Sábado, 07 de Dezembro de 2019
Vida

Mudanças de hábitos para prevenir o surgimento do câncer

No Dia Mundial do Câncer, Fundação Cecon faz alerta para necessidade de adoção de hábitos mais saudáveis de vida pela população para evitar fatores de risco



1.jpg Incidência do câncer de mama no Amazonas ainda preocupa
---
04/02/2013 às 14:00

Medidas como abandonar o fumo e se alimentar de uma forma mais saudável afastam fatores de risco da ocorrência do câncer.  Na data escolhida para ser o Dia Mundial do Câncer , 4 de fevereiro, a Fundação Centro de Controle de Oncologia do Amazonas ( FCecon) faz um alerta à população: é necessária a mudança de hábito para afastar fatores de risco das neoplasias. Só em 2012, foram registrados na instituição, 943 novos diagnósticos.

Mesmo que o número represente  uma redução no comparativo com 2011  de 26% ( passou de 1.275 para 943), há tipos específicos de câncer que ainda preocupam como o de próstata, o primeiro em incidência entre pessoas do sexo masculino, que apresentou um aumento de 24,1% no período, passando de 116 novos diagnósticos em 2011 para 144 em 2012. Os índices de câncer de colo de útero e de mama, os dois mais comuns na população feminina, também continuam altos. O primeiro teve 107 casos registrados em 2012 e, o segundo, 160. Estes dados correspondem apenas aos casos diagnosticados no Laboratório de Anatomia Patológia da FCecon.



O diretor-presidente da Fundação, Edson de Oliveira Andrade, explica que o número de casos no Estado é superior ao divulgado pela FCecon, visto que há unidades privadas que também realizam o diagnóstico e tratamento do câncer no Amazonas. Além disso, uma parcela dos pacientes que dão entrada na fundação é oriunda de outros estados, como Rondônia, Roraima, e até de países fronteiriços.

Cirurgia de alta complexidade

Dados da Secretaria Estadual de Saúde (Susam) mostram que das 2.223 cirurgias realizadas no ano passado na Fundação Cecon, 70,7% foram de grande porte, ou seja, de alta complexidade. O número representa um aumento de 6,5% frente aos procedimentos cirúrgicos ocorridos em 2011, os quais totalizaram 2.087.

Entre cirurgias e sessões de quimioterapia e radioterapia, os três principais tipos de tratamento contra o câncer oferecidos pela fundação, foram registrados 6.192 atendimentos na unidade (1.767 de quimioterapia e 2.202 de radioterapia). Além deles, oito mil atendimentos foram realizados pela equipe de Terapia da Dor e Cuidados Paliativos, grande parte em domicílio.

 Mudança de hábito

Edson de Oliveira Andrade destacou que afastando os fatores de risco do câncer, reduz-se o risco de contrair a doença. “Uma má alimentação, por exemplo, favorece o aparecimento da doença no sistema digestivo. Substituir alimentos enlatados e com alto índice de conservantes por fibras e abandonar o fumo são algumas das medidas preventivas neste caso”, informou o especialista em pneumologia.

Ele explica, ainda, que no caso das mulheres, o exame de Papanicolau deve ser realizado anualmente, bem como o de mama a partir dos 40 anos, conforme preconiza a Organização Mundial de Saúde (OMS). “O preventivo pode detectar lesões precursoras da doença, evitando que ela apareça. O câncer de colo de útero, cujo Amazonas é o primeiro em incidência no País, é 100% prevenível”, assegura.

Sobre o câncer de mama, que em nível de Brasil é o primeiro entre pessoas do sexo feminino, e no Amazonas é o segundo, ele ressalta que, embora não haja prevenção, a mamografia detecta a doença na fase inicial, o que, com o tratamento adequado, pode evitar, por exemplo, a perda total da mama (mastectomia radical).

Para os homens, ele destaca a importância do exame de toque retal e dosagem de uma proteína do sangue (PSA), através de exame de sangue. Esses exames estão disponíveis na rede pública de saúde, que vem recebendo investimentos para a ampliação da oferta, a partir do esforço do Governo do Estado, via Susam. Prova disso, é a aquisição de novos aparelhos de mamografia, que serão instalados em municípios-polo, reforçando a área da atenção oncológica.

Câncer infantil

No caso do câncer infantil, a oncopediatra Miyuki Guemba afirma que a atenção deve ser redobrada, uma vez que os sintomas da doença são parecidos com enfermidades comuns na infância e podem chegar a confundir os pais.

Segundo a oncologista pediátrica da FCecon, Doutora Miyuki Guemba, anemia, febre prolongada, dores ósseas, falta de apetite, fraqueza, dores abdominais e cefaléia (dor de cabeça) podem pedir um pouco mais de atenção dos pais do que o habitual. Ela ressalta que o reconhecimento e o diagnóstico precoce podem aumentar as chances de cura do paciente. “A maior dificuldade em realizar o diagnóstico do câncer infantil é que os sintomas são muito semelhantes aos das doenças comuns da infância”.

A especialista explica que entre os tipos de câncer mais comuns em crianças e adolescentes estão os tumores líquidos (a exemplo das leucemias - que afetam os glóbulos brancos - e linfomas – no sistema linfático -, seguidos dos tumores sólidos (do sistema nervoso central, tumor de Wilms - tipo de tumor renal -, neuroblastoma - tumor de células do sistema nervoso periférico, frequentemente de localização abdominal -, rabdomiossarcoma, osteossarcoma - tumor ósseo -, sarcoma de Ewing (câncer ósseo), retinoblastoma - afeta a retina, fundo do olho -, carcinoma de nasofaringe – na região da cabeça e pescoço -, entre outros).

(*) Com informações da assessoria de imprensa


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.