Publicidade
Entretenimento
Fragância

Perfumista francesa lista dicas e técnicas para usar perfumes corretamente

A perfumista Fanny Moreau, fundadora da empresa Absolu, virá a Manaus promover um workshop sobre o tema, no dia 02 de setembro, na Escola Aliança Francesa, localizada na rua Lauro Cavalcante, nº 250, no Centro de Manaus 20/08/2016 às 13:52 - Atualizado em 21/08/2016 às 08:56
Show perfuymoista
Fanny Moreau irá apresentar uma verdadeira imersão no mundo da perfumaria // Foto: Divulgação
Alexandre Pequeno Manaus (AM)

Presentes no cotidiano há milênios, os perfumes atravessaram os séculos e se tornaram itens obrigatórios no dia a dia. Eles transmitem sentimentos, emoções, suavizam ambientes e trazem sensações agradáveis ao penetrarem pelas narinas, indo ao encontro ao sistema límbico, responsável pela memória. Daí a fixação na mente.

Além de despertar os sentidos, os perfumes também geram uma série de dúvidas em torno de seu uso, lugares adequados para aplicação, fragrâncias essenciais para os diversos tipos de pele, tendências de aromas, fixação, etc. Por isso, a perfumista francesa Fanny Moreau, fundadora da empresa especializada no desenvolvimento de fragrâncias exclusivas, marketing olfativo e consultoria Mon Absolu, virá a Manaus promover um workshop sobre o assunto.

Em conversa exclusiva com A Crítica, Moreau adiantou alguns dos principais questionamentos que envolvem a utilização dos perfumes. Confira:

Conhecida por seu calor, é comum na região amazônica as pessoas relatarem dificuldade em encontrar fragrâncias que fixem na pele. O que é recomendado para a nossa região?

O ideal é que a pessoa passe um pouco de creme hidratante sem fragrância e depois aplique o perfume. O corpo graxo vai reter por mais tempo as moléculas aromáticas na pele.  Outra solução é aplicar a fragrância diretamente na roupa para evitar que a fragrância saia por causa da própria transpiração que tira o perfume.

Algumas pessoas relatam que sentem dificuldade em encontrar uma fragrância que fixe. Isso é real? Alguns possuem essa dificuldade de manter uma fragrância no corpo?

Sim, realmente nós não somos iguais na questão da fixação: quanto mais oleosa a pele, melhor fixa. Por isso, muitas vezes, pessoas com pele branca mais seca, possuem mais dificuldade.

Quais as tendências para o momento no ramo da perfumaria?

Em termos olfativos, notas gourmand com frutas suculentas e florais na categoria feminina e notas licorosas (como por exemplo whiskey) e de couro na categoria masculina. Em relação com os temas abordados nas fragrâncias, a cor branca e ouro foram muito usados, assim como o erotismo expressado pela mulher e a (re) afirmação do homem viril.

Gostaria que a perfumista citasse o que pode e o que não pode voltado para os perfumes?

Hoje em dia, o objetivo de usar uma fragrância é mostrar uma face especifica da sua identidade e comunicá-la através de uma mensagem olfativa: sou esportivo, sou sensual, sou despojado... Essa comunicação funciona se a mensagem não chega a ser gritante e invadir o espaço do outro. Na prática, sugerimos que sua fragrância não pode ser percebida a mais de um metro de distância.

Existe alguma técnica específica para passar um perfume no corpo?

Como a Coco Chanel comentava muito justamente, sugiro que uma mulher deva usar perfume onde ela quiser ser beijada.

De volta à origens

A história do perfume remonta há três mil anos e as lendas em torno de sua criação vão mais longe. Na Índia e na Arábia  surgiram os primeiros mestres da perfumaria. Antes disso, nos tempos mais remotos, os homens invocavam os deuses por meio da fumaça, liberando diversos aromas. 

No Egito Antigo, foram desenvolvidas diversas substâncias aromatizantes para uso religioso, como incensos e óleos perfumantes. Cleópatra, rainha do Egito, seduziu Marco Antônio e Julio César usando um perfume à base de óleos extraídos de flores.

Após essa contribuição das primeiras civilizações, os gregos tiveram um papel importante na história do perfume, pois passaram a trazê-los de diversas partes do mundo para uso medicinal. No século XII, através das Cruzadas, o perfume entrou na Europa, passando a ser usado exclusivamente na higiene pessoal e nos banhos públicos. 

Conta-se que o primeiro perfume feito com fórmula própria que se tem conhecimento, surgiu em 1370, criado para a Rainha Elizabeth da Hungria. 

Com o avanço dos anos, o progresso da química, permitiu a reprodução artificial de cheiros encontrados na natureza, como ervas, flores, madeiras, e seu uso ficou mais acessível, deixando de ser exclusivo da elite. Hoje, é produto essencial, simbolizando bom gosto e  autoestima.

Serviço

O que é: Workshop perfumaria 

Onde: Escola Aliança Francesa, na rua Lauro Cavalcante 250.

Quando: 2 de setembro

Informações: 99486-3671/3308-6057

Publicidade
Publicidade