Publicidade
Entretenimento
MÚSICA CLÁSSICA

Orquestra Filarmônica apresenta obras de Reinecke e Brahms, nesta quinta (13)

Concerto terá regência do maestro Luiz Fernando Malheiro e solo de flauta transversal com o músico Diogo Navia 13/09/2018 às 11:47 - Atualizado em 13/09/2018 às 11:47
Show amazonas filarm nica   ensaio faust  michael dantas e0165ea8 c6bb 4279 a6f7 4c4785d47ae8
fotos: Michael Dantas e Simara Couto/Divulgação
acritica.com Manaus (AM)

O Teatro Amazonas recebe nesta quinta-feira (13/09), às 20h, o espetáculo “Reinecke / Brahms”, com a Orquestra Amazonas Filarmônica, sob a regência do maestro Luiz Fernando Malheiro. A classificação é livre e a entrada é gratuita.

O programa será dividido em duas partes: Concerto para flauta em ré maior, op.283 (1908), do compositor alemão Carl Reinecke; e a Sinfonia n.4 em mi menor, op.98 (1885), do compositor alemão Johannes Brahms.

“Esta quarta sinfonia de Brahms é extremamente importante na literatura sinfônica do século XIX e, embora usasse o arsenal técnico musical da época, Brahms foi um compositor extremamente inspirado e original em suas obras”, comenta o maestro Luiz Fernando Malheiro.

Outra curiosidade, segundo o maestro, é que esta composição traduz o espírito romântico e ao mesmo tempo revoltado de Brahms com algumas situações de sua vida. “Seus biógrafos escrevem que ele já imaginava que esta seria a sua última sinfonia, e nós sentimos claramente, principalmente no quarto e último movimento, toda uma carga emotiva e uma revolta do compositor, tanto pela sua vida profissional como pessoal”.

Concerto para flauta

Ao longo dos seus 20 anos, a Amazonas Filarmônica contou com grandes instrumentistas em seu elenco, como o flautista Diogo Navia, membro da orquestra desde setembro de 2013, e solista do concerto para flauta em ré maior, op.283 (1908), de Carl Reinecke.

“Este é um concerto que sempre gostei muito. Tocar como solista à frente da Amazonas Filarmônica é um desafio e, ao mesmo tempo, uma honra”, afirma Navia.

O maestro Malheiro também revela que embora esta seja uma obra rara de se ouvir nas salas de concerto, ela é bastante conhecida pelos flautistas e foi um desejo do músico Diogo Navia apresentá-la no Teatro Amazonas. “É importante promover este contato direto dos músicos com o público para que eles possam ter sempre novos desafios e se cobrem para continuar estudando e se desenvolvendo como profissional”, finaliza.

Publicidade
Publicidade