Publicidade
Entretenimento
Vida

O porquê do 'atchim!': a diferença entre gripe, resfriado e rinite

Ajudar na diferenciação dos sintomas e caracterização das doenças é a luta de muitos médicos por aí, principalmente no que diz respeito à gravidade do problema. Entenda um pouco mais sobre cada um e como tratá-los 31/05/2015 às 15:40
Show 1
Apesar da imagem de doença branda, a gripe é responsável por milhares de morte todos os anos, em todos os países
Laynna Feitoza Manaus (AM)

Quando o nariz começa a escorrer e a tosse começa a bater, logo suspeitamos: estamos gripados. Mas será mesmo que é gripe? O que acontece é que tem um outro transtorno, denominado resfriado, que tem sintomas bem parecidos e costuma confundir a cabeça de muita gente. Há também uma condição curiosa que intriga e instiga o seguinte pensamento: “Mas não é possível que eu fique gripado todo santo mês”. Na maioria dos casos, essa condição que te mantém desconfiado pode ser uma rinite alérgica. Em meio a todas essas patologias, você sabe discernir qual é qual?

Ajudar na diferenciação dos sintomas e caracterização das doenças é a luta de muitos médicos por aí, principalmente no que diz respeito à gravidade do problema: fazer entender que a gripe é considerada benigna, mas que pode trazer complicações graves; que o resfriado normalmente não leva secreções esverdeadas e purulentas; e que a rinite alérgica não vai infectar todos a sua volta é trabalho árduo.

Gravidade

“A principal diferença entre a gripe e o resfriado é a intensidade de seus sintomas. De modo geral, os sintomas da gripe são mais intensos enquanto que os sintomas do resfriado são mais leves e têm uma menor duração. Porém, ambas são causadas por vírus. Já a rinite na maioria das vezes é ocasionada por alergia”, defende a médica Nadia Betti, Médica Alergista e Imunologista do Centro de Alergia e Imunologia do Amazonas.

Algo que ajuda bastante a sanar as dúvidas sobre gripes, rinites e resfriados é a cor da secreção que sai do nariz ou da boca, pontua a médica clínica e consultora do Laboratório Sabin, Dorothy Carriço. “A secreção verde ou amarelada e purulenta geralmente traz indícios de uma infecção ali. As secreções transparentes não apresentam sinais de problemas maiores. Pessoas que sofrem de rinite, por exemplo, costumam apresentar o tal muco transparente, por muitas vezes se tratar apenas de uma reação alérgica”, pondera ela.

Resfriado

O resfriado possui sintomas mais brandos que os da gripe, mas geralmente apresenta-os bem similares, como corizas nasais e tosse. Esses sintomas não acompanham febre, dores no corpo e incapacitação do paciente, assim como a gripe o faz. Entre os vírus que provocam resfriado estão os Rinovírus (só este grupo tem mais de 100 subtipos diferentes), Coronavírus, Adenovírus, Parainfluenza, entre outros. O resfriado dura em torno de três a sete dias. A maioria das pessoas apresenta de três a cinco quadros de resfriado por ano. A transmissão viral é feita através do contato com pessoas doentes e, para evitá-la, use desinfetantes menores nas mãos, evite o fumo passivo, antibióticos desnecessários, beba muita água, e durma o suficiente. Para crianças, vale escolher turmas menores na creche e até mesmo amamente, pois se conhece que o leite materno protege contra infecções.

Gripe

A gripe não é causada por bactéria, mas sim por um vírus chamado Influenza, dos quais existem três tipos: o A, B ou C. Os vírus Influenza A e B são responsáveis por grandes pandemias, enquanto que o tipo C não tem ligação com as epidemias e causa infecções respiratórias brandas. Os sintomas da gripe são mais intensos e imediatos, geralmente com febre alta, dores no corpo, dor de cabeça e calafrios. A doença tem duração de sete a 10 dias, em média. Se não for tratada, a gripe pode trazer complicações como otite média, sinusite e até pneumonia, o que pode levar o paciente a óbito, dependendo do estágio da doença e da imunidade do organismo. A transmissão da gripe é feita por meio do contato com saliva, tosse, ar e louças contaminadas pelo vírus. Para prevenir, basta vacinar-se contra a gripe, cuja vacina é disponibilizada anualmente pelo Ministério da Saúde, manter as mãos sempre higienizadas, bem como alimentar-se corretamente e dormir bem.

Saiba +

O que fazer?

O tratamento para gripe consiste em repouso e boa hidratação oral para umedecer as secreções a fim de que sejam mais facilmente expelidas. Além disso, deve-se buscar alívio dos sintomas, tomando analgésicos e antitérmicos, com recomendação para evitar o ácido acetilsalicílico (AAS) e dar preferência ao paracetamol e à dipirona, se tiver febre e dor.

Rinite alérgica

A doença é desencadeada por uma reação de hipersensibilidade do organismo a uma determinada substância que o indivíduo possui alergia, seja poeira, vento frio, entre outros. Essa reação libera histamina, levado à congestão nasal (obstrução), prurido nasal (coceira), rinorréia (secreção nasal), etc. Existem diversos tipo de rinite, tais como rinite medicamentosa, rinite viral, rinite bacteriana, rinite vasomotora, rinite gustatória e a frequente que é a rinite alérgica. As rinites de causa infecciosa, provocada por agentes patogênicos microbianos, podem ser transmitidas entre as pessoas. O tratamento da rinite alérgica consiste em três pilares, que são: controle ambiental para evitar os substâncias alérgicas, uso de medicamentos e imunoterapia (vacina para alergia). Variações climáticas pioram ou exacerbam um quadro de rinite, fato este bastante conhecido e que costuma ser observado com facilidade por parte dos pacientes.

Publicidade
Publicidade