Publicidade
Entretenimento
Vida

‘O Brasil não se cuida’: Nando Reis fala sobre o País e o show em Manaus, dia 6 de dezembro

A apresentação em Manaus será com seus leais companheiros da banda Os Infernais, e não com o repertório do “Voz e Violão”, disco que lançará neste mês com os maiores sucessos de carreira 19/11/2015 às 19:55
Show 1
O artista lançará ainda em novembro o projeto “Voz & Violão”, onde assume um toque intimista
Laynna Feitoza Manaus, AM

Para o cantor, músico e compositor Nando Reis, não há distinção entre cidades e turnês na hora de fazer um show. Mas ele lembra bem, de tantos outros shows memoráveis pela capital amazonense, do maior. A missão do artista, no anfiteatro da Ponta Negra, não foi jogo fácil. “O show do ano passado, na Fan Fest da Copa do Mundo, foi muito significativo, porque foi no dia seguinte ao desastroso 7x1. Foi um show para levantar o astral”, relembra.

É por tantas lembranças que ele retorna a Manaus no dia 6 de dezembro, para um show no Resort do Tropical Hotel. A apresentação em Manaus, por sua vez, será com seus leais companheiros da banda Os Infernais, e não sobre o repertório do “Voz e Violão”, disco que ele lançará ainda neste mês com os maiores sucessos de sua carreira dedilhados com intimismo. Sobre o setlist, ele confirma que só saberá no dia do show.

“Eu sempre fecho o repertório no camarim. Estruturalmente ele é uma composição de músicas de todos os discos, tanto as mais conhecidas como outras queridas”, pondera.  “Venho resgatando algumas que andavam de fora. Mas, como falei, nem eu mesmo sei hoje, só no dia”, aponta. Mesmo sob a nova fase, ele se sente à vontade fazendo as duas coisas – tanto trabalhando com uma banda como Os Infernais quanto acompanhado por apenas um instrumento.

“O ‘Voz e Violão’ (quando me apresento sozinho) - evidentemente tem maior liberdade de mudança de rumo, de ritmo, de roteiro, de repertório, pois faço o que der na cabeça. E toco as músicas na sua forma mais elementar, como nasceram e foram compostas”, dialoga. Com Os Infernais, é outra pegada. “É um show mais adequado para espaços maiores. Mas temos uma linguagem muito própria, depois de anos tocando juntos. É com eles que faço os arranjos dos discos que gravamos juntos”, confessa.

O novo disco, segundo Reis, tem uma certa naturalidade que quase beira a total despretensão. “Toquei músicas minhas que raramente apresentei ao vivo - como Diariamente e Sutilmente. O disco sai agora no final de Novembro”, revela.

A relação do artista com a TV, a Internet e a música lhe desperta opiniões bem pontuais. “A Internet tem muitos aspectos louváveis. A disseminação da música do modo mais livre possível, sem qualquer interferência de rádios ou gravadoras. Mas tem dois aspectos que acho muito ruins”, adianta.

O primeiro deles é a ideia de que os direitos autorais não devem ser remunerados. “Isso é absurdo”, pondera ele. “O segundo é a pulverização do disco como obra integrada: a totalidade das músicas, a sequência das faixas, a relação interna entre elas, a ampliação de seu significado na forma conjunta. Isso é lastimável. É de um empobrecimento assustador. Eu faço discos, eu ouço discos!”, esbraveja.

Ativismo

Nando é conhecido pelo engajamento social: o cantor chegou ao ponto de ter ido à Justiça para impedir a derrubada de árvores em sua vizinhança. Sobre o rompimento da barragem que devastou os distritos de Mariana e Bento Gonçalves (MG), ele é categórico ao afirmar que o Brasil “se maltrata, não se respeita e não se cuida”.

“A quantidade de tragédias sociais e ambientais que estão ocorrendo são incomparavelmente maiores do que os avanços. A corrupção que assola o País em todas as esferas é uma tragédia. Todo os descasos e acidentes têm na corrupção, que acabou com qualquer credibilidade da classe política, que se esparrama por todos os parasitas que se juntam a eles. É um quadro desalentador”, finaliza.

Serviço

O quê: Show de Nando Reis e Os Infernais (Projeto Nossa Energia Move a Amazônia)
Quando: 06/12, às 20h30
Onde: Tropical Hotel (Av. Coronel Teixeira, 1320, Ponta Negra)
Quanto: R$ 50 (1º lote/pista), R$ 100 (1º lote/VIP) e R$ 300 (Espaço Equador)
Informações: site do evento

Publicidade
Publicidade