Publicidade
Entretenimento
Viagem

Paraíso: conheça Keukenhof, o Parque das Tulipas que encanta visitantes na Holanda

Local fica em Lisse, a 30 mins de Amsterdã, Haia, Haarlen, Leiden e Delft. Em 2016, ele ficará aberto até 16 de maio 03/04/2016 às 07:00 - Atualizado em 03/04/2016 às 12:40
Show 1065041
O parque recebe, em apenas dois meses, cerca de 800 mil visitantes, em busca de suas flores (Foto: Maria Pereira Gontow)
Airton Gontow - Especial para A CRÍTICA Keukenhof (Holanda)

Keukenhof, o Parque das Tulipas, na Holanda, é na Terra a visão mais próxima do Paraíso. O maior e mais belo parque floral do mundo só abre para a visitação poucas semanas por ano, quando as tulipas mostram seu esplendor. Em 2016, abrirá somente de 24 de março a 16 de maio.

Com sete milhões de bulbos plantados à mão anualmente por verdadeiros artesãos da jardinagem e mais de 2.700 árvores, em uma área de 32 hectares, com muitos jardins e quatro pavilhões, o parque recebe, em apenas dois meses, cerca de 800 mil visitantes, em busca de suas flores - narcisos, jacintos, rosas, orquídeas, íris, cravos lírios e, principalmente, cinco mil variedades de tulipas - de cores e formas variadas;  além de grama verde, moinho, cafés, lagos e lindos trabalhos ornamentais, como o mosaico floral de 250 m² feito em 2015, só com tulipas, com o autorretrato de Van Gogh. A cada ano é criado um novo tema central e no ano passado o homenageado foi justamente Vincent van Gogh, para marcar os 125 anos da morte da sua morte.

Keukenhof fica em Lisse a “meia hora” de Amsterdã, Haia, Haarlen, Leiden e Delft, mas é importante que você não se deixe acomodar pela curta distância e tente chegar bem cedo, para escapar do trânsito no caminho. Para quem tem o hábito de andar de bike, uma excelente pedida é partir de Noordwijk, Zandvoort ou mesmo de Leiden, e pedalar até Keukenhof.

Dá para fazer o parque em um dia, mas também é boa pedida dividir o passeio em dois e fazer tudo mais preguiçosa e prazerosamente.  Um dos grandes momentos do parque é a famosa Parada das Flores, em maio. Você só deve visitar o Keukenhof nesse dia se for um apaixonado por grandes eventos, multidões e, claro, flores. Nessa ocasião, com tanta gente, você vê um grande e florido desfile, mas o parque perde parte de sua identidade e tranquilidade cotidiana.

Pedalar (ou caminhar) no parque é uma experiência incrível. Você pode – e deve – alugar uma bike para percorrer os campos de tulipas (algumas pessoas fazem também um belo e bucólico passeio de barco). Sair por aí, em estradinhas planas, que margeiam os campos de tulipas, de diversas cores, é dessas experiências para guardar por toda a vida. Um bom percurso dura cerca de duas horas. Ao pedalar por essa região a gente se sente flutuando, a caminho das nuvens, como na clássica cena do filme “E.T”, de Steven Spielberg.

Recentemente, a humanidade viu com espanto e alegria que uma sonda enviada pelo homem finalmente chegou próxima de Plutão, após percorrer incríveis 4,8 bilhões de quilômetros. Também assistimos com esperança em um futuro melhor a notícia de que pela primeira vez astronautas comeram alface plantada no espaço.

No último mês de maio, este repórter caminhou, pedalou e sonhou com o dia em que cada ser humano pudesse ver em nosso planeta ao menos um lugar tão encantador quanto Keukenhof, plantado pela natureza e pela mão do homem. Apesar de tantos problemas, a nossa querida Terra é maravilhosa e repleta de lugares que são de outro mundo.

Amsterdã é uma cidade romântica!

Conhecida pela região da Luz Vermelha e pela permissão ao uso de algumas drogas, Amsterdã, com suas centenas de pontes e canais, é acima de tudo uma cidade romântica.Famosa por sua red light e pelas drogas disponíveis em tantos cantos da cidade, a capital holandesa (cujo nome vem da barragem – dam -  construída em 1275 no rio Amstel) é, antes de tudo, linda e romântica.

Ao contrário do que se diz por aí, a bike não é a melhor forma de descobrir as maravilhas que Amsterdã reserva. Todas as formas são as melhores, de acordo com o seu perfil de turista. Dá para ir pedalando. De barco. Dê ônibus. De tram (bonde). Ou você pode simplesmente caminhar pelos exuberantes canais da cidade.

Construídos nos séculos 16 e 17, durante um notável período de crescimento econômico e cultural, os 120 canais, com cerca de 90 ilhas, são belos, apaixonantes e considerados desde 2010 Patrimônio Cultural da Humanidade.  Destaque para os canais Herengracht, Prinsengracht e Keizersgracht.

Além de atrações turísticas, são essenciais à vida da população. As pessoas trafegam, passeiam, sentam-se em bares e restaurantes às suas margens e até mesmo vivem em casas-barcos. Estima-se que existam 2.700 casas flutuantes (algumas delas para serem alugadas, o que pode ser uma diferente e inesquecível hospedagem). Junto aos canais estão as bucólicas pontes. São 1.280 delas!

A maioria das atrações da cidade está na região dos canais ou bem próximo. O trajeto é entrecortado por bares, praças, prédios de poucos andares e museus. Esses últimos, cerca de 60, enchem de orgulho os habitantes, que garantem que Amsterdã tem a maior densidade de museus do mundo. Além disso, ao longo dos 100 quilômetros de canais há cerca de 1.550 monumentos. (A.G)

Dica na Holanda

Restaurante The Penthouse, no  Skybar da Haagse Toren, em Haia - Rua Rijswijkseplein 786 - Tel.: 31703051003 www.thepent house.nl
É alta gastronomia em todos os sentidos. Localizado no último andar da Torre de Haia, a 135 metros, é o restaurante mais alto da Holanda! A comida é magnífica, variada e internacional. Destaque para os peixes e frutos do mar. Há uma ótima carta de vinhos e também muitas opções de cerveja.

*Os repórteres viajaram com o apoio da Holland Alliance.

Publicidade
Publicidade