Publicidade
Entretenimento
Vida

Nova safra de poesias: Diego Moraes lança livro na Balada Literária, em São Paulo

Em breve o poeta também estará em uma coletânea da Ediciones Outsider, da Argentina. Diego que vai colaborar com o conto “Turn Away”, já publicado em revistas literárias brasileiras 12/11/2015 às 11:15
Show 1
Diego Moraes é criador da Flipobre e autor de “Um bar fecha dentro da gente”
Rosiel Mendonça Manaus, AM

Depois de anunciar no Facebook que largaria a poesia para fazer cinema, agora o escritor amazonense Diego Moraes surge com uma nova obra. No próximo dia 20, ele lança em São Paulo o livro “Eu já fui aquele cara que comprava vinte fichas e falava ‘eu te amo’ no orelhão” (Corsário-Satã), durante a Balada Literária. A obra reúne poemas inéditos do autor, que faz das confissões de amor e de cenários como o bar, a zona e a escola matéria-prima para o lirismo.

“Minha relação com a poesia sem foi de amor e ódio. Ela tapa alguns buracos existenciais, mas não enche barriga”, admitiu Diego em entrevista ao BEM VIVER. “Descobri que é impossível abandonar a poesia. É uma doença crônica na minha vida. É uma mulher muito ciumenta”. Mas ele adianta que o sonho no cinema será realizado em breve.

Segundo Diego, o diretor Gustavo Serrate, de Brasília, está captando recursos para contar no cinema a “temporada tenebrosa” que o poeta viveu em São Paulo em 2003, quando chegou a morar na rua. No blog “Ponto Cego”, Serrate publicou um texto em que conta a história do amazonense de poesia “suja, brutal, mas repleta de sensibilidade e lirismo”.

Publicações

A Corsário-Satã é a terceira editora experimental a publicar uma obra de Diego. Depois de lançar “Saltos ornamentais no escuro” por conta própria, ele foi publicado pela Bartlebee (“A fotografia do meu antigo amor dançando tango”, de 2012, e “A solidão é um deus bêbado dando ré num trator”, de 2013) e pela Douda Correria (“Um bar fecha dentro da gente”, de 2015), de Portugal.

“Em pequenas editoras você mesmo faz sua publicidade, divulgando trechos em redes sociais e esperando que amigos colaborem compartilhando em sites e revistas. Já nas grandes, você sai na grande mídia. A editora banca tudo, desde participação em feiras a programas de tevê”, compara.

Em breve o poeta também estará em uma coletânea da Ediciones Outsider, da Argentina. Diego que vai colaborar com o conto “Turn Away”, já publicado em revistas literárias brasileiras. “O grande barato dessa antologia é a tradução, ser lido em outra língua. É a possibilidade de aumentar o número de leitores e expandir meu lirismo”, comemora.

Flipobre

Um dos idealizadores da Flipobre, primeira feira literária realizada totalmente pela Internet, Diego Moraes diz que não participou ativamente da segunda edição, promovida no mês passado. “Adoeci e tive que ficar algumas semanas longe da Internet, mas a feira continua viva, atraindo o público da Web e divulgando novos autores”.

Ele revela que um dos planos da organização inclui a realização de edições físicas em municípios com poucos habitantes. “Queremos levar a literatura para lugares onde falta comida, água e livros”.

Serviço

o que é: Lançamento de “Eu já fui aquele cara que comprava vinte fichas e falava eu te amo no orelhão”, de Diego Moraes

quando: Dia 20, às 20h30

onde: Centro Cultural B_arco, São Paulo

quanto: R$ 30

infos: Compras pelo e-mail corsariosata@gmail.com ou pela página da editora Corsário-Satã no Facebook


Publicidade
Publicidade