Publicidade
Entretenimento
Vida

Música: artistas amazonenses lutam por valorização

Mesmo com pouco espaço, pelo amor à arte, eles batalham por lugar ao Sol 19/05/2015 às 15:20
Show 1
O projeto atual de Christian Gama é um “Especial Chico Buarque”, que ele mesmo está produzindo e deve estrear em breve
Vanessa Marques Manaus (AM)

Manaus é uma cidade que respira atrações culturais. Alguns locais e artistas são conhecidos do grande público enquanto outros, apesar do longo tempo de estrada passam despercebidos. O MANAUS HOJE foi conhecer alguns desses artistas e descobriu o que os move em uma carreira nem sempre promissora.

Com mais de 20 anos de carreira a cantora Edna Oliveira, conhece bem a rotina de quem canta em bares de Manaus. Ela iniciou em 1992, cantando boleros em barzinhos e na Ponta Negra. “Fiquei uns três anos cantando na Ponta Negra, quando existiam os bares na parte de cima da praia, nessa época cantei com muita gente boa”, lembra a cantora, que mudou de cidade para casar e ter filhos, mas não ficou longe dos palcos. ”Morei por oito anos em Caracaraí (RR) e lá cantava nos bailes nos finais de semana”.

Quando retornou a Manaus, ela montou o grupo “Som dos Manos”, em parceria com os irmãos Francisco Silva “Tim Maia” e Edmilson Silva “Ferreth”. Eles gravaram um CD em 2012, intitulado “Por te amar tanto assim”, com sucessos da MPB em ritmo de bolero e uma música autoral.

Foto: Clóvis Miranda

Assim como a irmã, Ferreth e Tim Maia são artistas experientes, com mais de 30 anos de carreira. Nos anos 80 eles formaram o grupo “Comodoros”, um dos primeiros a tocar pé de serra em Manaus. Ferreth, já integrou as bandas Força Verde, Raízes Caboclas, e tocou em bares de Manaus, Porto Velho e Boa Vista. Por ser um músico versátil no violão, guitarra e teclado, Tim Maia já participou das bandas como MCS, Flash e Os Embaixadores. Desde que se formaram o Som dos Manos, o grupo tem feito mais de 20 shows por mês. Eles têm shows agendados em Presidente Figueiredo, no dia 27 e em Borba no dia 30 de maio.

Outro artista que ganha a vida com shows em bares de Manaus é o músico Christian Gama, que canta na noite a 17 anos. Nascido em Tefé, e morando em Manaus desde 2008, onde divide a vida de funcionário público com a de artista de barzinho. Com um repertório voltado para a MPB que incluem sucessos de Cazuza, Djavan e Caetano Veloso.

Ele aprendeu a tocar violão, contrabaixo e teclado na infância e aos 17 anos gravou o CD “Fora do ar” com algumas canções próprias “Nessa época eu ainda morava em Tefé e depois do CD, comecei a fazer shows na cidade e em algumas cidades do interior” lembra.

Em 2008 com a mudança para Manaus, lançou o CD “Por Amor”, também com músicas autorais e de compositores locais, o que deu a ele espaço para tocar com artistas locais e se apresentar nos bares. “Eu cheguei a participar de alguns programas de televisão, o que dava divulgação para os shows”. Atualmente, Christian está produzindo um Especial Chico Buarque, que deve estrear em breve.

Experiência que dá prêmio

Os irmãos Edna, Ferreth e Tim Maia, também são experientes em paticipações em festivais de música. Eles já participaram do Fecani, Sesc, e Ufam. Em Roraima, Edna já venceu um festival com composição de Ferreth.

Publicidade
Publicidade