Publicidade
Entretenimento
Buzz

Mara Maravilha defende Feliciano, chama gays de aberração e critica cantora

A cantora evangélica esteve no programa Morning Show, da RedeTV!, na manhã desta segunda-feira (24), e falou sobre o projeto: “cura gay” 24/06/2013 às 13:42
Show 1
Mara Maravilha embarca em polêmica
acritica.com ---

E lá vem polêmica por aí: Mara Maravilha defendeu a postura homofóbica do pastor e deputado Marco Feliciano na TV.

A cantora evangélica esteve no programa Morning Show, da RedeTV!, na manhã desta segunda-feira (24), e falou sobre o projeto de lei do deputado conhecido popularmente como “cura gay”.

"O Feliciano está sendo que nem Judas, estão atirando pedra nele. Mas igual a ele, vou te assegurar uma coisa, muitos pensam como ele. Eu, particularmente, gosto muito e respeito muito o pastor Marco Feliciano. Eu acho, assim como ele, que todos nós podemos ter as nossas opiniões. Tá faltando uma democracia. Tem que se respeitar o gay, mas tem que respeitar também a opinião de quem não pensa igual a eles. Eu, por exemplo, tenho orgulho de ser mulher, de ser heterossexual. Mas isso não quer dizer que estou ofendendo quem é homo. Eu acho que o fato de não respeitar nossa opinião é preconceito. A gente pode ter opinião contrária, não?", declarou.

"Na verdade, quem vive preconceito somos sós, que não concordamos com essa aberração", continuou.

"Têm muitos pais, muitas mães, que não concordam com essa aberração. Eu não acho bonito nem um homem ou uma mulher, em público, ficarem se atracando. Tem coisa que é particular. Imagina duas mulheres ou dois homens, não acho bonito. Mas se acontece de eu presenciar uma cena dessas, eu não vou fazer baixaria. Eu simplesmente me retiro. Defendo a democracia, a liberdade de expressão", acrescentou a cantora.

Além da opinião sobre o deputado, Mara não citou nomes, mas comentou sobre a postura da cantora Daniela Mercury.

"Estranho é, de repente, uma cantora, porque é popular, forçar os jornalistas - porque aquele é o trabalho deles - e dar um beijo na boca de outra mulher, tirar fotos daquilo. Eu não concordo com essa aberração. Não estou falando generalizado... Mas dessas pessoas que pensam ‘vou dar um beijo na boca da minha companheira porque agora vou me promover com essa causa. Tem muita gente fazendo isso. Não dou muito tempo para daqui a pouco posar ao lado de um homem porque quer mais mídia", alfinetou.

"Eu acredito na cura do impossível. Acho que ser gay é uma opção, é uma escolha. Essa cura pode ser mental, espiritual, depende da forma. Eu mesmo já vivi vários tipos de cura na alma. Eu conheço muitos homossexuais que querem a cura. Na minha igreja mesmo. Dizem: "eu queria me ver livre disso". É de cada um", finalizou.

Publicidade
Publicidade