Sexta-feira, 19 de Abril de 2019
publicidade
1.jpg
publicidade
publicidade

Vida

Ópera para todos: cenários e figurinos das 'Aventuras da Raposa Astuta'

Direcionada especialmente para crianças e jovens, os adultos vão se apaixonar ao se permitirem ouvir a magnífica composição de Janácek, a ver os cenários e figurinos criativos e de bom gosto da artista plástica, cenógrafa e carnavalesca carioca Rosa Magalhães, e escutar as vozes de solistas profissionais adultos e de lindos cantores infantis


26/04/2013 às 10:07

Para os adultos, será uma ópera séria, em três atos, do compositor tcheco Leos Janácek, com música e libreto dele, inspirada num conto de Rudolf Tesnohlídek, com cenários, figurinos e música esplêndida, que trata do ciclo da vida. Já para as crianças, será uma fábula encantada, colorida e que encherá seus olhos com uma floresta encantada, onde os bichos falam, ou neste caso, cantam, andam e fazem o mundo ser mais interessante com coruja, pica-pau, raposinhas, galo, galinhas, cigarra, grilo e sapinho. Assim será “Aventuras da Raposa Astuta”, próxima montagem lírica a estrear no XVII Festival Amazonas de Ópera (FAO), neste domingo, 28, às 17h, no Teatro Amazonas.

Direcionada especialmente para crianças e jovens, os adultos vão se apaixonar ao se permitirem ouvir a magnífica composição de Janácek, a ver os cenários e figurinos criativos e de bom gosto da artista plástica, cenógrafa e carnavalesca carioca Rosa Magalhães, e escutar as vozes de solistas profissionais adultos e de lindos cantores infantis, estreantes em solo, que há anos estudam no Liceu de Artes e
Ofícios Cláudio Santoro (LAOCS).

PÚBLICO DIFERENTE

A apresentação terá participação do Corpo de Dança do Amazonas, do Coral do Amazonas, da Amazonas Filarmônica, com regência e direção musical do maestro Marcelo de Jesus. Os ensaios começaram a ser realizados com cenários e parte de figurinos, na prova de mise en place, que significa “colocar as coisas no lugar”. “Fazemos as marcações antes, com o diretor cênico William Pereira, mas quando estão prontos cenários e figurinos, realizamos os ajustes finos, inclusive musicalmente, do tempo para as cenas”, explica o regente.

Musicalmente, De Jesus conta que Leos Janácek era um orquestrador de primeira grandeza e que sua composição “Raposa” é muito difícil, cantada em tcheco, com a mesma complexidade técnica de outras composições suas, só que num cenário e para um público diferente.

“Apesar do tema infantil, lúdico, o autor não queria que as crianças fossem tratadas de forma tola, boba, mas que mereciam uma obra completa. E que na infância tinham que ter contato com tudo da vida real, inclusive o ciclo natural, onde se nasce, vive e morre, de forma normal”. Em razão do grau de dificuldade, o maestro está ensaiando a ópera ato por ato, duas vezes cada.

Outro destaque da composição é que ela é super descritiva, um casamento perfeito entre atores e o que se passa em cena. Contagiante e com vários picos, a música lembra, em alguns momentos, uma trilha sonora de filme. “Na entrada do Harashta, por exemplo, o comerciante de aves, a canção parece trilha de terror. Quando as crianças, as raposinhas estão no palco, há uma alegria. Se existisse cinema na época de Janácek, ele seria um ótimo compositor de trilha sonora”, completa o maestro, que assina a direção musical adjunta do FAO.

Crianças

A peça original do tcheco previa na ópera a participação de solistas adultos e crianças, o que foi preservado na montagem para o festival. E os 7 solistas infantis, do Liceu, são uma grata surpresa para Marcelo de Jesus: “Primeiro porque as crianças foram muito bem preparadas e estão trabalhando na peça, seriamente, desde fevereiro, com o maestro do Coral Infantil do LAOCS, Hugo Pinheiro. Elas chegaram prontas e só fizemos a intenção. Elas sabiam decorado o que tinham que cantar. E no início, mesmo um pouco tímidas, depois foram se adaptando e entendendo que os solistas infantis têm o mesmo peso na cena que os adultos. Todos foram super carinhosos com elas e elas passaram a brincar e se divertir, o que também é para acontecer”, fala o diretor musical.

Marcelo de Jesus acrescenta que o canto não é fácil, mas que está feliz em colher os frutos do Liceu e que será um sucesso para tão jovens cantores, resultado do trabalho sério realizado pelo Governo na formação artística no Estado.

Últimos ajustes

Até a estreia, neste domingo, 28, acontecem mais dois grandes ensaios. O pré-geral já aconteceu ontem, quinta-feira, e o geral, que ocorre hoje (26). Amanhã, sábado, há finalização de cenário, ajustes de figurino e de iluminação. Se for necessário, o maestro faz pequenos ensaios com cantores.

Saiba +

Figurinos

Os cenários e figurinos de Rosa Magalhães são extremamente coloridos e apresentam soluções criativas de material. Na ópera, a plateia verá campos de girassóis gigantes, morcegos e abelhas com proporções surreais, e sua concepção de bicho-gente.

Em cena

Outra solução criativa para esta montagem partiu do diretor cênico, para não estafar os adultos que precisam ser bichos, e andar de quatro. Quando há humanos na cena, os animais ficam com mãos no chão, quando só há bichos, todos ficam de pé.









publicidade
publicidade
Teatro Amazonas é uma das 15 mais belas casas de ópera do mundo, diz Vogue
Com 4 faixas, 'Virtual' é o novo EP da cantora amazonense Kely Guimarães
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.