Publicidade
Entretenimento
Vida

Parintins em 360º: projeto da RCC integra tecnologias de imersão à transmissão da festa

O projeto vai levar imagens em 360º para óculos de realidade virtual espalhados por Parintins na época dos festejos e para os celulares dos espectadores 19/06/2015 às 17:15
Show 1
O A CRÍTICA 360º promete dar uma nova experiência aos fãs dos bumbás
Lucas Jardim Manaus (AM)

Todos os anos, assistir o Festival de Parintins envolve quase que inevitavelmente uma das seguintes opções: ir à Ilha Tupinambarana (seja de barco, lancha ou “asa dura”), se juntar à galera (vermelha ou azul) e curtir pulando ao som das batucadas e diante do espetáculo visual que é a festa ao vivo ou assistir todo o show no conforto de casa (sozinho ou com amigos) por meio da televisão.

Este ano, a Rede Calderaro de Comunicação (RCC) traz uma novidade que é efetivamente uma terceira opção, utilizando tecnologia de ponta para proporcionar ao usuário um meio-termo entre a televisão e o ao vivo, o A CRÍTICA 360º.

O projeto vai levar imagens espetaculares em 360º, gravadas a partir de câmeras de última geração, para óculos de realidade virtual espalhados pela cidade de Parintins na época dos festejos e para os celulares dos espectadores através de um aplicativo móvel.

A empresa foi atrás de novas tecnologias no exterior e achou nos Estados Unidos a chance de prover o máximo de imersão para o espectador que, por motivos quaisquer, ficar de fora do Bumbódromo. “[O A CRÍTICA 360º] surgiu da ideia de usar essas técnicas de imersão na transmissão dos eventos culturais e esportivos que a RCC tem o compromisso de passar para os espectadores, leitores e ouvintes. Montamos uma equipe para estudar e entender o assunto e viajamos atrás de equipamentos, de softwares, de parcerias, para desenvolver isso”, disse Rafael Sant’anna, diretor de tecnologia corporativa da RCC.

Pioneirismo

“Somos uma das primeiras emissoras do Brasil a ter esse equipamento e tentar algo do gênero. No país inteiro, apenas um teste muito pobre foi feito no Carnaval do Rio, muito diferente do que a gente está fazendo. O nosso já é bem mais desenvolvido, com um número de câmeras bem maior. São 18 câmeras só gravando material para o A CRÍTICA 360º, fora as outras que farão a transmissão tradicional”, contou Dissica Calderaro, diretor-presidente do sistema de Rádio e Televisão da RCC.

Ele ressalta que o sistema usado pela emissora é bem recente, vem sendo testado desde abril e abre margem a muitas possibilidades. “Imagine: [se estou lá], eu não consigo ficar em cima de Marujada, por exemplo. [Com o A CRÍTICA 360º], eu vou poder vê-la em vários ângulos, como se eu estivesse flutuando sobre ela. Poderei ver as apresentações com todos os detalhes e acompanhar as reações do público, pois vou poder voltar e ver o vídeo de novo [quando quiser]. Vai ser o mais próximo de estar lá”, explicou Dissica.

No projeto, pequenos vídeos, todos em definição 4K, serão gravados e disponibili zados em “happenings” na cidade de Parintins, onde espectadores, fãs dos bumbás, aficionados por tecnologia ou mesmo os curiosos de plantão poderão utilizar óculos de realidade virtual e quase que literalmente mergulhar no universo do tradicional evento folclórico. 

“Queremos oferecer algo novo e fazer com que a pessoa que não está na Arena possa viver um pouco de arena, possa ter a sensação de estar lá dentro, vendo as coisas de uma maneira que talvez ela não conseguisse ver mesmo estando lá. Queremos que as pessoas tenham essa experiência em 360º, de como são as imagens feitas com essa tecnologia”, comentou Dissica.

Aplicativo

Além disso, os vídeos também estarão disponíveis no aplicativo A CRÍTICA 360º, que utiliza sensores do próprio telefone para proporcionar imersão ao usuário, permitindo-lhe passear pelos ambientes simplesmente movendo o aparelho.

O aplicativo, que primeiramente só estará disponível para sistemas iOS, atualmente se encontra em análise pelas equipes da App Store, sendo disponibilizado na loja virtual nos próximos dias. 

De acordo com Dissica, uma versão para Android também está sendo desenvolvida e deverá ser lançada no Google Play em breve, para envolver usuários dessa plataforma no futuro que a RCC planeja com a tecnologia 360º. “Queremos gravar espetáculos no Teatro Amazonas com esses equipamentos, shows de música promovidos na cidade. Queremos fazer o usuário até viajar no RCCop”, declarou.

Vale lembrar os espectadores mais tradicionais que  a transmissão do festival pela TV transcorrerá da maneira costumeira. A TV A CRÍTICA transmitirá para os televisores de 98% do Estado enquanto o PORTAL A CRÍTICA o fará, em tempo real pela web. O espectador de fora que não quiser acompanhar pela internet poderá ver a festa via satélite, através da RCSat. “O festival vai ser transmitido, de todos os ângulos, de uma maneira como nunca feita em nenhum grande evento no Brasil”, concluiu Dissica.

Publicidade
Publicidade