Domingo, 21 de Julho de 2019
Vida

Novos points na cidade para quem gosta de samba

Bares viram sensação entre o público que curte o mais brasileiro dos ritmos



1.jpg O gastropub O Chefão é o mais novo point a incorporar o ritmo às suas noites temáticas. Lá, a “Máfia do Samba” rola sempre às quartas-feiras
30/08/2013 às 07:45

Depois de nascer “lá na Bahia”, como cantavam Toquinho e Vinicius de Moraes, o samba se espalhou por todos os recantos do Brasil e cruzou as fronteiras da música internacional. Em Manaus, terra de Chico da Silva, o ritmo que se tornou identidade nacional tem lugar cativo em diversos bares e casas de show, onde o público tem a certeza que pode conferir um bom samba de raiz ou roda de pagode.

O gastropub O Chefão (rua Ferreira Pena, nº 50, Centro) é o mais novo point a incorporar o ritmo às suas noites temáticas. Lá, a “Máfia do Samba” rola sempre às quartas-feiras, a partir das 20h, com o grupo Samba & Cevada, cujas influências vão de Cartola a Seu Jorge.

Segundo o sócio e produtor de eventos da casa, Pedro Pedrosa, ao oferecer outros gêneros musicais que também fazem sucesso na cena noturna local, a ideia é agradar à clientela. “A maioria das pessoas gosta de samba e pagode, ainda mais com um suingue como o do Samba & Cevada, que já tem um público fiel em suas apresentações”, destaca.

ESCRITÓRIO
Domingo é dia de “Escritório do Samba”, no Lappa Bar (rua Rio Mar, nº 98, Vieiralves), a partir das 15h. Na festa promovida pela JACC Produções, a casa combina o que há de melhor para quem quer encerrar o fim de semana em grande estilo: música e futebol, com a exibição dos jogos do Brasileirão. O agito, que não tem hora para acabar, também é embalado pelo grupo Samba & Cevada e bandas convidadas.

Às sextas-feiras, o recém-criado grupo Fino do Samba também tem arrastado um público significativo ao Lappa, a partir das 13h. “Nossa proposta é tocar samba de raiz e chorinho, e raramente a gente foge disso”, conta o vocalista e cavaqueiro David Nogueira. O grupo, que se apresenta no tradicional Bar Caldeira (Centro) às quintas, está prestes a entrar no estúdio para gravar o seu primeiro disco, com músicas autorais e de outros compositores amazonenses.

VIBE CARIOCA
De portas abertas há pouco mais de um ano, a chopperia Copacabana é outra que dedica sua programação de domingo ao samba e futebol, a partir das 17h. De acordo com o proprietário, Jersey Santos, a casa tem um contrato de exclusividade com o Grupo Raça, que estourou nos anos 1990. Além disso, o espaço traz, mensalmente, uma atração nacional para se apresentar na cidade; o próximo a vir é o pagodeiro Chrigor, ex-vocalista do Exaltasamba.

Para Santos, essa é uma estratégia de quem conhece bem a sua clientela. “É um público que pode até aderir ao sertanejo ou ao forró, mas ele nunca vai deixar de curtir o samba e o pagode. Por isso, é importante que a gente estabeleça essa identidade”, declara.

‘Só Samba’ no Castelo

Presença constante na já tradicional feijoada do restaurante Castelo Gourmet (rua 24 de maio, 549, Centro), o quarteto Só Samba acaba de ganhar um reforço: o cantor Carlos Endryl, ex-vocalista do Frenesi, passou a integrar a formação da banda, que também conta com Rafael Freire, Alex Santana e Jack Vital.

Conhecido no meio musical por interpretar as músicas da nova geração do pagode com recursos vocais baseados na improvisação, Endryl faz o contra-peso do grupo, que até então direcionava seu repertório pautado pelo samba de raiz.

“Assim, nós vamos trabalhando a proposta de mesclar o tradicional com o contemporâneo”, explica o violonista Rafael Freire. A feijoada do Castelo acontece aos sábados, a partir de meio-dia, e o buffet sai a R$ 12,50.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.