Publicidade
Entretenimento
DIETA

Desafio propõe 30 dias para perder excesso de peso, com hábitos gostosos e saudáveis

Programa de reeducação alimentar criado por nutricionistas esportivos dos Estados Unidos conquista brasileiros 26/03/2017 às 13:00
Show alice
Alice Vieira já perdeu mais de 20kg após participar do Whole 30 e manter novos hábitos alimentares
Natália Caplan Manaus

‘Mude sua vida em 30 dias’. Essa frase parece clichê, mas se tornou a realidade de milhões de pessoas que toparam encarar o Whole 30, programa de reeducação alimentar criado por Melissa e Dallas Hartwig, nutricionistas esportivos. No Brasil, a novidade chegou há quase três anos, mas ganhou fama há alguns meses. Rebeca Souza, 21, é uma das adeptas em Manaus.

“Decidi mudar minha alimentação e estou há seis meses seguindo, com acompanhamento médico paralelo. Decidi fazer, porque precisava perder peso que ganhei na gravidez do Heitor. A parte mais difícil foi parar de comer doce todo dia e comer fora de casa, porque a maioria dos lugares não serve o que o programa propõe”, diz a estudante de enfermagem.

O desafio criado pelo casal norte-americano teve alguns “efeitos colaterais” logo nos primeiros dias. A amazonense enfrentou abstinência de açúcar, com muitas dores de cabeça e sensação de boca amarga. Entretanto, o resultado de todo esse período de dedicação surpreendeu a mãe de primeira viagem. Até agora, dos 20 quilos ganhos na gestação, ela já eliminou 17.

“Cortei todo o tipo de carboidrato, fora o açúcar, porque eu sempre comia um doce após às refeições (risos), nem que fosse um suco. Além da perda de peso, meus triglicerídeos e colesterol diminuíram”, lembra Rebeca. “Não é uma dieta, mas um estilo de vida, que também prioriza a atividade física. Emagrecer é consequência das mudanças”, completa.

Outro ponto importante na decisão da universitária para manter a alimentação com base nos hábitos praticados dentro do programa foi o fim dos incômodos comuns de quem sofre de intolerância à lactose. Ela, inclusive, só descobriu o problema durante os 30 dias do desafio e fez o exame apenas para confirmar a suspeita.

“Descobri, porque melhorei vários aspectos inflamatórios na minha vida depois que cortei a lactose por causa do Whole 30. Eu sofria constantemente com intestino preso, espinhas e dores abdominais”, ressalta, ao revelar não ter esperado para se pesar. “Essa parte também é difícil (risos). Eu furei, mas para mim os resultados trazem motivação”, explica.

Fitness mais saudável

Já a personal trainer Elika Xavier de Camargo, 28, sempre teve um plano alimentar diferente. Ex-atleta, a paulista radicada em Manaus é instablogger, com mais de 53,3 mil seguidores, no qual compartilha a rotina, dicas de dieta e exercícios. Foi no Instagram que ela descobriu o método internacional, que completa o 20º dia neste domingo (26).

“Sempre segui um plano alimentar fora do comum para as pessoas. Mesmo assim, nenhum igual ao Whole 30. Meu maior desafio está sendo excluir alimentos que tinham objetivo de aumento de massa muscular ou perda de gordura. O conceito do whole prioriza alimentos in natura, com o objetivo de valorizar cada sabor e propriedade distinta”, enfatiza.

Pioneiros no Rio de Janeiro

Sucesso em mais de cem países, o Whole 30 desembarcou no Brasil com os fundadores do Crossfit Posto 9 (CFP9), Marcos Viana e Jean-Paul Folch, no Rio de Janeiro — mas não tem um representante oficial. Os sócios receberam autorização do casal Hartwig após uma temporada em Miami (EUA), e decidiram introduzir o programa para ajudar os alunos.

“É um desafio para desintoxicar o corpo, descobrir intolerâncias alimentares e se acostumar à vida paleo. Fez tanto sucesso que todas as ‘boxes’ de crossfit do País resolveram aderir. Ano passado, eles criaram um projeto chamado ‘Whole 30 Brasil’”, informa Alice Vieira, 35, uma das primeiras e experimentar o método.

Entre os casos que surpreenderam a estilista, estão a de pessoas que venceram a diabetes, hipertensão, enxaqueca, problemas graves de acne e até pararam de fumar/beber. Na experiência pessoal, ela ressalta não apenas a perda de peso, mas o diferencial na saúde qualidade de vida diária. Após concluir o desafio, a carioca manteve a dieta paleolítica.

“Desde então, venho emagrecendo e mudando o meu corpo a cada dia. Cortar esses alimentos por 30 dias faz com que tenhamos uma melhora no sono, no humor, na pele, na saúde e na balança. Você verá como a alimentação afeta o seu corpo e que se alimentar de ‘comida de verdade’ só nos traz benefícios. Não custa nada tentar”, finaliza.

SAIBA +

O Whole 30 é um programa alimentar, no qual o adepto basicamente se alimenta de “comida de verdade”.  É um plano alimentar de 30 dias para preparar a pessoa a ter escolhas mais saudáveis na vida e seguir com uma alimentação mais “limpa”, pois tira todos os produtos industrializados do cardápio. Quem quiser participar do projeto nacional deve acessar o site oficial.

Base alimentar

O que comer: carne vermelha e branca ovos, gorduras boas (óleo de coco, abacate, azeite de oliva, castanhas…), vegetais e raízes.

O que evitar/cortar: açúcar, grãos, leguminosas, laticínios, embutidos e qualquer outro alimento que passou por algum processo industrial.

Publicidade
Publicidade