Publicidade
Entretenimento
'Estamos no gás'

O baterista dos Paralamas fala sobre show em Manaus e dos projetos para 2017

Um show com grandes sucessos, mas diferente do apresentado há um ano, é o que promete João Barone, como disse em entrevista ao BEM VIVER 19/11/2016 às 10:09
Show paralamas0333
Banda está em turnê desde 2013 e se prepara para gravar um álbum de inéditas no próximo ano. Foto: Divulgação
Lídia Ferreira Manaus

Manaus encerra a temporada de apresentações deste ano da banda Os Paralamas do Sucesso, principal atração do “Festival Nossa Energia Move a Amazônia”, realizado neste sábado (19), com entrada gratuita, no Complexo Turístico da Ponta Negra. Um show com grandes sucessos, mas diferente do apresentado há um ano, é o que promete o baterista João Barone, como disse em entrevista ao BEM VIVER.

Na estrada, sem interrupções, desde a turnê em comemoração aos 30 anos de carreira, em 2013, Hebert Vianna, Bi Ribeiro e Barone se preparam para iniciar 2017 em estúdio, conforme revela na entrevista abaixo:

Como montaram a turnê após a temporada dos 30 anos?
A gente montou uma apresentação baseada na turnê dos 30 anos, mas  mudamos um pouco o repertório. É um show de grandes sucessos. E um show de grandes sucessos sempre tem um apelo muito forte. O nosso público, ou quem tem uma curiosidade com a banda, vai lá para ouvir o nosso percurso ao longo desses anos todos, tem  certa nostalgia. Se a gente quisesse fazer o show dos 30 anos mais 30 anos, a gente poderia, mas artisticamente não é algo muito ousado (risos).

 Faltam apenas dois anos para os 35 anos de carreira...
A gente tem total noção do que significa estar tanto tempo de estrada  para um banda, para um artista. Fomos solidificando essa união. Temos poucos artistas e bandas que tem uma longevidade dessas no Brasil. A gente chegou até aqui, depois desses anos todos, com essa vontade de fazer show, de tocar.  O Hebert é o cara mais animado, se dependesse dele a gente faria um show por dia (risos). O sucesso não é só a meta, não é só comercial. Você quer encontrar pessoas em sintonia com o que você faz.

E  como fazem para manter essa sintonia entre vocês?
Isso é uma dessas coisas inexplicáveis (risos). A gente tenta responder a essa curiosidade das pessoas, mas a gente não consegue (risos). Preferimos ficar alimentando os mecanismos que fazem a gente funcionar. O primeiro é tocar. O Herbert continua comprando um monte de guitarra e a gente ama tocar, temos assunto entre nós, razão pela qual faz a gente superar as partes não tão agradáveis  que é viajar muito, ficar no aeroporto, etc. Mesmo assim, estamos com todo o gáspara  estar no palco,  é a nossa entrega, nossa paixão. Prezamos muito pelo que a gente faz e tentamos não extrapolar, fazemos sete a oito shows por mês, no máximo.E mantemos a nossa ambição artística. A gente quer apresentar coisas novas , quer fazer alguma coisa que seja instigante. 

O que planejam para 2017?
Vamos fazer um álbum de inéditas, ainda não sabemos ao certo quando vamos começar a gravar, mas com certeza no primeiro semestre do ano que vem. Costumamos ‘dar um break’, um mês para se dedicar a gravação e a preparação do disco, mas sem parar totalmente a nossa agenda de shows.

Versões de canções de ou-tros artistas sempre fizeram parte do trabalho de vocês...
Os Paralamas têm uma relação muito aberta com muitas bandas e artistas. Até hoje a gente mantém essa intenção de tocar músicas de outros artistas.   Atualmente a gente está vendo um cenário muito diversificado, muita coisa bacana acontecendo, mas a gente ainda não teve uma tranqulidade para fazer uma parceria. Tem um camarada muito legal, Nevilton, tem o Vespas Mandarinas, o Marcelo Jeneci, o Criolo, enfim, tem muita gente boa que a gente tem interesse, falta tempo para fazer essas parcerias. Aí a gente fica na vontade. Como diz o Hebert, a gente está começando um novo ciclo de 30 anos.

Confira a programação do Festival Nema 2016:

 15h – Palco Praia: Apresentação dos Dj’s Alonso Melo, Gustavo Condé e TooHoot. Exibição de esportes radicais aquáticos e paraquedismo.

16h05 – Início das apresentações no Anfiteatro com a banda Alaídenegão

16h30 – Corrida Pedestre

17h05 – Márcia Novo

18h05 – Supercolisor

19h05 – Johnny Jack Mesclado

20h15 – Luan Forró Estilizado

22h – Os Paralamas do Sucesso

Publicidade
Publicidade