Quarta-feira, 17 de Julho de 2019
Vida

Novo boi na arena: terceiro bumbá deve se apresentar no Festival de Parintins de 2014

A última aparição do boi Campineiro aconteceu na edição do 18º Festival, no ano de 1983, no antigo Tabladão do Povo, local onde está situado o atual Bumbódromo



1.jpg Bumbá cinza e com sol na testa quer que os 'neutros' simpatizem pelo boi que segue as tradições originais do boi-bumbá.
08/07/2013 às 09:10

O boi Campineiro, o terceiro bumbá de Parintins, deverá fazer uma apresentação especial no Festival Folclórico de 2014. A participação do boi verde e amarelo na festa está atualmente em estudo pela Secretaria de Estado da Cultura (SEC). O anúncio foi feito pelo titular da pasta, Robério Braga, durante o lançamento do livro “Boi Campineiro, a história do Festival de Parintins que não foi contada”, de autoria do jornalista de A CRÍTICA, Jonas Santos, durante as comemorações pelo centenário dos bois na Ilha Tupinambarana.

“Estamos avaliando essa possibilidade de o boi Campineiro, do Camoca, fazer uma apresentação especial no Festival do ano que vem. Seria uma apresentação do boi tradicional”, afirmou o secretário. O lançamento da obra, que aconteceu na última semana, no Centro Cultural e Desportivo Amazonino Mendes (Bumbódromo), e contou ainda com a presença do vice-governador José Melo.

Na disputa

A última aparição do boi Campineiro aconteceu na edição do 18º Festival, no ano de 1983, no antigo Tabladão do Povo, local onde está situado o atual Bumbódromo. O tabladão tinha o piso com suporte de madeira, contornado por lances de arquibancadas e camarotes. Na cerimônia Jonas revelou que boi Campineiro foi excluído da disputa oficial porque houve uma trama da parte de dirigentes de Caprichoso e Garantido, que o eliminou da festa.

“Em 1983, o Garantido disputou o festival somente com o Campineiro porque o Caprichoso se recusou a participar do confronto, alegando questões de regulamento. Dissidentes dos bumbás, azul e vermelho se uniram e fizeram um boi bonito, que disputou em igualdade de condições com o Garantido”, disse o escritor.


O Garantido, de acordo com ele, venceu neste ano, mas o show apoteótico do Campineiro repercutiu como uma ameaça para as duas agremiações que já dividiam a preferência da torcida em Parintins.

“Os dirigentes de Garantido e Caprichoso decidiram afastá-lo do grupo especial e o rebaixaram para outra chave. O medo era que um terceiro boi decidiria pelos dois bumbás, seria o voto de minerva. Desse modo, o Campineiro poderia se tornar uma grande potência, porque Caprichoso e Garantido ficariam nas mãos dos dirigentes do boi verde”, completa o jornalista.

Mais antigo?

A sede do boi Campineiro está localizada, na comunidade do Aninga, área suburbana de Parintins. Neste centenário dos bumbás completam 30 anos que o Campineiro deixou de participar do festival parintinense. Sua data de fundação encontra algumas variações. A primeira é de que o Campineiro seria de 1915 e a segunda de 1829. Se levar em consideração esta segunda hipótese o boi Campineiro seria o mais antigo boi de Parintins com 123 anos, desbancando os maiorais Garantido e Caprichoso.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.