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA), ele começou a tocar as primeiras notas em outros instrumentos, na fanfarra da escola. Depois, se inscreveu no Liceu de Artes e Ofícios Cláudio Santoro. Agora, investe em cursos fora do Estado. “Comecei a estudar com Wilson Toboite, mas ele se mudou para Brasília. Não tem professor de trombone baixo em Manaus”, enfatizou.

Diferentemente do trombonista e colega de filarmônica, Caíque André Carriel da Silva, 21, não apenas é caçula do grupo, mas “debutante” no Femusc. Há quatro anos, entrou no Cláudio Santoro para estudar contrabaixo. “Será muito bom aprender com professores renomados, adquirir experiência, conhecer gente nova. Meu sonho é conhecer Catalin Rotaru, da Romênia. Vou ter aulas com eles”, declarou ele, que está no período do curso de Música da UEA.

Além da dupla, o Amazonas também terá Fábio Carmo Plácido Santos (trombone), 35, Alex Teixeira (viola), 27, e Thalita de Freitas Azevedo (contralto), 32. A única mulher da caravana, inclusive, será uma das pioneiras no programa de canto lírico. “Esse ano, eles implantaram o curso livre de canto lírico. Participei de festivais de aprimoramento vocal em Curitiba. Como são na mesma época, escolhi este por ser novo, em um lugar diferente”, explicou.

Integrante do Coral do Amazonas há quase 13 anos, a cantora ficou em terceiro lugar na seleção do curso e está ansiosa para as aulas de técnica vocal, acompanhadas pelo pianista André dos Santos. “Sei o quanto ele conhece de música, será maravilhoso. É sempre bom se reciclar, conhecer novas propostas, professores diferentes. A minha intenção é aprimorar o meu trabalho”, enfatizou.

Estrelas

Em comemoração à primeira década de festival, no concerto especial de abertura a Orquestra Sinfônica do Femusc terá a participação de 50 músicos, de oito países latino-americanos: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Honduras, México e Peru. A regência será do maestro brasileiro Alex Klein (fundador e diretor artístico do evento), com a participação especial da solista Céline Imbert.

Entre os professores, os destaques são as participações das sopranos Céline (uma das solistas brasileiras mais celebradas) e Anna Häsler (cubana radicada na Suíça, que traz toda a tradição europeia), o barítono Gino Quilico (canadense com atuação regular na Metropolitan Opera, de Nova York) e o maestro e preparador de canto coral André dos Santos (que trabalhou na Ópera de Paris e em Los Angeles).

Programação

Além das personalidades convidadas, o público pode esperar grandes apresentações ao longo de duas semanas, em centenas de concertos. Por exemplo, a Orquestra Sinfônica do Femusc, formada por mestres internacionais consagrados e mais de cem jovens que passaram no crivo seletivo do festival, estará apresentando a 5ª Sinfonia de Dmitri Shostakovich, escolhida pelos próprios.

Haverá, ainda, mais uma noite especial de árias, quando a Orquestra Sinfônica apresentará a conhecida cantata “Carmina Burana” de Karl Orff.

Publicidade
Publicidade