Segunda-feira, 22 de Abril de 2019
publicidade
1.jpg
publicidade
publicidade

Vida

Muito 'tompêro': as conquistas do chef francês Erick Jacquin

A Amazônia o intriga tanto que ele escolheu a região para celebrar a união com a esposa. O chef se casará em outubro e passará a lua-de-mel no hotel de selva Anavilhanas Jungle Lodge, no Amazonas


20/09/2015 às 11:41

Na cozinha ele começou cedo: entre 16 e 18 anos, o francês que nasceu na pequena cidade de Dun Sur Auron, já estava trabalhando nas cozinhas de Paris. Com 30 anos de idade, o chef mudou-se para São Paulo. Há 20, ele chama o território brasileiro de lar. É do chef Erick Jacquin que estamos falando. Considerado por muitos como o jurado mais severo do reality show Masterchef Brasil, que terminou semana passada com explosão de audiência, ele mostra o porquê tem a alta carga de exigência que lhe atribuiu fama na hora de julgar – e cozinhar.

O chef, que esteve ontem em Manaus para ministrar uma aula-show no Pátio Gourmet, revelou ao VIDA & ESTILO que decidir quem seria o campeão da segunda edição do reality foi bem difícil. “Experimentamos o cardápio de cada doce. A Isabel merecia [ganhar], mas foi por pouco, muito pouco, a escolha. Foi uma decisão muito difícil de tomar. O que aconteceu é que o acompanhamento do Raul, a meu ver, estava muito simples. Podia ser um pouquinho mais elaborado. Não estava ‘Masterchef’”, declara Jacquin.

A Amazônia o intriga tanto que ele escolheu a região para celebrar a união com a esposa. O chef se casará em outubro e passará a lua-de-mel no hotel de selva Anavilhanas Jungle Lodge, no Amazonas. “Eu acho que é um lugar completamente diferente. Não tem lugar mais natural e selvagem que a Amazônia, por isso que escolhi aqui. Gosto muito da região, tenho muito respeito por essa natureza, que é a pura beleza dos deuses”, confessa ele, que é consultor de gastronomia do bistrô Belle Époque.

Perfil

Erick Jacquin é uma das mais luminosas personalidades da cozinha francesa no Brasil. Foi por meio dele que o famoso “bolinho morno recheado” chamado petit gâteau chegou ao Brasil. Ainda muito jovem, cursou a École Hôtelière Saint Amand Monrond, e depois decidiu ir rumo à capital francesa. Ele veio para o Brasil após receber um convitel para comandar o restaurante Le Coq Hardy.

Em 1998, Jacquin, por coincidência no dia do seu aniversário, recebeu o título de “Maître Cuisinier de France”, considerado o maior mérito da alta gastronomia da França. Antes mesmo de vir para o Brasil, ele também ganhou sua primeira estrela no guia Michelin, em 1995. Atualmente, Erick está à frente do restaurante La Brasserie Erick Jacquin, em São Paulo, onde revive todos os tatos da alta gastronomia francesa.

Seguidores

O comportamento exigente e sincero de Jacquin como avaliador, ao invés de afastar as pessoas, atraiu uma legião de fãs. Uma delas é a administradora Larissa Mayumi, 24. Ela, que também tem uma empresa de doces, a Petit Doces (@petit.doces), o define nada mais, nada menos como “fofo”. “Admiro a coragem que ele teve de largar o seu país, que tem uma cultura culinária muito forte, e vir para o Brasil”, declara ela, que aprendeu a ler o chef pela televisão. “Sei que quando ele vai provar o prato e ele acaba gostando, ele começa a comer toda a comida”, destaca. Larissa, inclusive, já preparou a tão famosa receita do petit gâteau dele. “Ficou deliciosa”.

Receita

Petit Gâteau do Erick Jacquin

Ingredientes

5 ovos inteiros

5 gemas

170 g de açúcar

100 g de farinha de trigo

250 g de chocolate meio amargo

250 g de manteiga sem sal

Modo de preparo

1 - Derreta o chocolate com a manteiga em banho-maria.

2 - Em uma batedeira, bata as gemas, os ovos inteiros, o açúcar e depois junte a farinha peneirada.

3 - Unte com manteiga sem sal quatro pequenas fôrmas redondas antiaderentes de 6 cm de diâmetro e reserve em uma assadeira em lugar fresco.

4 - Adicione o chocolate derretido à mistura das gemas até obter uma massa homogênea.

5 - Coloque a massa nas fôrmas e asse em forno préaquecido a 180 graus por 4 minutos. (FORNO MÁXIMO - assim que estiver com a superfície assada).

6 - Desenforme e polvilhe açúcar de confeiteiro. Sirva com uma bola de sorvete de creme.

7 - Decore com hortelã.

Obs: Se a massa estiver na geladeira, tirar 40 minutos antes para que esteja na temperatura adequada para ir ao forno. Untar somente com manteiga as forminhas. Nunca deixe a massa já na forminha na geladeira. Dificulta na hora de desenformar. Tempo de validade na geladeira crua = 5 dias.

O tamanho da forma é fundamental para que o petit gâteau esteja assado por fora e por dentro esteja fluido.






publicidade
publicidade
Contratos de patrocínio da Petrobras passam por revisão, diz Bolsonaro
Festa nordestina no CSU do Parque Dez marca aniversário de associação
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.