Publicidade
Entretenimento
Teatro

Monólogo ‘Otelo Solo’ revisita personagem da tragédia clássica de William Shakespeare

Na montagem estrelada por Arnoldo Chaves, com texto de Zemaria Pinto e direção e encenação de Nereide Santiago, o Mouro de Veneza rememora a trama de intrigas, ciúme e morte de suas últimas horas de vida 14/06/2016 às 21:59
Show otelosolo
Arnoldo Chaves vive o espectro de Otelo, ainda amargurado pelo remorso após a tragédia marcada por intrigas, ciúme e morte
Jony Clay Borges Manaus

Dizem que a morte é o último ato, mas Otelo não consegue desfrutar dessa sorte. O personagem trágico de William Shakespeare volta à cena e revive o terrível drama dos últimos momentos de sua vida em “Otelo Solo”, monólogo que será apresentado em curta temporada no MAO Teatro, no Centro.

A montagem, que inaugura o novo espaço do MAO Hostel dedicado às artes cênicas, terá encenações de hoje a sexta-feira, dia 17, sempre às 20h, com ingressos a R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

Escrita por Zemaria Pinto e e estrelada por Arnoldo Chaves, “Otelo Solo” resgata o personagem clássico de Shakespeare após os eventos trágicos narrados na peça do início do século 17.

No original, o Mouro de Veneza é envolvido pelas intrigas de seu invejoso alferes, Iago, e acaba matando sua esposa, Desdêmona, por acreditar que ela o traía. Ao descobrir a trama sórdida, ele mata a mulher de Iago e se apunhala para morrer com a amada. No monólogo contemporâneo, o espectro de Otelo desperta e começa a rememorar o episódio.

“Ele vem percorrendo o tempo desde 1600 até os dias atuais, fazendo uma autoanálise embriagada pelo remorso”, assinala Chaves, que encena o monólogo num cenário despojado, contando apenas com uma cadeira.

A direção e a encenação são de Nereide Santiago, explorando conceitos de autores como Bertolt Brecht e Antonin Artaud, e investindo no trabalho corporal do ator. “É uma encenação bem intimista, apenas eu e a cadeira, representando um divã”.

Chaves apresentou seu “Otelo Solo” pela primeira vez em 2013, em Itacoatiara, em montagem independente com apoio do Proarte 2011, da Secretaria de Estado de Cultura. Para o ator, que trabalhou por um ano na pesquisa e nos ensaios para o espetáculo, a montagem se destaca pela atualidade dos temas e questões desde Shakespeare.

“O que me chamou a atenção é que essa fábula é muito atual. A violência contra a mulher, o crime passional que vitima o sexo feminino é presente até hoje. E há ainda a disputa pelo poder, os valores perdidos na sociedade, a inveja, isso tudo inserido no texto”, aponta.

Além de Itacoatiara, “Otelo Solo” teve apresentações também em Manaus, tendo participado do Festival de Teatro da Amazônia no ano passado e no início deste ano.

Perfil

Arnoldo Chaves é ator e técnico em artes cênicas, tendo trabalhado em produções de Teatro, Cinema e TV em Manaus. No palco, atuou em “Viúva porém honesta” (1996) e “Caruso jamais cantou aqui” (2005), entre outras peças. No cinema, trabalhou em filmes nacionais e internacionais, entre eles “Anaconda” (1997), “Tainá” (2001) e “Tainá 2” (2004).

Serviço

O quê: Monólogo “Otelo Solo”, com Arnoldo Chaves – MAO Teatro

Onde: MAO Hostel, rua Barroso, 365, Centro

Quando: De hoje até sexta-feira, sempre às 20h

Quanto: Ingressos a R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada, para professores e estudantes)

Informações: Pelo Facebook.com/maohostelbar

Publicidade
Publicidade