Publicidade
Entretenimento
Vida

Performance convida público a exercitar arte do escutar

“Hescuta” será encenada no Lugar Uma de Artes neste domingo, dia 4; performance irá circular em apresentações pelo País em 2016 02/10/2015 às 09:55
Show 1
Com ruído de canecas de esmalte, performance de Francisco Rider evoca desapego da arte do escutar no cotidiano
acritica.com Manaus (AM)

Usando um traje feito de canecas de esmalte, um homem provoca ruídos e chama a atenção a cada movimento. Na performance de dança contemporânea “Hescuta”, o artista Francisco Rider convida o público a exercitar a arte do escutar. O trabalho será atração do Lugar Uma de Artes, Centro de Manaus, no domingo, dia 4, às 19h.

A apresentação é gratuita e integra a agenda da Ocupação Lugar Uma, iniciativa contemplada pelo Prêmio Manaus de Ocupação Artística 2015, da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult).

Performance mínima, “Hescuta” usa como elementos apenas o corpo do artista, seus movimentos e as canecas. “A visualidade delas é forte, e transforma o corpo humano em outra coisa. O som que elas fazem afeta as pessoas. O trabalho basicamente busca despertar a atenção do outro”, afirma Rider.

A proposta da performance, segundo o artista, partiu de uma reflexão sobre a ausência do escutar nos dias de hoje. “Ouvir é uma ferramenta que todos possuem, mas escutar é prestar atenção. E hoje a gente não escuta o que o outro fala. No cotidiano, damos mais valor ao visual, ao físico”, diz.

Para Rider, trata-se de provocar um sentido hoje embotado pelo acúmulo de imagens do viver contemporâneo. “Escutar é algo que você desenvolve, como desenvolve a sensibilidade. Quando você escuta algo é porque é importante, do contrário você apenas ouve”.

No ano que vem, “Hescuta” deverá ser encenada em Goiânia, Tocantins, Porto Velho e Brasília, com apoio da Funarte, por meio do Prêmio de Dança Klauss Vianna. A performance teve suas primeiras apresentações no ano passado, dentro do Festival Amazonas de Dança e do Mova-se Festival.

“Hescuta” tem classificação indicativa de 12 anos. Após a encenação da performance, o público é convidado a participar de um bate-papo com o artista, com mediação de Carrie Evans, musicista, e Márcio Carvalho, professor do curso de Música da UEA.

OCUPAÇÃO LUGAR UMA

Iniciada no último dia 21, a Ocupação Lugar Uma tem como objetivo transformar o Lugar Uma de Artes em abrigo para uma série de ações artísticas diárias, ao longo de três meses, com acesso gratuito.

Performances, oficinas, exposições de arte, mostras de filmes e lançamento de livro são algumas das atividades no calendário da tomada artística, empreendida por iniciativa de Francisco Rider. A ação segue até 21 de dezembro.

QUEM É

Nascido em Manaus (AM), Francisco Rider tem apresentado suas obras cênicas em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Belém. Exibiu suas criações ainda em espaços dedicados às artes contemporâneas em Nova York, como o Judson Memorial Church/Movement Research, Performance Space 122 (PS122), Here Arts Center, The Kitchen, Dixon Place, entre outros.

Foi performer em “Low” (2002), de Donna Uchizono, espetáculo premiado com The New York Dance and Performance Awards (The Bessies). Colaborou artisticamente com artistas como Célia Gouvêa (SP), Silvia Bittencourt (SP), Tatiana Cobbet (SP) e Patricia Hoffbauer (NY), entre outros.

Entre outros, recebeu os prêmios Funarte Klauss Vianna de Circulação (2011 e 2014) e de Montagem (2007, 2008, 2010 e 2014); Rumos Dança 2009/10, do Itaú Cultural; e Movimentos de Dança do Sesc São Paulo (SP, 1993, 1994 e 1995).


SERVIÇO

Performance “Hescuta”, de Francisco Rider – Ocupação Lugar Uma
No Lugar Uma de Artes, avenida Joaquim Nabuco, 1.436, Centro
Dia 4 de outubro, domingo, às 19h
Entrada gratuita
Class. indicativa de 12 anos

Publicidade
Publicidade