Publicidade
Entretenimento
Vida

Memória do Centro Histórico de Manaus é tema de exposição na Galeria do Largo, no Centro

A exposição "Registros Urbanos de Fernando Júnior - A vida passa pela frente" tem início na próxima quinta-feira (9) a partir das 16h, o acesso é gratuito 07/10/2014 às 15:37
Show 1
A entrada na exposição é gratuita, acontece da terça ao domingo das 16h ás 21h
ACRÍTICA* Manaus (AM)

A Secretaria de Estado de Cultura (SEC) promove a exposição “Registros Urbanos de Fernando Júnior – A vida passa pela frente”, na Galeria do Largo, localizado no Largo de São Sebastião, Centro.

A mostra, que estará aberta ao público entre os dias 9 de outubro e 30 de novembro, apresentará parte da memória do Centro Histórico de Manaus, através de imagens dos palácios, praças, ruas de pedras e tudo mais que marcou esse período da capital amazonense.

Os visitantes poderão conhecer, através dos desenhos feitos por Fernando Júnior, os costumes e as edificações urbanas e arquitetônicas da moradia popular na beira do rio dos antigos moradores do Centro de Manaus. Eles terão acesso ainda a detalhes e peculiaridades de casas, barcos, janelas e portas que emolduravam o cenário urbano de Manaus naquele período.

“Através dessa mostra, o visitante vai mudar a ideia que tem em relação ao Centro de Manaus. Após conhecer essas pinturas e desenhos será impossível ver o Centro da mesma maneira. O papel da Secretaria de Cultura não é apenas promover ações culturais, mas criar um senso crítico e histórico em cada cidadão”, afirmou o secretário de Estado de Cultura, Robério Braga.

Um dos detalhes da exposição é a apresentação de fachadas de casas e prédios antes que elas passassem pelo processo de modernização da capital amazonense.  De acordo com o que o artista retrata em sua obra, essas fachadas hoje estão cobertas com placas de neón e plástico, divulgando lojas, centros comerciais.

Segundo o artista plástico e dramaturgo, Sérgio Cardoso, que também é curador da exposição, o artistas está preparando futuras gerações para criar uma memória urbana e emotiva do que Manaus já foi no passado. A entrada é gratuita e o acesso será de terça-feira a domingo, sempre das 16h às 21h.


Publicidade
Publicidade