Segunda-feira, 22 de Abril de 2019
publicidade
1.jpg
publicidade
publicidade

Buzz

Parada Gay em São Paulo foca na homofobia e evita estimativa de público em sua 16ª edição

A parada gay paulistana é a que reúne o maior número de participantes entre todas as paradas do gênero


10/06/2012 às 15:49

A 16ª edição da Parada do Orgulho LGBT (a Parada Gay), que ocorre a partir das 12h deste domingo (10) na avenida Paulista, em São Paulo, terá como tema, pelo sétimo ano consecutivo, a homofobia. A parada gay paulistana é a que reúne o maior número de participantes entre todas as paradas do gênero.

O slogan dessa vez será “Homofobia tem cura: Educação e Criminalização – Preconceito e exclusão fora de cogitação”. Com o tema, a organização parodia instituições religiosas que dizem curar a homossexualidade e pede a aplicação de políticas púbicas em educação para combater a discriminação a homossexuais.

O UOL transmitirá ao vivo a parada a partir de 14h, com repórteres no meio da multidão, nos trios elétricos e camarotes. O maquiador, ator e drag queen Dicesar acompanhará a reportagem. Os internautas poderão participar da cobertura via Twitter, por meio da hashtag #UOLParadaGay e comentar o evento no Bate-Papo UOL.

A concentração para a parada começa às 10h no Masp. Às 12h, a multidão parte pela Paulista sentido rua da Consolação. A dispersão ocorre nos arredores da praça Roosevelt --no final da Consolação-- por volta de 18h.

Como nos anos anteriores, os organizadores pedem a aprovação do Projeto de Lei Complementar 122/06, que torna crime a prática de homofobia, assim como ocorre com o racismo, e tramita há seis anos no Congresso. Neste ano, a organização decidiu não estimar o público da parada para que o foco seja justamente o tema escolhido. No ano passado, chegou-se a divulgar público de 4 milhões, embora este número tenha sido contestado pelo Datafolha.

Números da parada

Dados da São Paulo Turismo (SPTuris), órgão da prefeitura responsável pelo turismo na capital, apontam que a Parada Gay, organizada pela primeira vez em 2007, com cerca de 2.000 participantes, tornou-se um dos maiores eventos da cidade e do país, atraindo 600 mil turistas que deixam mais de R$ 200 milhões em receita.

Estudo realizado em 2011 pelo Observatório do Turismo, vinculado à SPTuris, apontou que 83,8% do público da parada é da capital, 11,3% de outras cidades da Grande São Paulo e 4,9% de turistas. As mulheres são maioria (58,9%).

A orientação sexual de 49,5% dos participantes é homossexual, 15,8% é bissexual e 34,6% heterossexual. A faixa etária com maior presença na parada é a de 18 a 24 anos (38,1%), seguida pela de 25 a 29 anos (28,4%) e 30 a 39 (19,1%).

No total, 14 trios elétricos dos organizadores, entidades do movimento LGBT, sindicatos e de casas noturnas irão desfilar na parada, entre eles um trio da drag queen Salete Campari.

Segurança

Na edição deste ano, todo o trajeto da parada e os bairros ao redor --Vila Mariana, Paraíso, Jardins, Centro, entre outros-- serão monitorados por câmeras de segurança e por homens das polícias Civil, Militar e Guarda Civil Metropolitana. O efetivo da PM será de 1.500 policiais.

Segundo a polícia, não será permitida a comercialização de bebidas alcoolicas por ambulantes. Assim como em anos anteriores, será instalado um posto da Decradi (Delegacia Especializada nos Crimes de Racismo e delitos de Intolerância).

Durante a parada, 150 agentes da Secretaria Municipal de Saúde irão distribuir preservativos em três barracas dispostas na avenida Paulista.

Trânsito e transporte

A avenida Paulista e todas as suas ruas transversais serão interditada às 10h do domingo (10), entre a rua Teixeira da Silva, no Paraíso, até a rua Augusta. Às 11h30, a interdição da Paulista e transversais será estendida até a rua da Consolação. A partir de 12h, o trânsito será interditado toda a rua da Consolação e suas transversais.

As alternativas para a interdição da Paulista são as ruas São Carlos do Pinhal e Cincinato Braga, no sentido Paraíso-Consolação. Já no sentido oposto, a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) recomenda a alameda Santos.

Para a rua da Consolação, as alternativas são as ruas Rui Barbosa, Treze de Maio, Major de Julho, 14 de julho (Bela Vista), Amaral Gurgel, Marquês de Itu, Sabará e as avenidas Angélica e Higienópolis (Santa Cecília e Higienópolis), além da ligação Leste-Oeste. A CET utilizará 143 operadores de trânsito durante a parada.

O Metrô reforçará a frota de ônibus no domingo: na linha 1-azul serão 68 viagens a mais; na linha 2-verde, 108 viagens; e na linha 3-vermelha, 84. A SPTrans informou que mais de 40 linhas de ônibus terão os itinerários alterados em função da parada (para informações, ligue 156).

 

publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.