Quinta-feira, 21 de Novembro de 2019
Novo trabalho de Nicolas Jr

Nicolas Jr lança novo trabalho intitulado ' Mãos'

Show de lançamento do novo álbum do ' Menestrel do Norte' será no dia 05 de julho, no Teatro Amazonas, com entrada franca



1.png O repertório do show contará também com alguns sucessos antigos de Nicolas Jr
04/06/2013 às 11:39

Depois de anos de um intenso processo de pesquisa, o cantor e compositor Nicolas Júnior apresentará o seu novo álbum, intitulado “Mãos”, dia 05 de julho, às 20h, no Teatro Amazonas. A obra é o resultado de uma pesquisa sobre os gênios que usaram suas mãos para mudar a humanidade – como escritores, arquitetos e pintores.

Entre os nomes homenageados estão Amedeo Clemente Modigliani (1884 -1920), Bertrand-Jean Redon (1840 - 1916) e Le Corbusier (1887 - 1965) – todos foram artistas plásticos.



Aposta

Neste trabalho, o artista tentou deixar de lado o humor crítico presente nos álbuns “Divina Comédia Cabocla 1 e 2”, que o consagrou com um dos grandes compositores da região. “A ideia primária era fazer algo totalmente diferente, que não lembrasse em nada o anterior, mas revi os meus conceitos e entendi que precisava de alguns elementos que fizessem a transição de um trabalho para o outro. O humor aparece sim em algumas canções”.

A maior dificuldade de Júnior, após concluir a obra, foi reformulá-la para que não ficasse complexa demais. “Talvez as pessoas pudessem não curti-la. O trabalho para ter êxito precisa se comunicar com o público. Não via isso no disco quando terminei a pesquisa, então o reformulei e misturei com coisas mais leves, como ‘Redes sociais’, que é uma música que trata de temas que remetem à nossa sociedade, algo muito parecido com o ‘Divina Comédia Cabocla’, que foi a tônica do meu trabalho”.

Faixas

Ao todo, “Mãos” conta com 18 músicas, entre elas “NNA Ó”, que remete aos gênios que se dedicaram ao estudo da mente humana; e “O cego”, que destaca a literatura, em particular do livro “Ensaio sobre a cegueira”, de José Saramago.

“Exploro vários ritmos neste disco, como fiz nos anteriores. Não gosto de álbuns muito lineares, pois têm a tendência de se tornarem maçantes. Nesse trabalho há blues, bumba-meu-boi, baião, samba, fado, reggae. É, na verdade, um apanhado de vários ritmos. Não tenho preconceitos rítmicos. Gosto de explorar todos”.

Repertório

No show de lançamento, o cantor irá tocar todas as músicas de “Mãos”, com arranjos originais, sendo acompanhando por uma banda completa. “Também irei tocar algumas músicas dos trabalhos anteriores, que o público já conhece, como ‘Feira da Panair’, ‘Geyzislaine, meu amor’, ‘Rubenilson’, entre outras. É praticamente impossível não tocar as antigas, porque o público sempre pede, e o pedido do público para mim tem a força de uma lei. Eles pedem, eu os obedeço”.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.