Publicidade
Entretenimento
Fama

À base de vodca e espuma de gengibre, Moscow Mule é o drinque da vez em Manaus

Um clássico dos anos 50 nos Estados Unidos, bebida ganhou releituras nos bares e restaurantes da capital 17/06/2016 às 16:28 - Atualizado em 17/06/2016 às 16:56
Rosiel Mendonça Manaus (AM)

Exótico, refrescante e tradicionalmente servido em uma caneca de cobre, o Moscow Mule é o drinque da vez em alguns bares e gastropubs de Manaus. Quem entende do assunto, como o mixologista Rogério Simioni, conta que foi essa bebida que ajudou a popularizar a vodca nos Estados Unidos entre as décadas de 1940 e 1950. Também conhecido como Tomate, Simioni é o atual barman do Barollo e um dos primeiros a prepararem o coquetel na capital amazonense.

“Esse drinque é um clássico, foi lançado nos anos 40 logo após a lei seca nos EUA. Ele surgiu da parceria entre dois donos de bares de lá: um tinha um grande estoque de vodca, e o outro, um grande estoque de cerveja de gengibre”, conta. E foi assim, com a adição de suco de limão e xarope de gengibre à receita, que surgiu o Moscow Mule.

O drinque deu as caras em Manaus em 2013, com a inauguração do restaurante Belle Époque. Na época, Marcelo Serrano (Brasserie des Arts/SP), um dos maiores mixologistas brasileiros, foi contratado para elaborar o cardápio de bebidas da nova casa, e Tomate veio com ele para ser chefe de bar.

“O Moscow Mule que fazemos aqui é o mesmo criado no Brasserie, em 2012. O lance do drinque original estadunidense é a espuma que surge da fermentação da cerveja, deixando a bebida mais cremosa, como um chopp. Mas como é difícil achar cerveja de gengibre no Brasil, adaptamos a receita e substituímos a cerveja por uma espuma de gengibre preparada num sifão. Quando trouxemos para cá, só fizemos adaptar esse ingrediente para o clima da cidade”, completa Tomate.

Ele acrescenta que cada barman tem a sua própria receita para essa espuma, e diz não revelar a dele nem à própria mãe. Hoje, o Moscow Mule de Simioni pode ser encontrado não só no Barollo (R$ 18), mas também na Barbearia Don Valiante e, a partir da próxima semana, no King Sushi Bar.

VARIAÇÕES

A caneca de cobre é um atrativo visual a mais no Moscow Mule, além de deixar a bebida gelada por mais tempo. Mas não é todo cliente que devolve o item ao final dos “trabalhos”. “Já passei por isso”, ri Rogério Simioni, ao confirmar o sumiço de algumas canecas no Barollo.

No Belle Époque, a caneca virou um item de colecionador e traz o símbolo do drinque gravado no cobre. A exemplo de outros bares do Rio de Janeiro e São Paulo, no entanto, o cliente pode levá-la para casa pelo valor de R$ 180. O barman Ítalo de Paula conta que elas são importadas dos EUA, por isso o preço salgado.

No restaurante, o Moscow Mule é um hit desde o início. Na casa, além da versão elaborada por Marcelo Serrano e Tomate (R$ 20), é oferecida uma variação com licor de amêndoas, também criada pelo mixologista do Brasserie. Esta última, vendida a R$ 22, leva vodca de laranja e é um pouco mais adocicada.

Desde a semana passada, o Cent Beer oferece nada menos que oito variações do Moscow Mule, todos vendidos ao valor de R$ 22. O drinque também é um carro-chefe do bar, que tem como outra grande aposta o Aperol, um dos mais vendidos na Europa.

No caso da bebida da caneca, as opções são o Mango Mule, Morango Mule, Bermuda Mule, etc. O que muda é o ingrediente principal, que no lugar da vodca pode ser tequila ou rum. “A gente chega a vender de 90 a 100 Moscow Mules numa noite”, informa o barman Eduardo Cavalcante.

No Precioska, o drinque é vendido a R$ 20 e está na carta de bebidas desde o primeiro dia de funcionamento. “Nós já conhecíamos o drinque, e o Ed, o barman que trabalha com a gente, pegou o treinamento com o Marcelo Serrano”, lembra Marcelo Russo, um dos sócios do lugar, um misto de restaurante e lounge.

A pedido da reportagem, o Precioska harmonizou o Moscow Mule com uma das entradas do cardápio, especializado em gastronomia contemporânea. Os pratos escolhidos foram as tapas de polvo e tartar de salmão. Agora é partir para o brinde!

Serviço

O quê: Precioska / Onde: Avenida Rio Jamary, 28, Vieiralves

O quê: Barolloonde / Onde: Rua Rio Ituxi, 290, Vieiralves

O quê: Cent Beeronde / Onde: Rua João Valério, 708 (Shopping Mirage), Vieiralves

O quê: Belle Époque / Onde: Shopping Ponta Negra

Publicidade
Publicidade