Publicidade
Entretenimento
Vida

Pele renovada: a importância da hidratação diária para sua saúde

Hábito de hidratar funciona como um mecanismo eficaz contra o envelhecimento precoce. Segundo especialista, a hidratação é para todos os tipos de pele 07/11/2015 às 19:31
Show 1
15 porcento de água é o que define uma cútis saudável. Se a hidratação cai para menos de 10%, a superfície torna-se desidratada
Loyana Camelo Manaus (AM)

Hidratar a pele é um simples hábito diário muitas vezes negligenciado, e geralmente, por motivos contornáveis. Talvez fosse menos, caso as pessoas atentassem mais para o fato de que um dia “a conta chega”: um estudo recente conduzido nos EUA revelou que 73% das mulheres deste país, 81% do Japão, 94%  da Coreia e 95% da China apontaram a pele sem vida e com aspecto cansado como um problema sério. E para os dermatologistas, não há dúvidas que a falta de hidratação é uma das principais causas da aparência de pele envelhecida.

Isso acontece porque a desidratação causa um desequilíbrio de umidade na derme, e conforme o tempo passa, isto a torna mais propensa a mostrar sinais de envelhecimento de forma precoce. De acordo com a doutora Patrícia Bandeira de Melo, dermatologista, a superfície da pele possui um manto hidrolipídico, ou seja, uma película protetora que precisa ser hidratada. 

“Quando esse manto é comprometido, a barreira de defesa da pele também é afetada e fica mais suscetível a problemas como infecções bacterianas, virais e fúngicas”, comenta. A pele saudável é aquela com bom nível de água. Por isso, a médica atenta que a hidratação é uma recomendação geral.

“As pessoas tendem a achar que somente a pele seca precisa ser hidratada. Isso é errado. Hidratar não remete à óleo e sim à água. Por isso todas as peles - secas, mistas e oleosas devem ser hidratadas diariamente”, frisa, derrubando crenças de que quem tem pele mais oleosa deve fugir do hidratante.

Necessidade maior

Dra. Patricia alerta que existem grupos que precisam ter cuidado redobrado com a hidratação. Estes incluem quem convive com dermatite atópica; as pessoas idosas e, claro, moradores de regiões sob alto índice dos raios UV - como é o caso do Norte.

“O paciente atópico tem a barreira hidrolipídica já comprometida pela situação de alergia. Ele precisa ser continuamente hidratado, caso contrário, não sairá do quadro alérgico”, pontua a médica. Com relação aos idosos, homens e mulheres precisam se cuidar, pois com a chegada da idade, a concentração de moléculas que retêm a umidade na pele diminui progressivamente.

O público feminino na menopausa é o que mais sofre com o ressecamento. “Por conta da queda hormonal, as mulheres na menopausa tendem a ter a pele xerodérmica, ou seja, bem ressecada”, diz a dermatologista.

Já os habitantes de locais com índices agressivos de raios UV, a exemplo do Amazonas, precisam reforçar a hidratação (com proteção solar) até pelo fato de, como mesmo relembra a médica, dependerem do ar-condicionado para efetuar tarefas diárias. “Ficar muitas horas em um ambiente com ar-condicionado triplica a chance de ressecamento”, conta.

Hidratação interna

Não basta, porém, cuidar da hidratação externa e esquecer da interna. Tomar água com frequência é um mandamento inarredável da beleza e que, em conjunto com os hidratantes externos, auxilia a deixar a pele tonificada e renovada sempre.

Destaque

Atenção para os mais preguiçosos: óleo de banho não é a melhor opção para hidratação. Segundo  Patricia Bandeira de Melo, eles não têm a mesma capacidade de reter a água da pele e de efetivamente hidratar. Compara-tivamente, as loções e os cremes têm muito mais eficácia.

Publicidade
Publicidade