Domingo, 26 de Maio de 2019
Vida

Papéis de pessoas que existiram de verdade dão destaque a atores no cinema e na TV

Personagens e histórias da vida real são aposta de atores e produções que chegam às salas de exibição e canais de TV



1.jpg
No Globo de Ouro deste ano, diversos atores em disputa vivem personagens reais no cinema e na televisão
10/01/2016 às 16:05

Subvertendo o ditado de que a vida imita a arte, o cinema da atualidade cada vez mais vem buscando na vida real a inspiração para novos e futuros longas-metragens. Prova disso é o número expressivo de produções que chegam às salas de exibição, a cada ano, baseados em histórias e personagens reais. Neles, atores e atrizes dão vida a personalidades de ontem e de hoje, dentre artistas, políticos, celebridades e até figuras menos conhecidas.

No cinema hollywoodiano, atores que vivem este tipo de papel costumam chamar a atenção nas premiações, e um exemplo dessa tendência são os indicados ao Globo de Ouro deste ano. Na lista de concorrentes da premiação, a ser entregue hoje (veja o Saiba Mais), aparecem vários artistas que interpretam papéis de personalidades reais em dramas e comédias, de cunho biográfico ou inspiradas em episódios antigos e recentes da História.

Fama & Anonimato
O caso mais evidente é o da categoria de Melhor Ator – Drama da premiação, na qual todos os cinco concorrentes interpretam papéis de figuras reais. Michael Fassbender, por exemplo, vive uma nova versão do gênio da Apple em “Steve Jobs”, morto em 2011, e Bryan Cranston retrata Dalton Trumbo (1905-1976), célebre roteirista de Hollywood, em “Trumbo: Lista negra”.

Já Will Smith faz o papel do Dr. Bennet Omalu, neurologista nigeriano que pesquisou o problema dos traumas no cérebro de jogadores de futebol dos Estados Unidos, no início dos anos 2000, em “Um homem entre gigantes”.

Voltando mais ainda no tempo, Eddie Redmayne dá vida a Einar Wegener/Lili Elbe, artista de Copenhague que entrou para a História como um dos primeiros pacientes a passar por uma cirurgia de mudança de sexo, nos anos 1930, em “A garota dinamarquesa”.

No mesmo filme está Alicia Vikander, que figura na lista de Melhor Atriz – Drama pelo papel de Gerda, esposa conturbada pela transformação de Einar em Lili. E há ainda Leonardo DiCaprio como Hugh Glass, desbravador e caçador de peles que se aventurou pelos Estados Unidos entre os séculos 18 e 19, no longa “O regresso”.

Atores com papéis de gente de verdade aparecem até entre os indicados de Comédia ou Musical. É o caso de Christian Bale e Steve Carell em “A grande aposta”, comédia baseada na história do estouro da bolha financeira nos EUA nos anos 2000. E de Jennifer Lawrence, comédia dramática semibiográfica inspirada na vida de Joy Mangano, dona de casa que se tornou empresária milionária nos anos 1990.

Na telinha 
O interesse crescente por histórias e episódios calcados na realidade aparece também nas produções audiovisuais feitas para a TV. Entre essas se destaca “Narcos”, série norte-americana que tem o brasileiro Wagner Moura no papel do traficante colombiano Pablo Escobar, morto em 1993.

A caracterização e interpretação de Moura no papel lhe renderam uma indicação ao prêmio de Melhor Ator – Drama na categoria televisiva do Globo de Ouro. “Narcos” disputa ainda o troféu de Melhor Série de TV – Drama na premiação.

Vem aí também 
E não é só lá fora que a indústria do entretenimento vem buscando personagens e episódios da vida real para levar às telas. Longas como “Olga”, “Cazuza – O tempo não para” (2004, ambos), “Meu nome não é Johnny” (2008), “Bruna Surfistinha” (2011) e “Getúlio” (2014) estão aí de prova. Outras duas novas produções vão trazer protagonistas conhecidos do público: “Mais forte que o mundo – A história de José Aldo” e “Minha fama de mau”.

“Mais forte que o mundo” traz José Loreto no papel do lutador amazonense. Para isso, o ator teve de emagrecer 5 quilos, cumprindo dieta rigorosa e rotina pesada de exercícios. Já pronto, o longa que narra a trajetória de Aldo porém teve a estreia adiada por conta da derrota recente do campeão.

“Minha fama de mau” terá Chay Suede no papel do tremendão Erasmo. O longa, que terminou de ser filmado no mês passado, traz episódios e personagens marcantes da história da música brasileira. O filme deve estrear no segundo semestre deste ano.

Lá fora, outra personagem famosa a ganhar as telas em breve é Jacqueline Kennedy Onassis, protagonista de “Jackie”. Natalie Portman fará o papel da ex-primeira dama dos EUA no longa, que já teve divulgada a primeira foto da atriz no papel-título e deve chegar às salas apenas em 2017.

Natalie, vale dizer, será outra numa longa lista de mais de 15 atrizes que já viveram o papel. Imitar a vida, afinal, parece estar se tornando mais comum na arte – ou ao menos quando se trata da Sétima Arte.

Premiação

A 73ª cerimônia de entrega dos prêmios Globo de Ouro acontece na noite de hoje, em Los Angeles, na Califórnia. O anfitrião da noite será o ator e humorista Ricky Gervais, voltando ao comando da premiação, que ele conduziu de 2010 a 2012.

O Globo de Ouro é oferecido pela Associação da Imprensa Estrangeira de Hollywood às melhores produções do cinema e da televisão. No Brasil, a cerimônia de entrega dos prêmios será transmitida pelo canal de TV por assinatura TNT, a partir das 20h (horário de Manaus).

LISTA

Alguns atores premiados com o Oscar por papéis baseados em personagens reais

Ben Kingsley, por “Gandhi” (1982)
Eleito Melhor Ator pelo retrato dramático do líder indiano Mohandas Gandhi

Geoffrey Rush, por “Shine – Brilhante” (1996)
Melhor Ator pelo papel do pianista australiano David Helfgott

Julia Roberts, por “Erin Brockovich” (2000)
Melhor Atriz pelo papel da ativista ambiental e técnica jurídica Erin Brockovich

Nicole Kidman, por “As horas” (2002)
Melhor Atriz pelo retrato da escritora Virginia Woolf

Cate Blanchett, por “O aviador” (2004)
Melhor Atriz Coadjuvante pelo papel da atriz Katharine Hepburn

Jamie Foxx, por “Ray” (2004)
Melhor Ator pelo papel do ícone do soul Ray Charles

Philip Seymour Hoffman, por “Capote” (2005)
Melhor Ator pela caracterização do jornalista e escritor norte-americano Truman Capote

Forest Whitaker, por “O último rei da Escócia” (2006)
Melhor Ator pelo papel do ditador de Uganda, Idi Amin Ada

Marion Cotillard“, por Piaf – Um hino ao amor” (2007)
Melhor Atriz pelo papel da diva da música francesa Édith Piaf

Meryl Streep, por “A Dama de Ferro” (2011)
Melhor Atriz pelo papel da primeira-ministra britânica Margaret Thatcher


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.