Quarta-feira, 22 de Maio de 2019
Vida

‘Moda de Cabide’ reaproveita roupas usadas e ajuda a não gastar muito para se vestir bem

Estudantes de design criaram o projeto “Moda de Cabide”, com objetivo de transformar roupas usadas e deixá-las com a personalidade do cliente



1.jpg
Utilizando recursos como aplicações, tingimento e corte, é possível modificar a aparência das peças e reaproveitá-las
13/07/2015 às 10:01

Quem nunca precisou reformar ou personalizar uma roupa usada para reaproveitar a peça? Foi assim, a partir da reutilização do que já se tem em casa, que surgiu a ideia de um grupo de estudantes de design, durante um projeto da faculdade. Os alunos Alex Borges, Alessandra Claudine e mais duas colegas criaram o projeto “Moda de Cabide”, com objetivo de transformar roupas usadas e deixá-las com a personalidade do cliente, dentro das tendências da moda atual. E o melhor: com preços baixos!

“Quando iniciamos o projeto, fizemos uma pesquisa e o resultado apontou que a população das classes B e C são as que mais consomem moda, mas tem dificuldade de acompanhar todas as tendências pela situação financeira. Então decidimos oferecer um serviço que levasse moda a todos , sem pesar muito no bolso do cliente” contou Alessandra.

Deu certo!

O projeto foi testado durante uma feira de empreendedorismo na Universidade Federal do Amazonas (Ufam), com roupas nas temáticas regional, rock e romântica que, para alegria dos estudantes, ganhou o público que passava pela feira, fazendo com que Alex e Alessandra decidissem continuar com o empreendimento.

De acordo Alessandra, o “Moda de Cabide” funciona da seguinte maneira: o cliente leva uma peça de roupa que quer que seja personalizada, eles desenvolvem a customização de acordo com as ideias que o cliente já tem em mente, levando em consideração personalidade e as tendências da moda atual. “Quando o cliente entra em contato, procuramos saber o que exatamente ele quer, depois fazemos um projeto em cima das ideias dele, caso ele aprove, partimos para a personalização”, explica.

Todas as peças são customizadas por eles, que cobram entre R$ 20 e 70, dependendo da personalização. Existe ainda, venda de camisetas e peças já confeccionadas para pronta entrega, além de um serviço de consultoria de moda. “As personalizações feitas nas peças trazidas pelo cliente acabam sendo mais baratas", reforça Alessandra.

Para investimento inicial, Alessandra conta que com aproximadamente R$ 500, é possível começar a fazer roupas customizadas, podendo triplicar o valor com as vendas. “Com algumas peças, acessórios e muita criatividade, uma pessoa já pode começar a trabalhar”. Ela esclarece que as peças precisam ser de qualidade, tanto de material utilizado, quanto no que diz respeito a moda. “E preciso ficar atento às tendências, para não usar detalhes que podem comprometer o resultado final do produto”, alerta.

Por enquanto o Moda de Cabide atende os clientes através das redes sociais Instagram e Facebook, e também pelo telefone 98201-1287. O site da marca será lançado em breve.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.