Publicidade
Entretenimento
Vida

Obra reinaugurada: Paço Municipal retorna ainda indisponível para visitas

Apesar da reforma concluída, o espaço histórico ainda não está aberto para a visitação do público em geral 12/04/2013 às 09:31
Show 1
Inês Daou, gestora da Manauscult, e o prefeito, Artur Virgílio Neto, reinauguraram o prédio
Rafael Seixas Manaus, AM

A obra do histórico prédio do Paço Municipal, cuja denominação oficial é Paço da Liberdade, instalado na Praça Dom Pedro II, no Centro Antigo de Manaus, foi entregue nesta quinta (11), com a presença do prefeito Artur Virgílio Neto, Inês Lima Daou, gestora da Fundação Municipal de Cultura e Turismo (Manauscult), e outros secretários do município. O espaço, apesar da reforma concluída, não está de portas abertas para receber o público. O local irá sediar, futuramente, o Museu da Cidade.

O Paço Municipal foi entregue inacabado no dia 30 de dezembro de 2012, após seis anos de reforma, ainda na gestão de Amazonino Mendes. No dia 4 de janeiro, Artur Neto interditou o local para que a obra fosse finalizada.

“Hoje (quinta) está sendo reinaugurada a obra. Agora vamos iniciar um processo de implantação do plano museológico, museográfico, para a implantação do Museu da Cidade. Nós só encontramos um pré-projeto, um anteprojeto. Vamos trabalhar no projeto para entregar o museu em 2014”, declarou Inês. O prédio foi restaurado com recursos oriundos do programa Monumenta, do Ministério da Cultura (MinC), e será administrado pela Manauscult.

“O nosso papel agora é implantar esse museu. Para implantá-lo são várias etapas. A primeira, efetivamente, é fazer o plano museográfico, que deve durar uns três meses, porque não temos acervo. Precisamos conversar com os museólogos, com a própria cidade, para ver que representatividade queremos para esse espaço, como a gente quer que seja contada essa história”.

Orgulho


Segundo o prefeito de Manaus, a obra está muito bonita e ele deve louvar o esforço feito pelos prefeitos anteriores Serafim Corrêa e Amazonino. “Ficamos muito honrados de ter cabido a nossa gestão entregá-la. Nesse local deve ser trabalhado um prédio que seja coerente com a estrutura arquitetônica do museu, porque o IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) exige que os museus sejam sustentáveis”, declarou.

“Temos que fazer um prédio que venda souvenirs, tenha restaurante, auditório, uma série de perspectivas econômicas que paguem o custo do museu. Mas, enquanto isso, estava falando para a secretária Inês, a minha proposta de pegar a ideia do prédio, a resolução do IPHAN que fala isso e correr para o Distrito Industrial para pedirmos o mecenato, sensibilizando algumas indústrias de porte para que banquem o museu em troca do agradecimento de Manaus, do prefeito, enquanto não concluímos”, completou.

Especialistas

A equipe técnica da Manauscult analisa a possibilidade de abrir o prédio para visitas guiadas, com horários previamente determinados, a estudantes de Arqueologia, História, Antropologia e afins.

“Apesar do prédio estar vazio, nossa equipe de administração e planejamento, das ações para o museu, já está trabalhando no local. Então não cabe agora uma visita, porque só há coisas para serem vistas por quem se interessa por história. Iremos planejar essas visitas para abrir aos poucos. Já temos o laboratório de arqueologia, começamos os trabalhos internos, porque temos que ter um planejamento muito focado para conseguir inaugurar em um ano o museu”, disse.

Revitalização do Centro

Além do prédio do Paço Municipal, onde vai funcionar o Museu da Cidade, será restaurado também o seu entorno, que inclui o coreto e o chafariz, a Praça 9 de Novembro, as casas números 69 e 77, da rua Bernardo Ramos, e a construção do estacionamento rotativo na rua 7 de Setembro.

“Está prevista também a revitalização de dois prédios muito importantes, o Cabaré Chinelo e Hotel Cassino, a pedido do prefeito. O prédio da Câmara Municipal, aqui na Sete de Setembro. Além disso, não no entorno do Paço, mas no Centro, temos vários monumentos e prédios públicos a serem recuperados, como o Museu do Homem do Norte, na Sete de Setembro; Biblioteca Municipal, na Praça do Congresso; o Pavilhão Universal, na Praça Tenreiro Aranha, com possível mudança de localização; Praça do Relógio, na Matriz, entre outros”, disse Rafael Assayag, titular da Secretaria Municipal Extraordinária para Requalificação do Centro de Manaus (Semex), que também marcou presença na entrega da obra do  Paço Municipal. A Semex foi criada neste ano, na posse do atual prefeito de Manaus (Artur Neto).


“Fora isso, temos ações coordenadas com o governo do Estado, várias reuniões com o Robério Braga (secretário de cultura do Amazonas), que tem projetos de extrema relevância para Manaus. Agora ele tem na prefeitura de Manaus, por meio do prefeito, da Semex, aliados nesse projeto de recuperação do patrimônio histórico”, complementou.





Publicidade
Publicidade