Terça-feira, 19 de Novembro de 2019
Comportamento

Uma pausa para repensar: período sabático é prática que vem ganhando força

Recomendado por especialistas em carreira, prática vem ganhando força especialmente por exemplos de personalidades como o fundador da Apple, Steve Jobs, e o apresentador Jô Soares



SABA.jpg (Da esquerda) A psicóloga Luciana Minev, a jornalista Marina Guedes e o publicitário Orlando Câmara são exemplos de gente que largou tudo para dar um tempo e respirar novos ares
31/12/2016 às 05:00

Dar um tempo no trabalho para descansar, pensar, reavaliar, mudar. Não, não são apenas férias. O chamado período sabático, considerado uma boa estratégia pelos coaching de carreiras, vem ganhando força, especialmente por exemplos de pessoas públicas, como o fundador da Apple, Steve Jobs, a cantora Sandy e até o apresentador Jô Soares. E você, já pensou na alternativa?

O caminho entre desejar e colocar em prática  exige muitos pontos, exceto impulsividade. “O momento ideal chega quando o profissional sente que está faltando algo em sua vida, seja mais conhecimento, mais espiritualidade ou mais experiência”, diz Luciana Minev, da Singulari Consultoria.



Período para experiências
Planejar esta etapa, definir os motivos e construir experiências significativas, como aprender um novo idioma, vivenciar novas culturas e até mesmo morar com outras pessoas, devem fazer parte do pacote. “É importante definir o porquê do período sabático. Ele não deve ser uma fuga do momento atual”, ressalta a psicóloga.

Luciana entende na prática do assunto. Assim que encerrou o mestrado, em 2010, optou por uma vivência profissional na Holanda e dividiu a casa com pessoas de vários países.

“Foi uma experiência extraordinária! Aplico os aprendizados na empresa de consultoria que fundei quando retornei. Além disso, conheci pessoas de todas as partes do mundo, aprendi muito sobre mim mesma e conheci muitos lugares”.

Outros ares
Organização financeira e estar disposto para  encarar o novo são as dicas do publicitário Orlando Câmara para quem planeja ter o seu período sabático. Em 1994, o amazonense morava em São Paulo e, devido a algumas transições na empresa onde trabalhava, mudou-se para uma temporada na Europa.

“Eu estava meio indeciso no que queria fazer, então, tinha um dinheiro na poupança, vim a Manaus visitar meus pais e fui, sem olhar para trás”.

E foi também sem roteiro prévio e, assim, percorreu seis países por 10 meses. “Eu não sabia o dia de amanhã. Antes vivia uma agenda programada”, comenta. “Viajar areja o pensamento,  dá uma nova perspectiva sobre você mesmo e o mundo”, diz Orlando. O curioso é que a experiência o aproximou de Manaus.

“Quis voltar para minha cidade, pois consegui ver de fora para dentro. Quis firmar raízes e isso me fez avançar profissionalmente no meu retorno, pois eu tinha um novo olhar”.

Pelo mundo
A jornalista Marina Guedes largou os empregos formais para velejar pelo mundo para se dedicar a uma paixão: estudar e escrever sobre mar e conservação marinha. Em 2015, ela já tinha ido para Austrália estudar ecologia marinha e costeira e adaptação às mudanças climáticas.

“Não acho que esteja dando um tempo na carreira porque estou sempre pensando em matérias e escrevendo para o meu site (www.marinaseagull.com). O que eu decidi foi fazer algo diferente”, conta.

O trajeto é longo. Agora ela está nas Bahamas, no final do mês segue para o Panamá e, por volta de março, atravessará o canal do Panamá em direção ao Pacífico.

“Este primeiro momento tem sido sensacional. Lugares incríveis e pessoas muito hospitaleiras pelas ilhas onde passei. Também tem sido bem legal trocar ideias com outros velejadores que encontro pelos caminhos”, conta.

Ela ficará embarcada durante todo  o ano até chegar na Nova Zelândia, em meados de dezembro. “O que sinto é: não pense muito em fazer algo que realmente deseja. As oportunidades surgem e devemos aproveitá-las. Sem medo de desemprego no futuro ou qualquer preocupação. Com certeza a empreitada que nos motiva permite encontrarmos outras coisas bem mais legais adiante”, opina ela.

Orlando Câmara complementa: “É uma experiência tão marcante que já me planejo para repeti-la quando eu chegar aos 60 anos”.

 

BUSCA
Planejamento

Daniela Lago, coach e autora do livro “UP! 50 dicas para decolar na sua carreira”, destaca que nem sempre é preciso sair do emprego para desfrutar de um período sabático. “Porém a questão é delicada, já que algumas organizações são mais conservadoras e não compreendem o assunto. Mesmo assim, você pode tentar negociar com a empresa”, diz.

Antes disso, ela faz sugestões:  “Devemos nos questionar sempre que iniciamos qualquer coisa: ‘Para que tenho que fazer isso?’; “Eu conduzo ou sou conduzido?’; ‘Escolhi ou fui escolhido por minha profissão e/ou empresa?’. Um período sabático pode ser uma experiência única e ajudar a encontrar respostas a essas questões”, completa.

 

DESTAQUE
Diários de viagem

A jornalista Marina Guedes está percorrendo o mundo em um veleiro. Ela realiza pesquisas e escreve matérias para seu site www.marina seagull.com (hospedado no portal da revista Plurale www.plurale.com.br). Marina está em busca de patrocínio para ajudar nos custos da viagem e produzir um material impresso ao final. O contato é pelo site dela ou pelo e-mail  marina guedes @hotmail.com


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.