Publicidade
Entretenimento
Vida

Malbec vai à Feira da Música de Fortaleza, em agosto

Banda foi selecionada para tocar em evento que é referência quando o assunto é música independente brasileira 25/07/2013 às 21:14
Show 1
Membros anunciaram que o próximo disco deve ser bem diferente de “Paranormal Songs”
Rosiel Mendonça Manaus, AM

Se no ano passado a banda Alaídenegão representou o Amazonas na Feira da Música de Fortaleza, este ano é a Malbec quem vai levar o nosso rock autoral à capital do Ceará. O evento, que em mais de uma década de atuação foi responsável por 765 shows com bandas de todo o País, está marcado para acontecer entre os dias 21 e 24 de agosto, no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. A Malbec se apresenta no terceiro dia da Feira, no Palco Rock.

“É sempre bom ter a oportunidade de mostrarmos nosso trabalho. Fortaleza, em especial, é uma cidade de onde temos recebido muitos contatos de fãs e pessoas que nos acompanham pelas redes sociais”, declarou o guitarrista e um dos vocalistas da Malbec, Zé Cardoso.

Segundo ele, durante o show na Feira da Música, a banda vai apresentar as músicas do disco “Paranormal Songs”, com possibilidade de entrar no repertório alguma composição do próximo álbum, já em fase de pré-produção.

Nova turnê


A Malbec também vai aproveitar a sua passagem por Fortaleza para iniciar uma turnê por outras cidades do Nordeste, como Natal, João Pessoa e Recife. Segundo Cardoso, as datas ainda estão sendo confirmadas. A exemplo da turnê que eles fizeram pelo Sul e Sudeste, em abril deste ano, a nova circulação vai acontecer em parceria com a plataforma Toque no Brasil (TNB), do Circuito Fora do Eixo.

O que vem por aí

Sobre o novo trabalho, ainda sem nome definido, o guitarrista adianta que a banda alugou um estúdio para que os músicos possam se dedicar, a qualquer momento do dia e da semana, à pré-produção do álbum. “Já estamos trabalhando nos arranjos de algumas músicas e pretendemos gravar para valer em novembro”, explica.

Segundo ele, o próximo disco deve ser bem diferente de “Paranormal Songs”. “Quando começamos, éramos um quinteto; agora, somos um quarteto, e isso pode contribuir para que as músicas saiam mais ‘clean’ e enxutas, valorizando as letras e a forma de cantar, sem abandonar a qualidade do instrumental”.

Publicidade
Publicidade