Publicidade
Entretenimento
Vida

'Obevandiva', novo espetáculo da Artrupe, estreia nesta quinta-feira (11), em Manaus

O trabalho será apresentado também nos dias 12, 13 e 14 de fevereiro, sempre no Espaço das Cias – localizado na rua Dona Libânia, 300, Centro 10/02/2016 às 18:09
Show 1
Obevandiva é uma parte de uma tetralogia chamada ‘Tetralogia da Família’ que amplia o campo de discussão sobre a família a partir de outros olhares
acritica.com* Manaus (AM)

Após aproximadamente dois meses de ensaio, estreia na próxima quinta-feira, 11 de fevereiro, o espetáculo “Obevandiva”, obra escrita e dirigida por Francis Madson, com Danilo Reis, Diego Bauer e Victor Kaleb no elenco.

O trabalho será apresentado também nos dias 12, 13 e 14 de fevereiro, sempre no Espaço das Cias – localizado na rua Dona Libânia, 300, Centro, próximo ao Bar do Armando – em dois horários, 19h e 21h.  A peça dá prosseguimento ao trabalho na área teatral da produtora que começou com “A Casa de Inverno” e “Inquietações”.

Seguindo a linguagem da dramaturgia contemporânea brasileira, o trabalho trata sobre a família, mas não segue uma narrativa tradicional, como explica Madson: “Obevandiva é uma parte de uma tetralogia chamada ‘Tetralogia da Família’ que amplia o campo de discussão sobre a família a partir de outros olhares. Percebo na história da constituição social da família questões que precisam ser reorganizadas como problemáticas para pensarmos os valores, os poderes, as alegrias e a formação da própria família”, conta o diretor. Além de “Obevandiva”, os demais textos que formam a tetralogia são “Casa de Franciscos, Quem Nasce Antônio É Rei”, texto já encenado por Madson, além dos inéditos “Alice Músculo +2” e “Tamatamiris”.

O trabalho conta com Daniele Geammal no cenário e figurino, Babaya Morais como preparadora vocal e Nadja Naira na provocação de dramaturgia de luz.

A presença dessas profissionais renomadas no cenário teatral brasileiro significou um desafio para o grupo, que foi bem sucedido: “Percebo que a gente conseguiu dar conta dos procedimentos que foram estabelecidos a partir da primeira etapa, experimentados na segunda etapa, na presença da nossa primeira radicalizadora que foi a Babaya, na terceira etapa, e na quarta etapa com a Dani. Então essas fases foram muito articuladas e orgânicas, e ofereceram ao processo, de alguma maneira, questões e profundidades, texturas, fissuras que trouxeram coisas bem significativas. Até com a presença rápida também da Nadja Naira que nos trouxe uma nova relação com o trabalho devido a sua dramaturgia com a luz. Então nessas primeiras etapas, com as presenças dessas figuras, a gente conseguiu dar conta de todos os procedimentos que foram estabelecidos”, conta o diretor, Francis Madson.

O espetáculo possui o mesmo elenco de um trabalho anterior do grupo, “A Casa de Inverno”, fato que, na opinião de Madson, representou uma possibilidade maior de experimentações: “Percebo uma abertura significativa por parte dos atores envolvidos. A criação em arte acontece a partir de agenciamentos entre as partes envolvidas, quando o campo de criação é coletivo. Há perguntas, há respostas, há entrosamento, há disciplina e compromisso, há densidades. Portanto, acredito que temos um espaço ampliado que nos possibilitou experienciar o teatro e os afetos”.

O ator Danilo Reis também acredita que esse trabalho, além do desafio artístico, pode ajudar no debate sobre o cenário teatral amazonense, bem como realizar um debate propício com o público: “Obevandiva vai ser a continuação de um longo trabalho de difusão, que foi muito bem representado, nesse ano, pelos grupos com espaços independentes em Manaus, como o Ateliê 23, Cia de Intérpretes Independentes, Lugar Uma de Artes. Nosso espetáculo quer discutir, sim, as relações interpessoais, mas não se isenta do debate sobre o fazer artístico em Manaus. E, dentro dessa lógica, o público manauara tem estado cada vez mais aberto para o que estamos fazendo. Espero que consigamos alcançar um bom número na plateia, porque o tema da peça, tão comum à cidade, possivelmente suscite reflexões importantes”, conclui o ator.

Os ingressos custarão R$ 10,00 e podem ser solicitados antecipadamente na página da Artrupe no Facebook. Informações: 99361-6217/ 98823-1419.

*Com informações da assessoria de imprensa

Publicidade
Publicidade