Quinta-feira, 12 de Dezembro de 2019
Vida

Marcela Tais inova com folk, blues e MPB para falar do amor de Deus

Sem clichês, cantora cristã apresenta canções com veia poética e alegre



1.jpg Marcela Tais se destacou no cenário musical gospel pela mistura de estilos
15/12/2015 às 11:26

“Todo mundo sonha, todo mundo chora, todo mundo já viu alguém que ama ir embora; Todo mundo sofre, todo mundo erra, todo mundo tem as suas próprias guerras”.

A primeira faixa do novo álbum de Marcela Tais, “Ame mais, julgue menos” já dá uma ideia do que não devemos esperar. Batizado de “Moderno à Moda Antiga”, o trabalho da cantora cristã é marcante pela veia poética e foge de clichês.



Diferentemente da maioria dos músicos gospel, o forte dela é justamente investir em estilos ainda não tão explorados pelo gênero: folk, blues e MPB. Sim, ela fala sobre amor e a importância de Deus. Porém, de uma maneira leve, que faz o ouvinte simplesmente fechar os olhos e sorrir. Com letras simples e alegres, cada canção leva a valorizar as “Pequenas alegrias” da vida e ter “Muita calma nessa alma”.

“Tecnicamente, musicalmente falando, eu poderia citar várias referências de estilos. Eu gosto muito do folk e de fazer misturas. Essa “mistureba” define bem — só que definir também é limitar (risos)”, disse a cantora, em entrevista feita pessoalmente. “Acho que é uma pitada de vários estilos, como reggae, MPB, pop, mas com um toque de Marcela Tais — toda essa alegria e esperança na vida”, completou.

Natural de Três Lagoas (MS), Marcela Tais completou 29 anos em outubro e assinou com a Sony Music em 2012. Formada em Letras, lançou o primeiro disco de maneira independente no fim do ano anterior. O título “Cabelo Solto” fez tanto sucesso, que foi relançado pela gravadora em 2013. Entre os sucessos do álbum de estréia estão as canções “Não tenho o dom” e “Menina não vá desanimar”.

“Minha mãe cantava e meu pai tocava. Eles se conheceram assim, na igreja. Então, eu vim de um lar muito musical. Canto desde criança. Eu sempre tive esse amor, cantava na igreja. Um dia, compus uma música sem pretensões, porque sempre gostei de escrever — mas era algo secreto, pessoal. Foi em uma brincadeira de amigos que nasceu ‘Não tenho o dom’ e ficamos espantados com o resultado”, lembrou.

O CD “Moderno à Moda Antiga” foi produzido em parceria com o cantor e produtor Michael Sullivan e lançado oficialmente em Manaus no último fim de semana, durante o “Escolhi Esperar Fest Manaus”. Ela, inclusive, é uma das representantes do movimento no País e até escreveu um música romântica sobre a mobilização, “Eu escolhi esperar”. Para 2016, a meta é ultrapassar as fronteiras.

“Eu tenho muitos planos, mas deixo o meu roteiro sempre frouxo para Deus fazer o que quiser. Músicas, clipes, shows, com certeza, teremos. E queremos gravar em outros idiomas. A gente recebeu um convite para gravar canções em espanhol e já estamos nos preparando. Com certeza, onde Deus mandar, eu irei”, declarou, ao ressaltar, porém, que o foco não é ser famosa. “Meu objetivo é alcançar o número máximo possível de corações”, enfatizou.

No fundo da alma

O canal da mato-grossense no Youtube (MarcelaTaisVEVO) para divulgar os clipes do álbum “Moderno à Moda Antiga” tem mais 1,7 milhão de visualizações e quase 42 mil inscritos. A canção “Ame mais, julgue menos”, apesar de não ser o carro-chefe é um dos mais assistidos. Os vídeos do CD anterior também têm números surpreendentes. Somente “Cabelo solto” já foi visto mais de 1 milhão de vezes. E essa canção marcou muitos jovens. “Não estou atrás de agradar alguém, mas de ajudar. Eu quero que a minha música inspire pessoas”, disse.

Entre e-mails, cartinhas, comentários nas redes sociais e eventos onde fala pessoalmente com o público, Marcela Tais conhece fãs que foram tocados pelas canções. Duas dessas histórias deixaram a cantora impactada. Focada no público jovem, ela lida diariamente com relatos de rapazes e moças com problemas de depressão — algumas adolescentes até que se auto mutilam —, e pessoas que foram fortalecidas a não desistir da vida, independentemente das circunstâncias.

“Uma pessoa estava indo para um lugar, pensando em tirar a própria vida, ouviu a minha música ‘Cabelo Solto’ na rádio. Ela diz: ‘cabelo solto, vento no rosto, o som ligado, Deus do meu lado’. A pessoa ficou constrangida ao ouvir aquilo e sentiu Deus do lado, sentado no banco do passageiro”, afirmou emocionada. “Recentemente, uma mulher que teve câncer, tirou os dos seios e cantou essa música todos os dias, enquanto esteve no hospital. Está sendo bem difícil, mas a música deu esperança a ela”, completou.

Projeto ‘Animal’

Apaixonada por animais desde criança, a cantora cristã Marcela Tais também tem ums aspiração particular, fora do cenário musical: resgatar o maior número possível de cachorros das ruas. “Tenho pretensão de ter um lugar bem grande e pegar todos os cachorros da rua. E eu tenho certeza que ainda vou resgatar muitos. Eu já peguei vários, uns sete (risos). Os que mais foram meus amigos, desde que eu era criança, foram esses. Pegamos para ficar conosco, não apenas cuidar”, revelou.

Perfil

Nome: Marcela Tais
Nascimento: 6/10/1986 (29 anos)
Origem: Três Lagoas (MS)
Discografia: “Cabelo Solto” (2011), “Moderno à Moda Antiga” (2015)
Redes sociais: Marcela Tais Oficial (Facebook), @marcelataisoficial (Instagram), @marcela_tais (Twitter)


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.