Publicidade
Entretenimento
Vida

O ‘coringa’ do lar: nichos aliam charme à funcionalidade

Peça pode ser utilizada para de armazenar objetos leves, como vasos, livros e pequenos decorativos, e para conferir charme maior ao lugar onde está instalado 22/02/2015 às 13:54
Show 1
Para cada tipo de nicho é indicado um determinado ponto de luz, variando conforme o seu tamanho e profundidade
Laynna Feitoza Manaus, AM

Os nichos sempre tiveram lugar cativo nos projetos de interiores; só que eram utilizados apenas em escritórios e nos quartos das crianças. O item também não era dono de nenhuma ousadia: sempre se assumiram bastante simétricos e comportados.

“Há uns quatro anos atrás, o nicho (uma estante em forma de quadro) passou a ser usado em praticamente todos os cômodos da casa, e de forma irregular, tanto nos tamanhos, profundidades e composições”, destaca o arquiteto e urbanista Achilles Fernandes.

A peça desponta hoje como uma “coringa” do lar. E é utilizada em duas facetas distintas: a de armazenar objetos leves, como vasos, livros e pequenos decorativos, e na de conferir um charme maior ao lugar onde está instalado.

O tipo de ambiente, por sua vez, é quem determina a forma de uso. “Se for usado na sala, é aconselhável que objetos de decoração, lembranças de viagem, livros e esculturas fiquem sobre os nichos. Nos dormitórios, geralmente se usa em cima de uma bancada de estudo para guardar livros e demais objetos”, pondera ele.

O arquiteto coloca ainda que, em banheiros, nichos também podem armazenar objetos de uso como sabonetes, perfumes, escovas de dentes, pastas de dente, fio dental, entre outros.

“Nas cozinhas, são bem vindos sempre os materiais de uso oriundos do cômodo, como óleos e temperos”, diz ele.

Os nichos são tão versáteis que podem até assumir a posição de divisórias de alguns cômodos maiores, como salas, remetendo à ideia de um “muro chic”.

“Acabei de fazer isso na minha casa, e fiz na verdade uma estante de nichos para dividir minha sala de estar da minha sala de jantar”, acrescenta Fernandes.

Modos

Outra transposição interessante do item é deixá-lo no chão para compor a decoração. “Geralmente, os nichos de chão devem ser usados como bancos com futons (almofadas com espessura de no mínimo 10 cm, com capitonê), posicionado em cima dos outros nichos para servir de banco”, lembra.

É possível usá-lo também como uma mesa de centro.


“No meu caso, gosto de usar rodízios para elevar do chão, porque o contato do MDF com o chão, devido à umidade, pode criar fungos e apodrecer o material. Além disso, o nicho como mesa de centro dá leveza ao visual”, comenta ele, dizendo que não há regras quanto às cores e tamanhos do item.

“Cada projeto é um projeto e isso é que vai determinar as cores usadas e seus respectivos tamanhos”.

Mas mesmo que a peça seja um item considerado “coringa”, isso vale para os locais em que o item pode ser usado: um nicho também não pode ser e ter tudo o que você quiser.

Por ser um item que se destaca em meio ao local, evite colocar nele tudo aquilo que você não gostaria de ver com um destaque maior na sua casa.

“Roupa de cama, roupas em geral, e sapatos... a não ser que sejam criados nichos no closet. Mas aí passa a ser armário e não nicho”, explica o arquiteto.

A iluminação dos nichos

Vale lembrar que para cada tipo de nicho é indicado um determinado ponto de luz, variando conforme o tamanho e profundidade do nicho. “Uso muito fita de LED, além da mini dicróica e a microled para os nichos menores”, explica a arquiteta Renata Mueller.

Blog

"Os nichos podem compor e expor objetos mais decorativos e glamourosos.  Na cozinha você pode expor as louças mais chiques; pode usá-lo no quarto em cima da cabeceira com objetos decorativos deixando assim este ambiente mais aconchegante. E consequentemente há variações de modelos, podendo ser abertos ou fechados. Os fechados, por exemplo, ajudam na organização da casa para colocar revistas, jornais e tudo aquilo que por algum motivo no ambiente você não quer deixar tão exposto. Já os abertos podem acomodar objetos que ajudam na decoração. Como obras de artes, porta-retratos e livros. Uma coisa bem útil é quando se trata de um local pequeno e os nichos acabam liberando espaço, como o próprio chão que pode até ser usado nesta ‘liberação’ para colocar outro móvel. É um utensílio incrível que cabe ao profissional sempre adaptá-lo da forma mais correta e sempre usando o bom gosto e a sofisticação”.

Sihame Simões, Designer de Interiores

Publicidade
Publicidade