Segunda-feira, 27 de Janeiro de 2020
Dança

Mário Nascimento é o novo diretor do Corpo de Dança do Amazonas

O bailarino e coreógrafo pretende intensificar a atuação da companhia no cenário internacional



IMG-20191219-WA0000__2__2E5754A7-6474-4AAE-B086-4C7581CE314B.jpg Foto: Divulgação
09/01/2020 às 21:38

O ano de 2020 tem tudo para ser promissor para a cena artística do estado. Isso porque o bailarino e coreógrafo Mário Nascimento é o novo diretor artístico do Corpo de Dança do Amazonas (CDA) e seu desejo é utilizar seus mais de 30 anos de experiência ao longo de sua carreira na dança brasileira para promover a companhia na cena nacional e internacional.

Na avaliação do artista, ocorreu uma conexão com o Corpo de Dança do Amazonas desde o primeiro contato entre ele e o núcleo. “Eles se adaptaram muito bem ao meu trabalho em todos os aspectos. E afirmo que foi a companhia de Manaus que mais conseguiu interpretar meu trabalho, conforme planejei. Sem dúvidas, o Corpo de Dança está preparado para novos desafios”, declara Mário.



A convivência com a companhia de dança não será novidade para Mário. Em 2010, o CDA estreou “Cabanagem”, espetáculo de sua autoria inspirado na revolta popular de mesmo nome, protagonizada no período regencial por negros, índios e mestiços da região Norte do Brasil. Em 2012, o grupo de dança estrelou o espetáculo “Vazantes”. Desde então, o artista passou a ser um forte colaborador assíduo da cena artística do estado.

“Gosto muito da cidade de Manaus e sou muito curioso com a história da cidade. É um privilégio e uma honra poder contribuir com a arte da cidade, um lugar que tem uma cultura riquíssima, pois tem diversas formas de acessar a cultura, como por meio do Festival de Jazz, Festival de Ópera, teatro, o Casarão de Ideias e o movimento ‘Mova-se’, um dos melhores do País. Quero poder fazer essa cia. continuar evoluindo e crescendo para ir cada vez mais longe”, declara Mário.

Inovação

Mesmo sendo um coreógrafo atuante, Mário revela que pretende inovar e convidar outros coreógrafos do País para trabalhar com o grupo e ainda em 2020 quer produzir espetáculos assinados por duas coreógrafas brasileiras e uma internacional. “Existe certa hegemonia masculina na produção coreográfica brasileira, mas esse é o momento de empoderamento das mulheres em todas as áreas. Precisamos criar espaços favoráveis para expandir essa participação delas para que tenham destaque em nosso repertório”, garante Mário.

Além disso, o coreógrafo explica que deseja uma direção transparente e aberta, onde o diálogo entre todos os integrantes da companhia possa prevalecer. “Quero estabelecer uma direção pautada na proximidade com o artista e considero que um bom líder precisa estar aberto ao diálogo. Vamos crescer juntos”, destaca o diretor.

Atualmente, Mário vivencia uma internacionalização de seu trabalho, como criador e intérprete, através de três projetos em andamento. Com isso, o diretor afirma que o Corpo de Dança faz parte da sua agenda de compromissos internacionais. “Vou levar o CDA como se fosse minha cia, para o mundo. Quero fortalecer a presença internacional do grupo, já reconhecido entre as grandes companhias oficiais do Brasil”, acrescenta Mário.

Produção

De acordo com Mário, toda a programação já prevista anteriormente para o grupo será devidamente cumprida. Em fevereiro, o Corpo de Dança participa do Festival de Jazz, onde irá contar com o apoio do bailarino e coreógrafo Rui Moreira, o que Mário Nascimento considera uma lenda da dança brasileira.

Em seguida, o diretor começará a colocar em prática a elaboração de uma montagem, prevista para estrear em junho deste ano. Além disso, a companhia também tem agenda para cumprir em São Paulo, no Festival de Ópera. Para o segundo semestre, o foco é planejar a participação no Festival Internacional de Dança de Recife, que acontece em outubro.

“Vou usar todos os meios para a cia. continuar crescendo tanto no cenário nacional como internacional. Também vamos investir para difundir a arte por meio da dança no interior do estado e demais centros culturais da cidade”, garante Mário.

Perfil

Mário NascimentoNascido em Cuiabá (MT), Mário Nascimento iniciou sua carreira em São Paulo e já possui mais de 30 anos de carreira. Desde 2002 vive em Belo Horizonte (MG), onde fundou a própria companhia de dança - a Cia. Mário Nascimento – uma das mais expressivas da dança contemporânea brasileira.

Frase

“Quero fortalecer a presença internacional do CDA, já reconhecido entre as grandes companhias oficiais do Brasil”, Mário Nascimento

Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.