Publicidade
Entretenimento
Repertório autoral

Phill Veras apresenta show acústico no Teatro Manauara, neste sábado (20)

Segundo ele, o show, a partir das 21h, mistura as canções dos discos que lançou até agora, com direito a duas ou três músicas inéditas. “O ‘Gaveta’ é um álbum pop mais tradicional, quase clichê" 20/08/2016 às 10:29 - Atualizado em 20/08/2016 às 10:39
Show efet
Com show em novo formato, o cantor esta em turnê com as canções do novo disco, “Carpete”, lançado em 2014 após o disco “Gaveta”. (Divulgação)
Rosiel Mendonça Manaus (AM)

Destaque entre a nova geração de talentos da música brasileira, o cantor e compositor Phill Veras se apresenta em Manaus, na noite de hoje, com um repertório autoral em formato acústico. Na bagagem, o maranhense traz canções de seus dois discos, “Gaveta” (2013) e “Carpete” (2014), que já lhe renderam boas críticas e alguns prêmios. O show, o primeiro dele no Amazonas, acontece no Teatro Manauara, a partir das 21h, com ingressos a R$ 50 (meia). 

“Eu comecei fazendo apresentações de voz e violão em São Luís, mas demorou até eu criar coragem de enfrentar um palco sozinho”, revela o músico, que mais tarde deu o pontapé na carreira profissional ao entrar numa banda da terra natal. 

“Sempre fui mais de banda, então aos poucos deixei um pouco de lado esse lance da voz e violão. A ideia para esse acústico atual, então, veio do desejo de apresentar na minha cidade as minhas músicas mais atuais nesse formato, coisa que eu não fazia há algum tempo”.

Para ele, o novo show acabou possibilitando que ele viajasse mais – inclusive para Manaus, onde Phill tem fãs que sempre o cobraram por uma apresentação no Amazonas. “Quando eu me apresentava com outros músicos, a logística era mais difícil, mas agora com a turnê acústica ficou mais fácil de viajar”, diz.

Segundo ele, o show mistura as canções dos discos que lançou até agora, com direito a duas ou três músicas inéditas. “O ‘Gaveta’ é um álbum pop mais tradicional, quase clichê. Já o ‘Carpete’ vem de um conceito mais fechado, com pesquisa de instrumentos e uso de sintetizadores. Eu diria que tem um pouco de influência de música eletrônica”, comenta.


Autodidata

Se a música eletrônica pode ser apontada como uma das referências de Phill Veras em seu trabalho mais recente, outros dois nomes tidos em alta conta pelo compositor maranhense são Caetano Veloso e Gilberto Gil, os mestres tropicalistas. 

“São caras que me influenciaram bastante desde o início. O Gil, mais pelo violão. Mas também já ouvi muito Barão Vermelho e aprendi a tocar violão com as músicas do Nirvana, de quem era bem fã na época”, relembra.

Veras tinha cerca de 12 anos quando começou a ter contato com o instrumento: “Aprendi sozinho, vendo tutoriais em revistas de cifras, dessas que a gente encontra na banca”. Quem teve um papel de destaque, mesmo que indiretamente, para que o jovem trilhasse os caminhos da música foi o pai dele, dono de uma vasta coleção de discos de vinil.

A primeira composição mais consistente veio na época em que Phill formou uma banda de pop rock, em 2008. “Antes eu compunha arranhando algo no violão, mas nada muito significativo”. A virada veio depois que ele deixou a banda e gravou o primeiro álbum solo. “Consegui lançá-lo numa plataforma maior e a coisa alavancou. Foi quando comecei a viajar para fazer. Foi bem rápido”.

Serviço

O quê:  Show do cantor Phill Veras

Quando:  Sábado, às 21h

Onde:  Teatro Manauara, Piso Buriti, Manauara Shopping

Quanto:  R$ 50 (meia)

Infos:  3342-8030 e 99193-0405

Publicidade
Publicidade