Publicidade
Entretenimento
LITERATURA

Novo selo de história em quadrinhos é lançado por editora amazonense

Com mais de dez títulos publicados, editora Lendari agora se dedica às histórias em quadrinhos 06/02/2018 às 14:55 - Atualizado em 06/02/2018 às 16:23
Show dsd
(Foto: Divulgação)
Tiago Melo Manaus (AM)

Pode-se dizer que a editora Lendari começou em 2012, apesar de ter lançado seu primeiro livro, juntamente com site e redes sociais, apenas em 2015. Fato é que agora, já com alguns anos no mercado, participações nas bienais do livro de São Paulo e Rio de Janeiro, além de mais de dez livros no catálogo, a editora do manauara Mário Bentes se prepara para mais um passo importante: a criação de um novo selo, totalmente dedicado a histórias em quadrinhos (HQs).

 Se no ano passado a editora inaugurou sua coleção de livros de bolso e ensaiou a entrada no mercado de HQs com o lançamento do livro de tirinha de “O Capirotinho”, este ano ela oficializa a nova empreitada com o anúncio do selo PULP. 

“Desde o início de 2017 venho sentindo a necessidade de dividir a Lendari em selos temáticos. Já sob o novo selo, podemos esperar o segundo volume d’O Capirotinho, ainda no primeiro semestre deste ano, e ‘Ângulo de Vista’ e ‘Tirinhas do Rex’, para depois de julho. Há ainda a possibilidade abrir uma coletânea de novos autores, mas nada confirmado”, explicou o editor-chefe e presidente do Grupo Lendari.

Mário adiantou também que, em breve, a editora contará com selos exclusivos para romances policiais, livros infantis e juvenis, guias, obras acadêmicas e de cunho jornalístico. A ideia, segundo ele, é manter o selo principal dedicado ao que já é seu foco: dark fantasy, terror e suspense. 

Estilo pulp

A expressão pulp remete ao início dos anos 1900 e faz alusão a revistas de entretenimento, tanto de quadrinhos como de literatura, impressas em material de baixo custo. O objetivo, conforme Bentes, é seguir o conceito e lançar produtos por um preço acessível aos leitores. 

“Meu sonho era seguir à risca o conceito de pulp e imprimir com papel jornal, mas é um material que poucas editoras trabalham com ele aqui em Manaus e que acabaria saindo caro”, afirmou ele. Vale ressaltar que os primeiros herois de HQs, como Zorro, John Carter e Tarzan, nasceram em revistas pulp. Histórias de terror e detetives também nasceram assim.

Próximos lançamentos

Ainda este ano, a Lendari lançará a distopia “A Ponte”, de Carol Pis, pela coleção de bolso, cuja capa será anunciada em fevereiro e a pré-venda em março; a fábula adulta “Eles Pensam que Somos Gatos”, de Luciana Cunha Pereira, que serve de metáfora sobre o comportamento humano; a coletânea “Creepy Pastas”, que está com o edital aberto até 28 de fevereiro; a antologia “2084 – Mundos Cyberpunks”, organizado pela escritora e futuróloga Lídia Zuni; e muitos outros a serem anunciados.

Publicidade
Publicidade